Herpes

O que é?

O herpes é uma doença infecciosa que ocorre pela agressão viral.

O herpes pode ser dividido em herpes zoster causado pelo vírus da varicela zoster ou pelo vírus herpes simples tipo 1 e 2.

O vírus herpes simples herpesvirus hominis tem quadro clinico variável que vão de benignos a graves.

A transmissão da infecção herpética é encontrada em indivíduos que nunca tiveram contato prévio com o vírus sem proteção imunológica.

Esta infecção pelo Herpes vírus HSV-1 ocorre em 80 a 90% das crianças com menos de 10 anos de idade.

Cerca de 90% dos indivíduos tem sorologia positiva para HSV-1.

O período de incubação para a primo infecção é em torno de 10. O quadro clinico é variável desde grave até leve e passageiro.

Após a infecção primária o vírus permanece em latência nos gânglios dos nervos cranianos e espinhais.

Quando reativado por várias causas relacionadas à imunossupressão pode aparecer novamente na pele e mucosa.

O vírus pode ser transmitido na ausência de lesões clínicas sem sinal de infecção.

A primo infecção pode ser no globo ocular com vesículas e erosões na conjuntiva e córnea.

Após a regressão podem surgir recidivas.

A infecção pode causar ulcerações profundas eventualmente levando à cegueira por comprometimento dos nervos.

A duração da primo infecção é de 2-6 semanas com tendência à cura sem deixar sequelas. Na fase inicial a presença de vesículas agrupadas pode ajudar na diagnose.

Quando o quadro evolui para úlceras e crostas precisa ser diferenciado na síndrome de Stevins Johnson e infecções bacterianas.

O quadro de herpes simples pode aparecer em qualquer local da pele. Na região genital ocorre a infecção pelo herpes simples tipo 2.

No caso da infecção ocorrer na área dos olhos o problema torna-se mais grave devido à sensibilidade das estruturas nesta região.

O comprometimento da região ocular não é o mais frequente, mas tem repercussões mais comprometedoras.

No caso da infecção pelo vírus varicela zoster o mesmo só ocorre em pessoas que já tiveram um contato com o vírus e desenvolveram a catapora.

O comprometimento do herpes zoster é bastante grave e em indivíduos idosos chama a atenção de um quadro de imunossupressão. Nestes casos deve ser investigado em termos subclínico.

O quadro clinico do herpes zoster é mais exuberante e inicia com muita dor.

Na região dos olhos pode haver pressão, ardência e dor que muitas vezes confunde-se com enxaqueca ou conjuntivite.

Aparecem então vesículas seguidas por ulceras com crostas, exsudação e muitas vezes infecção secundária.

 

Como tratar?

A herpes simples não tem cura e sim controle, para evitar o herpes labial a pessoa deverá evitar o sol excessivo e usar um protetor solar nos lábios para protegê-los. No caso de uma gripe forte, quando normalmente o organismo já está debilitado, a pessoa deve se cuidar bastante e evitar fatores como o estresse.

E, como medida geral existe um aminoácido chamado lisina, que pode ser usado em doses altas para prevenir o aparecimento das recidivas. Esse aminoácido impediria, em algum momento, uma fase do metabolismo do vírus.

Existem também vacinas, que não são consideradas a melhor terapêutica, e a prescrição de cremes para uso local. Na verdade, não existe ainda um creme específico para o herpes tipo 1 e 2, mas temos informação que ele já esta em desenvolvimento. Trata-se de uma droga denominada resiquimod, do grupo dos imuno-moduladores que, ao invés de atacar o vírus, fará com que a pessoa fique mais resistente a ele, ou seja, o seu mecanismo imunológico irá defendê-lo de novos surtos.

Trata-se de um caminho promissor para solucionar esse problema, cujo estudo clínico está na fase III. Acredita-se que daqui há três anos o produto farmacêutico, para tratar esse tipo de herpes, já esteja disponível no mercado.

Há ainda a possibilidade de diminuir as recidivas com determinados tipos de laser que ajudam na cicatrização e diminuem o tempo de duração do surto.

Mas, vale ressaltar que todos esses tratamentos não eliminam o vírus mas, sim, fazem com que melhore uma situação local com a redução do tempo de inflamação.

Contudo, voltando a falar do herpes zoster (que ocorre apenas uma vez na vida), vale o alerta de que a pessoa ao contraí-lo deverá, imediatamente, procurar ajuda médica. Trata-se de uma doença bastante grave e pode estar relacionada a outros problemas mais sérios.

O tratamento para esse tipo de herpes é feito à base de anti-virais potentes, por via oral, e além disso há utilização de antibióticos locais para aliviar os sintomas mais rapidamente.

Pesquisar

Entre em contato

Preencha o formulário abaixo e em breve entraremos em contato para oferecer mais informações:


Clínica Denise Steiner. Dermatologia | 2017. Todos os direitos reservados
Desenvolvido por &