Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia

:: Publicações

Terapia Antioxidante Contra o Envelhecimento

Envelhecer é inevitável. Mas é um processo que pode ser retardado e deve ser vivido de forma saudável para que se possa, de fato, sentir a vida em toda sua intensidade.

Ao lado de outras medidas de caráter preventivo geral, a terapia antioxidante surge como uma poderosa aliada na luta contra o envelhecimento. Essa terapia, em síntese, é baseada no combate aos radicais livres.

Radicais livres são originados por reações de redução de oxigênio e podem causar uma serie de danos celulares, como inativação de enzimas, alteração do estado de oxido – redução intracelular e alterações do DNA. Ocorre, então, a morte celular e a perda de certas funções celulares.

O processo de envelhecimento estaria associado a um crescente desequilíbrio entre a produção e a destruição de radicais livres. Há vários fatores que determinam o aumento da produção desses radicais. A maioria deles esta muito presente na vida de um cidadão morador de grandes cidades como São Paulo. Entre eles, podemos destacar: poluição, tabagismo, stress, excesso de sol, dieta rica em carne vermelha e gorduras animais.

A primeira providencia, portanto, seria diminuir tal produção, procurando eliminar os fatores citados. Isso implica a mudança de alguns hábitos, uma disciplina mais rígida e a conscientização de cidadãos e autoridades.

Procura-se, em seguida, combater o excesso de radicais livres que, apesar das medidas anteriores, tornou-se uma realidade. Aqui, entra a terapia antioxidante propriamente dita. É grande o número de substancias que atuam no combate aos radicais livres, destacando-se, entre elas, as vitaminas E, C e A, o selênio e o zinco.

Recomenda-se, então, que alimentos contendo tais substancias façam parte da dieta cotidiana, respeitando as limitações impostas por outros agravos. O quadro abaixo apresenta os principais alimentos e seus oxidantes:

Para que o efeito antioxidante de fato se concretize, há a necessidade de uma complementação com doses mais intensas, procurando-se ajustar essas doses com a situação de vida concreta de cada pessoa, bem como com determinados hábitos ou particulares vividos por ela. A freqüência diária dessa ou momentos particulares cicidos por ela. A freqüência diária dessa administração também é ajustada e esses mesmos aspectos. Alem da administração por via oral, recomenda-se também a inclusão de antioxidantes como as vitaminas E e C, em formulas contendo filtros solares para a proteção da pele.

Os oligoelementos também são importantes, os mais destacados em fórmula para combater os estudos que propiciam a aceleração do processo de envelhecimento são o cobre, o magnésio, o manganês, o selênio e o zinco.

Principais Oligoelementos 

Cobre – É uma co-enzima de numerosas co-enzimas cujas funções no organismo são muito importantes. Completa a atividade do ferro na elaboração de hemáceas, permite um bom funcionamento do sistema nervoso e da mielina, entra na constituição da superoxidodismutase (SOD), enzima que neutraliza os radicais livres e possui ação antiinflamatória, antivirale antiinfecciosa. Sua carência acarreta fadiga, anemia, reumatismo e infecções. A necessidade diária desta substancia é de 2 miligramas. Fígado de bovinos e ovinos, cogumelos crus, amêndoas, caju e leguminosas em geral são fontes naturais do cobre.

Magnésio – Depois do cálcio e do fósforo, é o mineral mais abundante no organismo. Um adulto de 75 quilos possui por volta de 30 gramas de magnésio. O esqueleto concentra cerca de 70% desta substancia. O resto tem importantes funções no organismo, como equilíbrio do sistema nervoso, juntamente com o cálcio, ação antiinfecciosa ou virais, redução da taxa de triglicérides e colesterol no sangue e auxilia nos regimes hipocalóricos: quando os adipócitos perdem suas reservas lipídicas, eles devem absorver magnésio para substituição. Sua falta é dificilmente suprida pela alimentação e sua assimilação, dificultada ou totalmente impedida pelo alcoolismo, diabetes e doenças renais. O ser humano precisa diariamente de 350 miligramas. Está presente nas nozes em geral, cacau, feijão, gérmen de trigo e soja.

Manganês – Entra na composição de metaloenzimas e como tal tem varias funções. Trabalha na síntese de mucopolissacarídeos que entram na constituição de cartilagens. As artroses são decorrentes da destruição e do desaparecimento e é muito eficaz contra dores articulares, aquelas causadas por problemas de discos cartilaginosos intervertebrais e têm função importante na proteção dos músculos, tendões, pele e ossos. O manganês é indispensável à passagem do fluxo nervoso. Ele é necessário à síntese da protombina, fundamental à coagulação do sangue. Sua carência acarreta arteriosclerose, artrites, falta de coordenação motora e irritabilidade. O ser humano tem uma necessidade diária de 4 miligramas. Cereais completos, leguminosas e aveia são fontes naturais.

Selênio – É um antioxidante. O organismo humano fabrica, durante o metabolismo, corpos oxidantes agressivos – os radicais livres – que é a glutation-peroxidase, que contém selênio. Suas propriedades decorrem desta particularidade. Ajuda a combater o deposito de colesterol, age contra o envelhecimento celular e aprimora o sistema imunitário. Sua falta se deve ao fato de ser quase impossível obter uma taxa de selênio suficiente na alimentação. A necessidade diária é de 50 a 200 miligramas.

Zinco – Entra na composição de numerosas metaloenzimas e numa infinidade de processos vitais do organismo. O zinco tem uma função importante no aparelho genital masculino: o órgão mais rico em zinco é a próstata. Quando sua axa diminui, o volume da protata aumenta. Os órgãos genitais se desenvolvem pouco em adolescentes carentes de zinco. Ocorre também ausência de ereção. Sua falta pode gerar doenças de pele. Perda de olfato, paladar e libido e fadiga. O zinco, assim como a vitamina E e os flavonóides, é um inibidor de radicais livres. Ele faz parte do processo de desintoxicação do organismo. São necessárias 15 miligramas diariamente. É encontrado no fígado bovino, carne de frango, girassol e soja.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

voltar

2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados
2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados