Tratamento para o Melasma com associação de bioestimulador e laser

Publicado por link9 em

O melasma é uma mancha acastanhada que aparece principalmente em mulheres jovens e morenas, sempre no rosto, causando estresse e constrangimento.
Não identificamos uma causa única para o surgimento do melasma, mas múltiplos fatores são associados ao seu aparecimento e piora.

Entre esses fatores o mais importante está o sol através da radiação ultravioleta A e ultravioleta B. Hoje também sabemos que a luz visível, tanto do sol como também de lâmpadas, celulares e computadores pioram o melasma em especial nas mulheres com pele morena.

Entre outros gatilhos do melasma estão também o estresse e o hormônio melanócito estimulante. Este hormônio está mais alto na gravidez, situação onde o melasma aparece com frequência.
O melasma é difícil de tratar devido essa multiplicidade de agentes provocadores, seguem algumas diretrizes do tratamento do melasma:

1. Filtro solar com fator de proteção alto, que tenha cor para evitar a radiação visível e também que tenha boa cobertura para esconder a mancha. Ele deve ser repetido 3-4 vezes por dia.
2. Cremes clareadores podem ser utilizados, porém vale ressaltar que a hidroquinona (clareador) deve ser evitada por períodos prolongados devido sua toxicidade e efeitos colaterais.
3. O laser é utilizado para o tratamento do melasma, com algumas especificidades para não provocar o efeito rebote. O laser é um aparelho que emite energia que penetra na pele atingindo determinados alvos. O laser usado para tratar o melasma tem como alvo a melanina que então é destruída por essa energia e eliminada do organismo. No entanto, essa energia não pode ser muito intensa sob pena de através de calor forte piorar a mancha. O laser utilizado para o tratamento do melasma tem energia com intensidade baixa e pulso muito rápido. Um laser usado para tratamento de manchas em geral, pode emitir energia de 38-40 joules em milissegundos. No caso do laser específico para o melasma a energia é de cerca de 1,3 até 2 joules em nano segundos.

Sendo assim, a associação de energia baixa e pulso muito rápido faz com que a liberação de calor seja pequena e pouco agressiva eliminando a mancha sem efeito rebote. São necessárias de 10 a 15 sessões semanais para conseguir melhorar o melasma. A pele após a sessão do laser ND Yag Q- Switched fica rosada e normaliza após 15 minutos. As atividades diárias do indivíduo tratado podem seguir normalmente.

Hoje sabemos que o melasma está associado ao envelhecimento da pele. Estudos recentes comprovam que a pele manchada tem mais sinais de fotoenvelhecimento que a pele não manchada.
Esses sinais aparecem como: aumento do número de mastócitos, destruição das fibras de colágeno e elastina, danos na transição entre a epiderme e derme, entre outros. Sendo assim, quando tratamos o melasma também precisamos equilibrar e melhorar a qualidade da pele, em especial a produção de colágeno.
A aplicação de hidroxiapatita de cálcio que é um Bioestimulador na área manchada, provoca estímulo de colágeno e mais tonicidade à pele.

A clínica Denise Steiner, vem associando o uso do laser ND Yag Q- Switched 12 sessões e com Bioestimuladores intralesionais nas manchas 4 sessões quinzenais com resultados bons e duradouros.

 

Dra. Denise Steiner
Dermatologista
CRM: 36.505 - RQE 6185

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisar

Clínica Denise Steiner. Dermatologia | 2017. Todos os direitos reservados
Desenvolvido por &