PEELING DE FENOL

O peeling de fenol é um procedimento estético que promove a melhora das rugas e da flacidez. Apesar de não ser considerado uma cirurgia plástica, ele chega até a derme reticular (a camada mais profunda da pele), envolvendo a troca de várias camadas e, por isso, necessita de acompanhamento médico. Seus resultados, porém, são bastante expressivos, melhorando a aparência da pele foto envelhecida. 

O peeling de fenol é o mais profundo de todos os peelings, enquanto outros só conseguem resultados mais superficiais e menos expressivos, sendo conhecido também, como peeling profundo e fórmula de Baker. 

Por se tratar de um tratamento muito agressivo, o peeling de fenol é indicado às pessoas com reais necessidades, que tenham rugas profundas e que sofreram muito com os efeitos do foto envelhecimento – alterações decorrentes da ação da radiação solar sobre a pele. 

O paciente precisa ser previamente avaliado, pois o fenol é uma substância tóxica, especialmente para pessoas com problemas cardíacos, hepáticos e insuficiência renal. Por essa razão, esse peeling precisa ser realizado por médicos dermatologistas experientes. Durante o procedimento, o paciente é acompanhado de perto, a fim de impedir qualquer tipo de complicação. Portanto, o ideal é realizar uma avaliação médica para saber se o paciente tem o perfil indicado para este tipo de tratamento. 

Os preparativos para o procedimento devem ter início um mês antes, com aplicação de um crime à base de ácido retinoico e hidroquinona. É preciso tomar cuidado extra com a radiação solar, evitando expor-se ao sol sem a proteção adequada, que consiste em protetor solar com fator maior ou igual a 50. Além disso, é necessário tomar uma medicação antiviral por via oral antes de realizar o procedimento, pois o peeling favorece o aparecimento de herpes simples.  

O tempo estimado de duração da aplicação do peeling de fenol é de 2 horas. O produto é aplicado em áreas chamadas de unidades anatômicas; então espera-se 20 minutos para aplicar em outra área e assim por diante. Isto porque é em 20 minutos que o fenol é metabolizado. O frost (mudança de cor) é imediato. Este frost é causando pela coagulação, com ação imediata. São passadas várias camadas do produto, e então, uma máscara oclusiva, que tem propriedades calmantes é colocada sobre a pele. 

Logo depois da aplicação, o paciente deve fazer uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios nas primeiras 12 a 24 horas. Depois, é necessário manter a pele limpa, hidratada e protegida, evitando a exposição solar. É interessante manter uma alimentação saudável – de preferência com suplementos que ajudem a evitar a queda de imunidade e o surgimento de infecções oportunistas, lembrando que, após a descamação da pele e reepitalização, pode permanecer vermelha por um longo período. A recuperação total após o peeling ocorre em até três meses e os resultados do tratamento podem levar até seis meses para aparecer. 

É fundamental realizar o procedimento somente com dermatologistas e cirurgiões plásticos por serem os profissionais preparados para tratamentos estéticos que envolvem agressão à pele, e vale mencionar que existem alternativas menos agressivas quando se trata de problemas mais leves. 

O peeling de fenol ficou conhecido pelos resultados apresentados, pois um  único procedimento promove melhora intensa de rugas profundas e flacidez  e, mesmo sem necessidade de intervenção cirúrgica, é capaz de rejuvenescer a pele em mais ou menos 20 anos, recuperando a cor, os contornos, tônus e luminosidade. Mas, por outro lado, o tratamento ainda é doloroso, exige muitos cuidados e acompanhamento médico, e a recuperação é lenta.

Ácido Hialurônico / Preenchimento

A procura por tratamentos para melhorar a pele envelhecida é sempre crescente, visto que a aparência agradável e bonita está relacionada à autoestima e sucesso profissional e social.

Uma das opções de tratamento facial para melhorar a aparência e também proporcionar melhor contorno e volume na face é o PREENCHIMENTO.

Recentemente ocorreu a morte de uma modelo, que foi associada ao preenchimento com o ácido hialurônico. É importante ressaltar que o procedimento com ácido hialurônico é seguro e certamente não ocasionou a morte da modelo. Esse fato traz à tona novamente, a importância de realizar procedimentos com profissionais qualificados para tanto, em clínicas especializadas, que trabalham com produtos aprovados pela Anvisa.  

O fato é que ninguém morre de aplicação por ácido hialurônico, que é o preenchedor mais usado e conhecido no mundo. Milhões de pessoas foram e são tratadas com esta substância, sendo que, o índice de complicações não atinge 1% em todos os países onde o produto é utilizado, ao longo de quase trinta anos de existência.

Vale a pena conhecer um pouco da história deste produto, o ácido hialurônico, para entendê-lo melhor.  

Os primeiros preenchedores foram utilizados e aprovados em 1996 na Europa, sendo que o ácido hialurônico foi um dos primeiros. Ele consiste em um complexo natural de açúcar que retém água em grande quantidade e que já existe nos organismos vivos. Trata-se de uma cadeia linear de polissacarídeos e glucosamina, ocorrendo em grande quantidade na matriz do tecido conectivo da pele. Traduzindo, a pele do ser humano está repleta de moléculas de ácido hialurônico que ajudam na hidratação e tonicidade da pele. O ácido hialurônico natural é metabolizado em 24 – 48 horas, sendo novas moléculas produzidas e destruídas constantemente pelo organismo.  

No princípio, o ácido hialurônico era extraído de animais, porém mais recentemente o processo da sua produção é por bactérias específicas que produzem o mesmo tipo de ácido hialurônico existente na pele humana. Esse produto é purificado e passa por um processo de cross link ou reticulação, que significa promover uma modificação química na molécula, deixando suas cadeias mais firmes para que haja uma permanência e duração maior na pele.  

O ácido hialurônico hoje é produzido com várias concentrações, nível de reticulação e densidades diferentes. Ele não é permanente e vai durar cerca de 1 ano. Deve ser evitado em pessoas com tendência a alergia ou choque anafilático, aqueles que tomam medicações anticoagulantes, aqueles que tenham doenças autoimunes, ou medo demasiado de agulha.

Desde o início de seu uso, sua indicação só tem aumentado, podendo ser usado no lóbulo da orelha, para melhorar a olheira, corrigir defeitos nasais, sulcos, rugas, contorno e volume facial, trazendo resultados muito positivos, com melhor qualidade de vida às pessoas. 

A aplicação deve ser feita por médicos especializados e esse é o ponto crucial do processo, pois este especialista precisa conhecer precisamente a anatomia da face. Além disso, o médico dermatologista tem que dominar a indicação mais correta do produto, evitando a aplicação em determinadas situações.  

Portanto, a escolha do profissional médico para o procedimento, em clínica especializada, que siga corretamente as determinações do órgão regulador, Anvisa, continuam sendo determinantes.