A pele pode produzir mais colágeno com Bioestimuladores

Publicado por link9 em

O colágeno é a proteína mais importante da pele por promover a tonicidade e funcionalidade da mesma. O colágeno está concentrado na camada intermediária da pele chamada derme, mas também está presente na parede dos vasos e septos de sustentação do subcutâneo. Ele existe em grande quantidade na infância e, portanto, a pele das crianças é bem firme, muito elástica e flexível. Com o passar do tempo o colágeno é produzido em menor quantidade e a qualidade também vai piorando. Por esse motivo a flacidez é mais intensa no idoso.

Muitos fatores interferem na produção do colágeno: doenças do colágeno, genética, idade, alimentação, hábitos não saudáveis, fumo, remédios, câncer, emagrecimento abrupto entre outros. Vale lembrar que o sol através da radiação ultravioleta é o maior envelhecedor da pele produzindo manchas, rugas e flacidez. O sol agride a pele e produz proteínas chamadas metaloproteinases que degradam o colágeno. A atividade intensa de maratonistas e ginastas também promove mais flacidez facial devido a oxidação intensa e perda de gordura.

Hoje existem vários tratamentos para estimular a produção de colágeno e preservar a qualidade do colágeno existente. A alimentação deve ser equilibrada e o excesso de açúcar e carboidratos devem ser evitados. Esta sobrecarga de doces pode facilitar a formação dos “Ages” que são produtos de glicação que quando ligados a proteína, endurecem a mesma. O colágeno fica rígido sem flexibilidade causando aspecto envelhecido na pele. A ingestão de colágeno hidrolisado ajuda na manutenção e produção de mais fibras/proteínas. O colágeno hidrolisado é aquele que possui os peptídeos que são moléculas pequenas melhor absorvidos e na pele favorecem a formação de colágeno novo.

Além dos aspectos nutricionais com a ingestão de vitaminas e oligoelementos como silício também é importante realizar procedimentos para estímulo do colágeno.

Um dos procedimentos interessantes para a produção de colágeno é a bioestimulação com produtos como ácido polilático e hidroxiapatita de cálcio. O ácido polilático quando injetado no local adequado que é o subdérmico fica distribuído de forma homogênea e induz a formação de colágeno novo criando uma área mais densa tanto acima como abaixo desse ponto. A aplicação é feita com produto diluído de 16 a 20 ml para o corpo e 10 ml para o rosto com cânulas procurando o plano correto e colocando cerca de 0,1 a 0,2 ml por cm². Podemos observar o resultado em cerca de 2 - 3 meses. Em geral utiliza-se um frasco de ácido polilático para uma área de 10 - 20 cm². O ácido polilático pode ser usado para o rosto e para o corpo como abdômen, nadegas, braços etc. Pode haver hematomas que somem em 10 - 15 dias e as vezes nódulos pelo excesso do produto num mesmo local.

A hidroxiapatita de cálcio também é diluída em 1/2, 1/3, 1/4 e 1/6 e aplicado na derme profunda ou subdérme com cânula e com distribuição homogênea. A diferença é que o ácido polilático precisa ser preparado 48 horas antes e a hidroxiapatita de cálcio pode ser preparado na hora da aplicação. Os locais de aplicação são os mesmos com destaque para a área do pescoço.

Ambas as substâncias promovem resultados interessantes tanto no rosto como no corpo com cerca de 2 a 4 sessões mensais. A bioestimulação é uma nova possibilidade eficaz e segura para o tratamento da flacidez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisar

Clínica Denise Steiner. Dermatologia | 2017. Todos os direitos reservados
Desenvolvido por &