Ginecologia e Obstetrícia: perguntas frequentes

  1. Com qual frequência a mulher deve procurar um médico ginecologista?

A mulher deve procurar seu ginecologista pelo menos uma vez por ano. Essa frequência permite ao médico fazer uma prevenção primária ou a detecção precoce da maioria das doenças a que ela está sujeita.

 

  1. Qual a importância do exame de Papanicolaou (colpocitologia oncótica)?

Toda mulher deve realizá-lo anualmente, com o objetivo principal de selecionar as pacientes que fazem parte do grupo de risco para câncer de colo uterino. Aquelas com exame positivo devem ser acompanhadas com maior frequência ou ser submetidas a tratamento específico.

 

  1. O que é HPV?

O papiloma vírus humano (HPV) é um vírus que está associado a lesões pré-malignas e malignas do trato genital inferior, principalmente o colo do útero. É um vírus muito prevalente no nosso meio e normalmente de transmissão sexual.

 

  1. Qual a importância do exame de mamografia?

A mamografia é um exame complementar que auxilia o médico no rastreamento do câncer de mama através da visualização de imagens radiográficas suspeitas, identificadas ou não no exame físico.

 

  1. Quando a mulher deve suspeitar que está com corrimento vaginal anormal?

É considerada suspeita a secreção vaginal que apresenta odor fétido, coloração amarelo-esverdeada e/ou coceira.

 

  1. Quais são os métodos de anti concepção existentes?

Anticoncepcionais orais hormonais; anticoncepcionais hormonais injetáveis (mensais ou trimestrais); métodos de barreira (camisinha masculina e feminina, diafragma); dispositivo intrauterino (DIU); adesivos transdérmicos; anel vaginal; contracepção de emergência (“pílula do dia seguinte”).

 

  1. O dispositivo intrauterino (DIU) é um bom método de anti concepção?

Sim, ele apresenta boa eficácia com poucas contraindicações. Apesar do temor em relação ao maior risco de infecção pélvica nas usuárias do DIU, este não está aumentado nos casos de uso prolongado, exceto naquelas pacientes com múltiplos parceiros.

 

  1. A pílula do dia seguinte funciona?

Sim, desde que usada corretamente, ou seja, deve-se tomar o primeiro comprimido até 72 horas após o coito desprotegido e o segundo, 12 horas após o primeiro. A eficácia é maior quanto mais cedo for tomado o primeiro comprimido. De qualquer forma, a eficácia deste método de anti concepção é menor do que a dos outros e, portanto, ele deve ser utilizado somente nos casos de emergência.

 

  1. Quais cuidados a mulher deve ter quando entra na menopausa?

A mulher na menopausa apresenta uma diminuição nos níveis do hormônio estrogênio. Inicialmente, ela apresenta sintomas agudos como ondas de calor acompanhadas de insônia, alteração do humor e irregularidade menstrual. A médio prazo, pode apresentar sintomas dermatológicos como pele seca, e urogenitais como vagina seca e dor à relação sexual. Já em longo prazo, observam-se complicações ósseas (osteoporose), cardiovasculares, maior risco de infarto do miocárdio e doenças metabólicas.

 

  1. Quais os riscos da terapia de reposição hormonal?

São poucas as contraindicações para esse tipo de terapia. Podemos citar antecedentes pessoais de câncer de mama, insuficiências hepática ou renal graves e tromboembolismo (entupimento de veias) relacionado ao tratamento hormonal. Entretanto, a recomendação atual é a conversa franca entre médico e paciente para que ambos cheguem a uma conclusão sobre este tipo de terapia, depois de explicados todos os riscos e benefícios da mesma.

 

  1. Toda dor mamária pode significar câncer?

Não, normalmente a dor mamária (mastalgia) não está relacionada ao câncer e sim a alterações benignas mamárias ou a dores de origem intercostal que se irradiam para a mama.

 

  1. Quais podem ser as causas de sangramento uterino anormal?

Podem ser causas orgânicas, como miomatose uterina, pólipo endometrial, neoplasias de colo ou corpo uterino e alteração na coagulação, ou causas hormonais.

 

  1. O que é infertilidade?

Caracteriza-se infertilidade quando o casal não obtém gravidez sem o uso de qualquer método contraceptivo, após um ano de relações sexuais bem distribuídas ao longo do ciclo menstrual.

 

  1. Quais são as causas de infertilidade? 

Dentre as causas de infertilidade, 30 a 40% são de origem feminina, 25 a 30% masculina, 30% relacionados a ambos e 15% são aqueles casos sem causa específica. Dentre as causas masculinas, temos principalmente as alterações seminais. Já em relação à mulher, a infertilidade pode ser por disfunção ovariana (40%), alterações tubárias (40%), anormalidade anatômica, hostilidade muco-sêmen e sem causa aparente.

 

  1. Como lidar com cólica menstrual?

A cólica menstrual pode acontecer desde a primeira menstruação e não ter uma causa conhecida, ou surgir após um período sem dor, podendo ser secundária a inflamações pélvicas, endometriose, miomas e fatores emocionais. O tratamento deve ser referente ao fator causal e deve contar com o uso de antiinflamatórios.

 

  1. Em que momento a gestante deve iniciar o acompanhamento pré-natal?

Idealmente, a paciente deve procurar seu obstetra antes mesmo da concepção para que receba as orientações necessárias e já inicie o uso de vitaminas.

 

  1. Qual o ganho de peso ideal durante a gestação?

Espera-se que a mulher que possui peso adequado para a sua altura antes de engravidar ganhe entre 10 e 12kg durante toda a gestação. Esse ganho de peso deve ser maior naquelas com baixo peso e menor naquelas com sobrepeso.

 

  1. Com quantos meses de gravidez é possível saber o sexo do bebê?

A partir da 16ª semana, ou seja, quarto mês, já é possível a identificação do sexo fetal à ultra-sonografia.

 

  1. Quais são as mudanças que ocorrem no corpo da mulher durante a gravidez?

São inúmeras as mudanças que ocorrem na mulher durante esse período. Dentre as principais, podemos citar: aumento e escurecimento dos mamilos, aumento do volume das mamas, escurecimento da pele da vulva e da vagina, aumento da secreção vaginal, aumento da pelugem no rosto, mudança na postura ao andar. Pode ocorrer também aparecimento de manchas, principalmente no rosto, e de estrias, principalmente no abdome.

 

  1. É permitida a prática de exercícios físicos durante a gestação?

Sim, desde que não sejam exercícios de alto impacto ou que estimulem a musculatura abdominal.

Veja Também

Ginecologia e Obstetricia

Pesquisar

Entre em contato

Preencha o formulário abaixo e em breve entraremos em contato para oferecer mais informações:


Clínica Denise Steiner. Dermatologia | 2017. Todos os direitos reservados
Desenvolvido por &