Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia

:: Atualidades

A Sociedade Brasileira de Dermatologia apresenta as novas tendências e tratamentos para a pele do 71º. Anual Meeting da Academia Americana de Dermatologia
O evento é um dos mais importantes da Dermatologia mundial por trazer os mais recentes estudos e as novidades tecnológicas que vão beneficiar milhares de pacientes

Mais de 15 mil médicos estiveram presentes no Meeting da AAD realizado de 01 a 05 de março em Miami, Estados Unidos, e a Sociedade Brasileira de Dermatologia foi representada por 2 mil especialistas. O evento anual atrai o interesse da comunidade científica e mais uma vez apresentou avanços no tratamento de doenças da pele e novidades em tecnologias e lançamentos de equipamentos e produtos.

“Para nós dermatologistas é um evento muito especial para o aprendizado e também um momento de intensa reflexão. É preciso adotar uma postura criteriosa para selecionar os procedimentos que se tornarão rotina e que apresentarão os melhores resultados para os pacientes", afirma a Dra. Denise Steiner, presidente da SBD - a Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Seguem os temas que estiveram em foco no encontro da Academia Americana de Dermatologia:

Vitiligo
O Vitiligo é uma doença crônica, que causa despigmentação na pele. “Hoje a doença passa a ser encarada como uma doença inflamatória e autoimune, onde vários fatores, entre eles hormonais, têm influência sobre a doença,” explica a Dra. Denise Steiner.  Há mudanças importantes no conhecimento da doença “vitiligo”. A falta de pigmentação da pele característica do vitiligo é determinada pela ausência dos melanócitos, causada provavelmente pela convergência de múltiplos fatores, como alterações bioquímicas, genéticas, formação de auto-anticorpos e ação de radicais livres citotóxicos.
Baseado nessas mudanças, duas novidades foram amplamente abordadas no Meeting:
A primeira novidade é o uso do Polypodium leucotomos associado à luz ultravioleta para o tratamento do vitiligo.
O Polypodium leucotomos é um fitoterápico que tem propriedades anti-inflamatórias e imunomoduladoras e age diretamente nas células envolvidas no aparecimento do vitiligo.
O tratamento mostrou que os pacientes tratados com 04 comprimidos do medicamento, mais sessões 2x por semana de ultravioleta UVB repigmentaram, mais no rosto e no pescoço, do que os que fizeram a luz com ingestão de comprimidos de placebo.
A segunda novidade foi outro trabalho comparando o tratamento com o mais afamelanotide mais luz ultravioleta UVB com luz ultravioleta B sozinha.
A afamelanotide é uma droga sintética análoga do MSH, um hormônio estimulante da melanocortina, que estimula a produção dos melanócitos e, consequentemente estimula a pigmentação, protegendo a pele dos danos provocados pela luz solar. A droga é implantada na pele e oferece benefícios principalmente nas doenças agravadas e estimuladas pela foto exposição.
“O resultado na pigmentação foi melhor com a associação comparando com a luz isoladamente. O resultado desse estudo é muito promissor, pois associa uma nova substância que é esse hormônio, promovendo resposta mais rápida, duradoura e sem efeitos colaterais significativos”, explica a especialista.

Melasma
Uma nova droga de uso tópico, ainda em estudos, foi apresentada com sucesso. A Methimazole é usada no tratamento da tireoide por via oral, mas quando aplicada em creme, na concentração de 5%, mostrou clareamento de lesões.
“O melasma é uma doença da pele que promove o seu  escurecimento, principalmente no rosto. Fatores como o sol, hormônios, calor e traumas estão associados ao aparecimento, mas as causas não são totalmente conhecidas”, relembra a Dr. Denise e aponta a vantagem: “ É mais uma opção de baixo custo, que não a hidroquinona”. Entre os aparelhos indicados para o tratamento do melasma estão:
 ND Yag Q- Switched , aprovado pelo FDA para tratamento do melasma, produz pulsos ultra rápidos (nanosegundos) e de alta intensidade, capazes de destruir o pigmento com o mínimo dano tecidual, sem irritar a pele, evitando os efeitos adversos, como o escurecimento de manchas já existentes.

Picosure-Cynosure laser em picos segundos 10-12, conforme o pulso seja mais curto, será interessante para destruir o pigmento. Este último ainda não foi lançado. 
O mesmo efeito pode ser sentido para remoção de tatuagens. Aliás, outro aparelho bem conceituado para remoção de tatuagens é o Laser Ultra Short Pulse – pulso rápido, mais efetivo e menos agressivo. 

Psoríase
Novos estudos e tratamentos apontam caminhos para combater essa doença inflamatória crônica que  afeta de 1 a 3% da população mundial e se caracteriza por manchas avermelhadas, normalmente em placas, que descamam e aparecem, em geral nos cotovelos, joelhos e couro cabeludo. A psoríase não é contagiosa e, embora ainda não se conheça sua cura definitiva, a doença pode ser controlada com o uso de medicações, que incluem medicamentos de uso  local (xampu, cremes e pomadas), fototerapia (tratamentos que utilizam  radiação ultravioleta), medicamentos imunossupressores e, mais recentemente, os imunobiológicos.
As novas drogas apresentadas no evento em Miami poderão se converter em opções para os pacientes que não respondem aos tratamentos atuais ou que sofrem com efeitos colaterais graves” explica o Dr Marcelo Arnone, coordenador da Campanha de Psoríase da Sociedade Brasileira de Dermatologia.
Uma dessas drogas em fase de testes é o Apremilast, inibidor da Fosfodiesterase 4, atua no controle da resposta inflamatória da psoríase. Os estudos apresentados mostraram se tratar de um medicamento eficaz e seguro no controle da psoríase. Também foram apresentados resultados de novos medicamentos imunobiológicos, com destaque para os inibidores de Interleucina 17 e os inibidores de Interleucina 23. Esses novos medicamentos têm apresentado resultados surpreendentes, com excelente desempenho no controle da psoríase e poucos efeitos colaterais.

Acne
A Acne é uma doença inflamatória crônica de origem multifatorial: a hiperplasia sebácea estimulada principalmente pelo hormônio masculino causa uma obstrução dos folículos pilosos levando a formação dos comedões ou cravos e aumento da colonização bacteriana e inflamação local.
Mais uma vez, os estudos isentaram o chocolate como causador da acne, mas apontaram que o excesso de ingestação de leite pode provocar a doença. A Dra. Denise Steiner dá mais detalhes: “Segundo as novas pesquisas além do leite e alimentos cujo índice glicêmico são muito altos e devem ser evitados pois geram mais glicação, além de estimularem a produção de androgenos”.
Uma outra discussão no Meeting da Academia Americana de Dermatologia apontou que a acne nas mulheres pode sim estar associada a ovários policísticos e síndrome metabólica, com excesso de gordura no abdome e quadro cardiovascular eminente. A indicação é um tratamento imediato, com isotretinoína e pílula com nível de estrogênio alto e progesterona anti-androgênica, ácido linoleico tópico ( anti-inflamatório). Mas para isso é preciso ter indicações precisas sobre o paciente devido aos efeitos colaterais e reações adversas das medicações.
A novidade é o um Creme antiandrogênico cortexolone. Primeiro creme específico anti-hormônio masculino (abtiandrogênico)”, afirma a Dra. Denise. Ele diminui a oleosidade e melhora a acne.

Cicatrização de feridas
Uma abordagem mais recente foi apresentada no Meeting de 2013.  É o Photochemical Tissue Bonding PTB:  aplica-se um corante na ferida ou no corte, em seguida trata-se o local com um laser com luz verde. “ A luz do laser ativa o corante que promove reação química, sem calor. Esse procedimento forma proteínas especiais que selam e fecham a cicatriz, que fica mais fina e menor e evita as complicações com pontos e cicatrizes decorrentes das suturas”, explica a Dra. Denise Steiner

Calvície
A boa notícia é que os estudos estão bem adiantados e apontam que o Bimatoprosta,  substância usada para o crescimento de cílios, está sendo desenvolvido para estimular o crescimento de cabelo.
O uso de laser ou radiofrequência associado a fatores de crescimento é uma nova tendência.
Outra novidade são os aparelhos que fazem uma micropuntura (que parece um roller), que facilita absorção das substâncias.
“O laser de baixa potência foi apontado como tratamento coadjuvante no tratamento da alopecia androgenética . Ele provocam um fenômeno chamado fotobioestimulação atingindo os folículos pilosos provocando um estímulo em folículos viáveis. Novos estudos são necessários para comprovar sua real eficácia, “ explica o Dr. Francisco Le Voci, Coordenador do Departamento de Cabelos e Unhas da SBD.
A Dutasterida, apesar de ainda não ter sido aprovada pelo FDA(Food and Drugs Administration) nos Estados Unidos, está sendo considerada um avanço no tratamento da calvície masculina e feminina por apresentar resultados superiores a finasterida.

Alopécia Senil
Foi apresentado esse novo conceito para a doença, um tipo de problema que ataca homens e mulheres e é reconhecido pelo afinamento dos fios, sem relação com variações hormonais. Esse tipo não responde a finasterida e sua origem não está esclarecida. Estuda-se um fenômeno chamado de "aging hair",ou envelhecimento dos cabelos.
Sabe-se que com o decorrer do tempo o ciclo dos cabelos vai mudando, ocorrendo uma diminuição na produção de novos fios, pois o ciclo dos fios vai se encerrando.
Por fatores fisiológicos,ambientais,doenças metabólicas pode haver a ocorrência deste fenômeno de maneira mais precoce,ou mesmo nos indivíduos mais velhos,fato este que pode fazer parte do envelhecimento orgânico como um todo. Esse problema não responde ao tratamento com Finasterida pois não se trata de produção em excesso das substâncias que podem ser afetadas pela Finasterida. A finasterida age inibindo a enzima 5 alfa redutase , levando a redução dos níveis de diidrotestosterona, um hormônio sexual.

Hiperidrose
O suor excessivo nas axilas conhecido como hiperidrose, atinge 3% da população mundial. Um novo aparelho similar ao um micro-ondas é voltado para tratamento de suor excessivo nas axilas. “O laser agride a glândula sudorípara. A energia é focada na camada subcutânea e a ponteira é resfriada para proteger a superfície e com penetração é de apenas 4mm”,explica o Dr. Emmanuel Rodrigues de França, coordenador do Departamento de Laser da SBD. Aprovado pelo FDA (Food and Drugs Administration) é um tratamento não-invasivo que requer 3 sessões, com intervalos de 3 meses.

Micose
Um laser CO2 fracionado específico gera micro-orifícios na lâmina da unha que permite a penetração das substâncias usadas para o tratamento. É indicado especialmente para casos de impossibilidade de tratamento via oral. O laser NdYag foi confirmado para tratar a micoce pelo calor.

Unha encravada
O laser de Co2 fracionado foi apontado como tratamento para o problema. Ele aplicado na carne esponjosa e sobre a dobra excessiva da unha e pode eliminar a necessidade de cirurgia.

Gordura localizada
Uma nova substância está para ser liberada e promete diminuir  a gordura localizada no culote, flancos, abdome, queixo e as indesejadas bolsas de gordura que se acumulam debaixo dos olhos. A droga é parente do lipostabil e, quando aplicada, agride a célula gordurosa que se degrada e é metabolizada.

Flacidez
Contra a flacidez no pescoço, colo e face e com bons resultados na parte interna dos braços e coxas, chega em breve um aparelho que reúne radiofrequência monopolar multifocal e aquece a pele instantaneamente provocando uma melhora do tônus da pele.

Sociedade Brasileira de Dermatologia
www.sbd.org.br
A Sociedade Brasileira de Dermatologia A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), com cerca de 7 mil associados, é a segunda maior sociedade dermatológica do mundo, com mais de 100 anos de existência é a única instituição dermatológica reconhecida oficialmente pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira (AMB) e tem como objetivo promover o estudo, ensino e pesquisa na dermatologia e áreas afins. Dra. Denise Steiner é a presidente da SBD gestão 2013 -2014.



 

 

 

 

 

 

 

 

 

voltar

2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados
2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados