Tratamento do melasma: melhores opções

Publicado por denisesteiner em

Melasma é uma mancha acastanhada muito frequente no rosto de mulheres jovens adultas causando constrangimento e baixa autoestima. É grande o número de mulheres cujo relacionamento afetivo, social e laboral, está afetado por essa mancha escura e crônica. Muitas delas deixam de frequentar a praia, clubes, não levam os filhos para passeios ao ar livre e se recusam a acompanhar os maridos em programas onde o sol seja constante. No trabalho precisam de locais longe da luz e não confraternizam se o evento é na luz do dia.

O melasma é uma mancha onde há maior produção de melanina principalmente na fronte, buço, bochechas e queixo. Muitas células da pele, participam da produção dessas manchas principalmente aquela chamada melanócito que é a produtora maior de melanina. Essa célula é complexa, tendo sua origem no sistema nervoso central e sua superfície está repleta de receptores sensíveis a estímulos externos e internos. Por esse motivo o melasma aparece ou piora devido a inúmeros fatores como gravidez, pílula anticoncepcional, estresse, sol, calor, traumas locais, depilação, noites mal dormidas, poluição, entre outros.

Vemos que tudo provoca melasma, e, portanto, o tratamento deve focar no indivíduo como um todo, pensando no comportamento, hábitos, meio ambiente, alimentação, lazer e tudo mais.
A consulta com o dermatologista em algum momento é fundamental, pois ele é o especialista que conhece esse órgão chamado pele, suas características, comportamento e particularidades além de dominar as características dos medicamentos e procedimentos que clareiam a pele.

Inúmeras substâncias antioxidantes podem ser importantes no tratamento do melasma, entre elas o Polypodium Leucotomas, a glutationa, pomegranate, pycnogenol, vitamina C, vitamina E, colágeno hidrolisado e tantos outros. Esses ativos neutralizam a inflamação e também os estímulos celulares, acalmando e equilibrando as células responsáveis pela melanogênese.

O ácido tranexâmico é uma substância inovadora no tratamento do melasma, pois neutraliza a plasmina que por sua vez é uma substância ativadora da pigmentação. Ele protege as células envolvidas na produção da melanina bloqueando os gatilhos estimuladores dos fatores já citados como: radiação ultravioleta, luz visível e calor. O ácido tranexâmico melhora muito o melasma, fato este, comprovado por inúmeros trabalhos científicos. No entanto por ser um remédio necessita de prescrição médica que será feita após a avaliação de prováveis contraindicações. Ele é usado na dose de 2-3 comprimidos/dia por períodos de 3 a 6 meses. Uma vez estabilizado a pele com as células equilibradas é possível fazer os procedimentos para retirar o pigmento acumulado.
O laser NdYag de comprimento de onda 1064 Q Switched, é específico para o tratamento dessa mancha. Trata-se de um laser espacial que por liberar energia baixa e pulso rápido emite pouco calor e não agride a pele. São necessárias cerca de 12 sessões 1 vez na semana que não impedem qualquer atividade do dia/dia. Após a sessão do laser a pele fica rosada por cerca de 20 minutos e normaliza rapidamente. O uso do filtro solar de preferência de amplo espectro com proteção alta para UVB e UVA e com pigmentos protetores precisa ser passado várias vezes ao dia.
Com tudo isso o melasma melhora e a autoestima também, invertendo o ciclo vicioso gerado pelo aparecimento da mancha. Mancha mais clara, mais animo, mais valorização e caminho para uma vida mais plena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisar

Clínica Denise Steiner. Dermatologia | 2017. Todos os direitos reservados
Desenvolvido por &