Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia

:: Publicações

A pele negra

O cristal decompõe a luz em infinitas cores que juntas o tornam transparente, belo e único. As cores enfeitam o mundo e nos brindam com opções que encantam nossos olhos. 

A cor, na pele humana, é muito mais sutil na diferença anatômica e fisiológica do que fazem acontecer na política e no social. Ela também representa, mistura, união, aproximação entre diferenças que melhoram e aperfeiçoam a poderosa e sublime genética do ser humano.

Todas as cores de pele tem a mesma quantidade de células formadoras de pigmento (melanócitos), porém a capacidade das mesmas é diferente e aquelas mais escuras tem maior produtividade. Estas células produzem a proteína denominada melanina que funciona como um filtro natural protegendo a cútis da radiação do sol. Por esta razão, os negros tem menos chance de desenvolver câncer de pele e também menor grau de envelhecimento. Por outro lado, a melanina tende a aumentar mais em qualquer situação de agressão, como espinhas, depilação, queimaduras, peelings ou cirurgias. Qualquer procedimento cirúrgico ou estético provoca mais manchas dificultando o manejo destas peles. Isto é especialmente relevante em países tropicais porque o sol funciona sempre como um estímulo para maior pigmentação e peles traumatizadas irão escurecer mais.

Apesar da cor ser a diferença mais marcante entre as peles negra e branca, o pigmento é somente uma parte de um “mosaico biológico”. O que se observa, em qualquer idade, é que a pele de indivíduos negros tem uma firmeza maior, é mais lisa, tem menos rugas e é mais resistente aos irritantes em geral.

Ela também exibe maior oleosidade e tendência a acne e foliculite. As espinhas deixam marcas escuras e a foliculite está associada ao tipo de pêlos que é mais encaracolado. O cabelo do negro tem um formato elíptico e volta-se sobre ele mesmo. Ele é mais delicado, quebradiço e frágil. Este cabelo precisa de maior proteção, produtos menos agressivos e poucos processos químicos.

O melasma é mais freqüente na pele escura. Trata-se de mancha que aparece no rosto, sem causa aparente, associada a gravidez, pílula anticoncepcional e sol. É bastante inestética pois parece uma máscara, deixando os portadores infelizes e frustrados.

Os negros por tendência genética apresentam alguns problemas específicos como a maior incidência de quelóides e cicatrizes hipertróficas ou o aparecimento de dermatose papulosa nigra, que são pequenas elevações mais escuras, muito comuns em pessoas de pele mais escura.

Em decorrência destas diferenças, a pele negra requer alguns cuidados especiais em relação aos tratamentos e cosméticos que podem ser utilizados. Por esta razão, tem-se notado que o mercado, cada vez mais, está se especializando em produtos especiais para a pele étnica.

Conhecer a intimidade desta pele, portanto, é fundamental para podermos discernir o que há realmente de bom e o que é apenas uma peça publicitária bem feita.

 

 

 

 

 

 

 

 

voltar

2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados
2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados