Acne

A acne é dermatose crônica, comum em adolescentes, caracterizada por lesões inflamatórias, principalmente na face. É uma doença do folículo pilo sebáceo em cuja fisiopatologia interferem vários fatores como: genético, hormonal, hiperprodução sebácea, hiperqueratinização folicular e aumento da colonização bacteriana pelo Propionibacterium acnes.

 

O que é?

A acne é dermatose crônica, comum em adolescentes, caracterizada por lesões inflamatórias, principalmente na face. O papel da genética ainda é incerto, mas a ocorrência severa em gêmeos idênticos é muito alta. O que se sabe é que a causa da acne é certamente multifatorial. É uma doença do folículo pilossebáceo em cuja fisiopatologia interferem vários fatores, como genético, hormonal, hiperprodução sebácea, hiperqueratinização folicular e aumento da colonização bacteriana pelo Propionibacterium acnes. Ela pode ser classificada genericamente em “acne primária” (vulgar) ou “secundária” (hormonal, cosmética, escoriada, solar). No primeiro caso, trata-se da acne de adolescentes e adultos jovens em que a predisposição genética, estimulada pelo início da produção hormonal, favorece o desenvolvimento das lesões clínicas. No caso da acne secundária, ocorre um processo mais específico, em que determinado elemento, como um corticosteróide ou sol, pode ser o fator causal.

O diagnóstico é baseado, principalmente, no quadro clínico que se caracteriza pelo polimorfismo. Ocorrem comedões, pápulas, pústulas, nódulos e abscessos localizados na face, ombros e porção superior do tórax. De acordo com o número e tipo de lesões, definem-se as formas da erupção acneiforme.

A acne costuma ser classificada conforme a lesão predominante. A “acne comedoniana” acontece quando a maioria das lesões são comedões. O “nódulo” ou nódulo cístico” acontece quando há predominância de lesões nodulares, císticas e abscessos. Já a conglobata “apresenta” cistos severos e intensos.

A acne é classificada como “não inflamatória” quando apresenta somente comedões, sem sinais inflamatórios; ou “inflamatória”, que, conforme o número, intensidade e características das lesões, é classificada entre os graus 1 (leve) e 4 (intensa).

A extensão, a duração da inflamação na acne e também sua severidade são determinadas por variações individuais na resposta imune ao Propionibacterium acnes ou a qualquer de seus produtos metabólicos. Muitos casos melhoram espontaneamente, conforme o individuo termina a adolescência e entra na fase dos vinte anos.

 

Como Tratar

O tratamento é baseado no conhecimento de fatores etiopatogênicos, como colonização pelo Propionibacterium acnes, hipersecreção sebácea, inflamação e oclusão do orifício folicular. Os objetivos incluem a melhora do quadro infeccioso e da aparência física, minimização de cicatrizes e prevenção dos efeitos psicológicos adversos.

Os tratamentos são variados e baseados na etiopatogenese da acne. O tratamento ideal está relacionado a resposta individual. A isotretinoína é o único tratamento que induz resultados permanentes, mas em muitos pacientes não é aceita devido aos muitos efeitos colaterais. Outros jeitos de se tratar a acne necessitam de períodos prolongados para o controle dos sinais e sintomas.

Tratamento Tópico

Durante muitos anos o chocolate e as gorduras foram considerados os grandes vilões responsáveis pelo aparecimento da acne.

Vamos entender o metabolismo e a rota das gorduras no organismo. A digestão e metabolização dos alimentos tem processos complexos que levam em conta as necessidades energéticas do organismo.

Esta gordura pode ficar acumulada e será usada conforme as necessidades do corpo.

A gordura relacionada a acne é produzida principalmente pela glândula sebácea que responde a estímulos hormonais.

Não há uma relação direta da gordura acumulada no organismo com a glândula sebácea.

Portanto a associação com chocolate carece de provas para ser considerado o grande vilão no aparecimento da acne.

Hoje estudos relacionam dietas com grande quantidade de açúcar (carboidratos) e a acne.

A explicação é que o açúcar em excesso estímulo a produção exagerada de insulina. Esta por sua vez, quando acumulada promove um mecanismo de resistência a insulina que provoca a liberação de hormônios androgênicos e favorecem a acne.

Além disso, a oleosidade também estimula o aparecimento da acne pois o tecido gorduroso produz o aumento dos andróginos.

A ansiedade, competitividade e estresse da vida moderna, favorecem a ingestão de alimentos em excesso e com carga glicêmica alta.

Acne: alguns conselhos podem ajudá-lo

1- A alimentação precisa ser equilibrada com proteínas, carboidratos e gordura.
2- Coma várias vezes ao dia para evitar a fome excessiva.
3- Evite carboidratos após as 19:00 horas.
4- Evite excesso de açúcar.
5- Evite excesso de gordura (trans) encontrado em fast food.
6- Coma com calma e prestando atenção no alimento.
7- Quando estiver ansiosa ou faminta de preferência para alimentos não calóricos (legumes, frutas)
8- Mastigue muito
9- Tome um bom café da manhã
10 Na fase da TPM prefira líquidos e proteínas.

Retinóides

Os retinóides tópicos, como tretinoína e isotretinoína, agem no defeito da queratinização, diminuindo o sebo e o tamanho da glândula sebácea. Além disso, expulsam os comedões maduros, suprimem o desenvolvimento de novos microcomedões inibem a reação inflamatória e melhoram a penetração de outros agentes ativos. A isotretinoína tem efeitos similares em efetividade àqueles da tretinoína, clareando lesões acnéicas e causando menor irritação.

Os retinóides agem em receptores específicos com vários mecanismos de ação, tais como normalização da proliferação e diferenciação da epiderme; diminuição da liberação de prostaglandinas, leucotrienos e citoqueratinas, inibição da quimiotaxia dos neutrófios, etc.

 

Antibióticos Tópicos

Os antibióticos tópicos diminuem o crescimento da população de Propionibacterium acnes na superfície cutânea, principalmente na região do folículo pilossebáceo. Eles também reduzem a quantidade de ácidos graxos livres e diminuem a quimiotaxia dos leucócitos, provocando efeitos antiinflamatórios.

O uso de antibióticos tópicos e sistêmicos aumenta a resistência bacteriana. Para evitar esse risco, eles não devem ser usados de forma concomitante e a posologia deve ser seguida de maneira rígida. A associação de antibióticos tópicos com outros ativos, como retinóides, evita o risco de resistência.

Terapia Combinada

O tratamento com associação de princípios ativos é comum na acne e propicia vários benefícios, como melhor posologia e aderência do paciente, facilidade de uso da medicação a longo prazo e potencialização da ação terapêutica. Estas vantagens devem ser levadas em conta principalmente no tratamento dos adolescentes.

A combinação de substâncias ativas numa mesma medicação depende de alta tecnologia para manter a estabilização e a capacidade de ação. Entretanto, essas associações satisfazem os anseios de eficácia e praticidade, que são exigências do mundo moderno.

Leia mais

Acne: alguns conselhos que podem ajudá-lo
Os benefícios do tratamento da acne com uso de combinações
Acne x Dieta
Luz tratamento da acne inflamatória
Acne x Tipos
Acne na mulher
Acne da Mulher Adulta
Dúvidas Frequentes

Pesquisar

Entre em contato

Preencha o formulário abaixo e em breve entraremos em contato para oferecer mais informações:


Clínica Denise Steiner. Dermatologia | 2017. Todos os direitos reservados
Desenvolvido por &