Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia

:: Dermatologia Estética

Estrias

As estrias são cicatrizes que surgem em várias áreas do corpo, tanto em homens como em mulheres. Elas são mais prevalentes no sexo feminino e estão diretamente relacionadas a períodos de alterações hormonais, como a puberdade, gestação e obesidade. Outras condições como Síndrome de Cushing, Síndrome de Marfan, diabetes, tuberculose e lúpus eritematoso têm sido relacionadas com o aparecimento de estrias.
Embora não prejudiquem a saúde, causam forte impacto na auto-estima do individuo comprometido.

ETIOLOGIA:

Na puberdade, as alterações hormonais relacionadas à adrenarca, com participação importante do cortisol, podem levar ao aparecimento de estrias.
Na gestação, os próprios hormônios da gravidez, associados ao estiramento da pele e ao ganho de peso levam à formação de estrias. É interessante ressaltar, que as estrias são mais freqüentes nas gestantes adolescentes quando comparadas a mulheres adultas grávidas, nesta situação em decorrência da soma de componentes hormonais nas adolescentes grávidas.
Além destas condições fisiológicas, há outros fatores que desencadeiam a formação de estrias, como ganho de peso, o uso de corticóides sistêmicos e tópicos, e o aumento abrupto da massa muscular, observado em pessoas que se submetem a uma hipertrofia muscular rápida, acompanhada de distensão importante da pele.

CLASSIFICAÇÃO:

VERMELHAS: são as chamadas estrias recentes. Normalmente na sua fase inicial, as estrias apresentam-se avermelhadas ou arroxeadas, e vão gradativamente assumindo a coloração branca, podem ser precedidas de prurido no local de aparecimento.

BRANCAS: são as estrias antigas, que já não apresentam reação inflamatória.

ATRÓFICAS: apresentam-se deprimidas em relação à superfície da pele.

HIPERTRÓFICAS: fazem relevo com relação à superfície da pele.

LOCALIZAÇÃO:

Quanto à localização, na puberdade, normalmente acometem a face lateral dos quadris e coxas, e em alguns casos, a região lombar.

Na gestação, geralmente se distribuem no abdome, circundando a cicatriz umbilical, podendo acometer também a região glútea, coxas e flancos, quando a gestação é acompanhada de ganho excessivo de peso.
Observa-se predileção pelo aparecimento de estrias nas áreas de maior acúmulo de tecido adiposo, principalmente a gordura característica das formas ginóides.

A obesidade ou o ganho de peso também se associa ao aparecimento de estrias. Alterações hormonais apresentadas nestes estados e a distensão da pele são as responsáveis.

HISTOLOGIA:
A histologia das estrias inclui uma atrofia epidérmica, acompanhada de retificação das papilas dérmicas e alterações das fibras colágenas e elásticas, as quais diminuem em número e passam a assumir uma orientação paralela com relação à epiderme.

As estrias vermelhas ou recentes são acompanhadas de um processo inflamatório inicial, observando-se elastólise, degranulação de mastócitos e macrófagos ao redor de fibras elásticas fragmentadas.
Portanto, tem-se uma reorientação de fibras elásticas e colágenas, redução da fibrilina, condensação das fibras colágenas e fragmentação das fibras elásticas, não sendo as estrias cicatrizes verdadeiras.

TRATAMENTO:

O tratamento das estrias não é simples, uma vez que ainda não existe nenhum método capaz de resolvê-las por completo. Por isso, é muito importante que os pacientes sejam orientados sobre os resultados que podem ser obtidos, uma vez que a expectativa costuma ser a cura.

As estrias causam impacto em homens e mulheres comprometidos, pois há uma associação com a perda da beleza e rejeição.

As mulheres em especial se sentem feias não desejadas e perdem a auto-estima. O médico além de estar atento as estes aspectos, acolhendo a queixa da paciente, deve procurar ajudá-la a prevenir essa manifestação.
Usar hidratante, em especial nas áreas mais susceptíveis parece contribuir na prevenção das estrias. O momento ideal para utilizar o hidratante é após o banho, quando a pele está limpa e receptiva a penetração do produto.

Tretinoína: a tretinoína tópica pode ser utilizada numa concentração de 0,1 a 1%, promovendo uma melhora da pele do local e atenuando a diferença entre as estrias e a pele normal. Deve ser usada por um período de pelo menos 6 meses, associada com hidratantes potentes para controle da irritação.
Sabe-se que a tretinoína melhora a produção de colágeno e fibras elásticas, promovendo certa reorganização nestas fibras.

Peelings Superficiais: peelings seriados podem ser realizados, com intervalos semanais, sempre respeitando a irritação da pele do local. O peeling não deverá ser feito se a pele estiver muito irritada, podendo então ser quinzenal. Normalmente são feitas de 5 a 10 sessões.

Produtos:

Tretinoína: 1 a 5%
Solução de Jessner
Ácido glicólico: 70%

Dermabrasão: a dermabrasão também constitui técnica válida, promovendo estímulo para a reorganização dos tecidos da estria. Deve ser feita muito suavemente, sem provocar sangramento, com lixa de diamante, a intervalos semanais. Geralmente é associada à intradermoterapia.

Subcisão: a subcisão é uma técnica invasiva realizada com anestesia local. Utiliza-se agulha especial (Nokor), que é introduzida a nível dérmico. Realizam-se movimentos circulares e de “vai-e-vem”, suaves, com o intuito de causar hematoma local. O estímulo mecânico do movimento da agulha e a reorganização deste hematoma determinarão uma nova organização do tecido tratado. Esta técnica é especialmente útil para estrias largas e deprimidas.

As pacientes devem ser orientadas sobre as equimoses e hematomas que permanecem por período variável de 20 a 40 dias. Além disso, precisarão ficar afastadas das atividades físicas por pelo menos uma semana e não se expor ao sol enquanto tiverem com hematomas e equimoses.

Luz Pulsada e Laser: a utilização de luz pulsada ou laser no comprimento de onda de 530 a 570nm, para tratamento de estrias vermelhas tem mostrado bons resultados. A luz atinge o pigmento específico, destrói o mesmo pelo calor e diminui o processo inflamatório.

Utilizam-se parâmetros para tratamento de lesões vasculares, cujo alvo é a hemoglobina. As sessões são semanais ou quinzenais, num total de 5 a 10 sessões. É desejável que ocorra eritema no local, entretanto devem-se evitar parâmetros mais intensos que provoquem bolhas.

Laser Fracionado: hoje uma nova técnica utilizando a fototermólise fracionada é muito promissora no tratamento de estrias profundas e brancas.

Este laser com comprimento de onda 1540-1550 cria microzonas de injúria térmica que através do processo de cicatrização promove produção de colágeno novo.

O fracionamento permite que permaneçam colunas que fiquem intactas e colunas justapostas que sejam agredidas. Desta forma a cicatrização é mais rápida e efetiva.
Neste caso são realizadas de 4 a 6 sessões com intervalo de 3 semanas, a área fica avermelhada durante alguns dias. Evitar o sol e utilizar hidratante 2 vezes ao dia são medidas importantes no pós-operatório.
Há também um laser específico de comprimento de onda 308nm que promove a pigmentação nas estrias brancas.

As sessões são realizadas com a avaliação da dose eritematosa mínima, sendo necessárias cerca de 20 a 30 sessões para ocorrer à pigmentação efetiva.

Hoje os resultados do tratamento das estrias têm sido bem mais efetivos do que há 5 anos atrás.
No entanto medidas preventivas como controle de peso com uma alimentação equilibrada, correção de alterações hormonais e também hidratação devem ser preconizadas.

Dra. Denise Steiner

 

 

voltar

2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados
2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados