Cuidados com a pele – Fotoproteção

Publicado por link9 em
fotoprotecao

Proteger a pele

Proteger a pele da radiação solar é fundamental para a saúde da pele.

O sol emite vários tipos de radiação, tais como UVA, UVB, luz visível, infravermelho.

Quando essas luzes penetram na pele, cada uma provoca um tipo de dano conforme a profundidade atingida ou o tipo de mecanismo de interação com as estruturas cutâneas.

A luz UVB chega à superfície cutânea por volta das 10 horas, persistindo até as 14 horas. Essa luz atinge diretamente o DNA celular, sendo a maior responsável pelo câncer de pele. Essa radiação também queima a pele, deixando-a vermelha e inflamada.

A luz UVA, que incide durante todo o dia, penetra mais profundamente e agride vasos, fibras, outras células, folículo pilosebáceo, glândulas etc, envelhecendo a pele, sendo responsável por rugas, vasos dilatados e flacidez. Sendo assim, a radiação solar tem 40% de luz visível que, ao penetrar na pele, provoca manchas. Essa luz escurece mais as peles mais morenas e também piora aquelas que já estão manchadas.

A radiação infravermelha esquenta a pele e promove vasodilatação, causando algumas doenças de pele.

Devemos usar filtro solar para tomar sol e também todos os dias, para evitar esse conjunto de agressões que envelhecem, mancham e causam câncer de pele.

O filtro solar deve proteger da UVB e para tanto ele tem um fator de proteção solar, FPS. Quando no rótulo do filtro vem escrito FPS 50, significa que ele possui 50 vezes a capacidade de proteger em relação à dose eritematosa mínima da luz ultravioleta B.

Vamos exemplificar: uma pessoa vai à praia sem qualquer filtro solar e demora 5 minutos para ficar avermelhada. O filtro solar com FPS 50 significa que ela poderá ficar 5 minutos x 50 = 250 minutos antes de ficar vermelha ou queimada. Lembrar que a pele, quando avermelha, já corre risco de câncer de pele.

O filtro também deve ter proteção em relação à UVA e então estará escrito a palavra UVA ou PPD, que é a sigla de proteção para UVA.

Filtro solar UVB

Em geral, o ideal é que o filtro solar proteja de UVB, por exemplo, 60 e 1/3 para UVA, no exemplo, 20. Esse é um bom equilíbrio entre os filtros. Portanto, os filtros convencionais não protegem da luz visível. Somente filtros com pigmento protegem da luz visível. O melhor pigmento colorido para proteção é o óxido de ferro.

O filtro solar para usar no dia a dia pode ter FPS ao redor de 30 e PPD 10 e de preferência ter cor principalmente para pessoas morenas e manchadas.

No tratamento do melasma o filtro solar precisa ter cor, além de FPS e PPD altos. No caso do melasma o filtro solar também precisa esconder a mancha.

Os filtros solares não protegem do calor da radiação infravermelha. O protetor solar pode ter agregado na sua formulação componentes como vitaminas antioxidantes (C e E) que também protegem da radiação infravermelha.

O próximo blog irá trazer mais informações sobre as formulações dos filtros solares e também as Recomendações do Primeiro Consenso de Fotoproteção do Brasil, realizado durante a gestão 2013-2014 da Sociedade Brasileira de Dermatologia, SBD, da qual eu tive a honra de ser presidente.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisar

Clínica Denise Steiner. Dermatologia | 2017. Todos os direitos reservados
Desenvolvido por &