Laser

O que é

A palavra laser vem do acrômico “Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation”, que significa uma luz estimulada e ampliada para ser usada como uma energia. . O laser é um aparelho com uma fonte de energia interna ( C02, cobre, rubi, argônio etc.) que consegue estimular a luz e realizar diversos tipos de ações, como corte, coagulação etc.
Os lasers funcionam por um mecanismo de ação chamado fototermólise seletiva que significa agirem em alvos específicos como a melanina e hemossiderina.
Nesse caso, a luz é intensamente atraída pela cor ou característica daquele alvo conseguindo ser específica e não agredindo as estruturas vizinhas. Essa é a grande vantagem do laser nos tratamentos dermatológicos: mais especificidade e melhor resultado no tratamento da lesão alvo com menos agressão aos tecidos vizinhos. Além disso, o processo de cicatrização é mais fácil e rápido.
Portando, o laser permite uma grande gama de utilização nos tratamentos dermatológicos destacando-se as lesões vasculares– onde a luz interage com a cor vermelha -, ou as manchas melânicas onde ocorre interação com a melanina.
Os tipos de laser variam conforme a substância que gera a energia, o comprimento de onda, e o tempo de duração que essa energia demora para interagir com a pele (pulso). Como já foi dito a fonte de energia pode ser variada (corante, rubi, CO2, etc), e o comprimento de onda tem a ver com a profundidade atingida pela energia liberada do laser. Já o pulso está relacionado ao tempo que cada estrutura precisa para sua recuperação.

A tabela 1 específica algumas características dos diversos tipos de laser

Tabela 1 = Tipos de Laser

Laser Meio Comprimentos Cromoforo Lesões a serem tratadas
Argônio gás 488 nm a 514 nm hemoglobina e melanina vasculares e pigmentados
DYE
Corante
líquido variável variável vasculares e pigmentados
Rubi sólido 694 nm melanina e pigmetos escuros pigmentados e tatuagens
Nd:YAG sólido 1080 nm * vasculares
CO2 gás 10.600 nm água pele, verrugas queratoses e rugas

 

Veja Também

O que tratar com o laser

Depilação a laser
O laser para depilação atinge a melanina localizada na raiz do pelo que está em uma parte profunda da pele. Por esse motivo quanto mais escuro e grosso for o pelo, maior a eficácia do procedimento. Sendo assim o laser praticamente não atinge pelos brancos e tem pouco efeito nos pelos claros e finos.

Para atingir a raiz do folículo piloso (escuro) o laser tem que atravessar as camadas mais superficiais da pele. E, nesse trajeto, ele pode ter afinidade por outras estruturas pigmentadas como é o caso da melanina. Por isso, é mais difícil a depilação definitiva em paciente de pele morena ou negra pois o laser libera energia em uma área maior da pele. Nesse mesmo raciocínio é perigoso depilar peles muito bronzeadas pois devido a maior quantidade de melanina o calor do laser será liberado sem critério, queimando a pele. Em relação a depilação, peles muito claras com pelos grossos e escuros apresentam os resultados mais satisfatórios desse procedimento.

Vale destacar, que a depilação a laser não é definitiva com uma única aplicação. São necessárias várias sessões para que haja agressão suficiente na raiz do pelo para destruí-lo completamente. Em geral, a depilação com laser na virilha e axila precisam de 4 a 6 sessões.

Resumindo a depilação com aparelhos de laser pode ser considerada definitiva e tem melhores resultados nas peles claras com pelos escuros e grossos. O número de sessões necessários será relacionado a característica do pelo e a área do corpo. É interessante que a depilação seja indicada pelo médico especialista que irá ponderar sobre todas essas condições citadas anteriormente

Laser nos tratamentos do rosto

Como se pode observar o laser é realmente a grande descoberta dos últimos tempos para o sucesso dos tratamentos dermatológicos, de maneira geral. Atualmente, existem lasers, considerados mais modernos que vem sendo utilizados para tratamentos de rejuvenescimento da pele do rosto ou resurfacing. Nesse tipo de laser a interação é feita com a água. A luz é jogada na pele e vai em busca da água. O processo é simples, pois o laser queima a pele através da vaporização da água.
Além disso, é um laser pulsátil, onde o tempo de pulso é menos, fazendo com que seja respeitado o tempo de relaxamento de determinada estrutura, com excelentes resultados. Ele só atinge o ponto que se deseja sem lesar a pele vizinha.

Mitos e Verdades

O laser, de qualquer tipo, nunca é completamente indolor. Existe um mito de que esta técnica não causa dor nem deixa marcas posteriores. Alguns são extremamente desconfortáveis sendo necessária a sedação do paciente. Em outros casos podem ser bem suportáveis. Eventualmente acabam deixando cicatrizes ou até mesmo quelóides.

“A grande vantagem do laser em relação a aparelhos que realizam cauterização é que o primeiro possui maior especificidade e só destrói a estrutura a que tem afinidade”. O número de aplicações necessária para o tratamento com esta tecnologia é determinado pelo médico. Para se ter uma ideia, uma tatuagem com 5 centímetros de tamanho demoraria aproximadamente entre 10 a 15 sessões para ser eliminada (1 vez por semana).

A última geração de lasers é voltada para os tratamentos estéticos. Este tipo, em geral, tem como fonte de energia o C02 (gás carbônico) e um sistema pulsátil para menor agressão da pele. Existem várias marcas e nomes destes tipos de laser, largamente indicadas para a realização de “peelings” e tratamentos de rugas mais profundas. “Apesar de ser muito eficaz no tratamento contra o envelhecimento da pele, este laser requer anestesia e possui um custo bem elevado”, comenta a médica.

A luz aplicada em todo o rosto, uma ou mais vezes, pode ser feita somente ao redor dos olhos ou da boca, ocorrendo assim, uma espécie de queimadura muito superficial mas, com reação inflamatória intensa. A recuperação demora aproximadamente 15 dias.

O laser “Ultra Pulse” está neste grupo, assim como o “Silk Touch“. “Esta tecnologia também tem indicações precisas e não deve ser encarada como fonte da juventude”, adverte a dermatologista.
Em relação a alguns tratamentos, o laser é a melhor opção como no caso de tatuagens, porém em outros, como verrugas ou manchas senis, existem recursos tão eficazes quanto ele, e mais baratos.

Os avanços do laser nos tratamentos dermatológicos

Com o advento do laser, nos tratamentos dermatológicos, uma nova luz no fim do túnel surgiu para aquelas pessoas que buscavam recursos mais precisos e rápidos para eliminar diferentes lesões de pele.

Antes de falarmos das diversas aplicações do laser, vale mencionar o significado da palavra que define bem a sua ação: Ligth, Amplification, by the Stimulated Emission of Radiation, ou seja, trata-se de uma luz estimulada por emissão de radiação.

A grande característica do laser, que o diferencia de outros aparelhos para tratamentos de pele, é que ele tem a possibilidade de ser específico. Até então, os outros aparelhos utilizados nos tratamentos dermatológicos (bisturí elétrico ou os aparelhos que queimavam a lesão a frio), queimavam a lesão – manchas, verrugas, etc-, de uma forma não específica, pois atingiam a área em volta dela, constituindo-se num grande problema para os dermatologistas. Justamente por isso, esses métodos não eram indicados nos tratamentos em crianças, porque agrediam os tecidos em volta das lesões.
Já o laser trabalha através de um método denominado fototermólise seletiva, a luz vai interagir especificamente com uma cor chamada cromóforo. Pode-se citar como exemplo, o caso de hemangiomas (manchas vermelhas que aparecem ao nascimento), onde o laser procura o pigmento vermelho atingindo somente a lesão, não atingindo a pele vizinha. No caso de manchas escuras, provocadas por melanina, a luz agride o pigmento marrom provocando menos reação e menor tempo de recuperação.

Pesquisar

Entre em contato

Preencha o formulário abaixo e em breve entraremos em contato para oferecer mais informações:


Clínica Denise Steiner. Dermatologia | 2017. Todos os direitos reservados
Desenvolvido por &