REPERCUSSÕES DA OBESIDADE NA PELE

A maioria dos textos médicos e leigos ressalta a associação da obesidade e de colesterol (além do LDL – Low Density Lipid – gordura de baixa densidade), que propicia aparecimento da doença cardiovascular arterosclerótica.

faca-as-pazes-com-a-balanca

Contudo, o aumento dessas substâncias interfere, também, em outros sistemas do corpo humano, em especial no seu maior órgão em extensão: A PELE e seus anexos (cabelos e unhas).

Cabe destacar que qualquer indivíduo com 20% a mais de seu peso ideal deve ser considerado obeso e isso certamente interfere na pele, tanto quando se trata de homens, quanto de mulheres. No caso das mulheres há, ainda, uma associação mais negativa, quando está ligada ao período do climatério, onde as alterações hormonais são mais evidentes.

A concentração de gordura em certas regiões do corpo como nas pernas, por exemplo, associada ao peso, provoca uma dilatação nos vasos sanguíneos e, além disso,há o risco de entupimento ocasionado pela deposição de gordura na parede das artérias, o que leva o aparecimento de varizes e, eventualmente, de tromboses.

Outro problema comum nas pessoas obesas é o aparecimento, na área do pescoço e axilas, de lesões de pele pedunculares, chamadas fibromas moles ou acrocórdons, que são semelhantes as verrugas. Para eliminar esse tipo de lesão o dermatologista utiliza-se do procedimento cirúrgico, através de aparelhos eletrônicos que emitem radiação, como é o caso do laser.

Os quilos extras causam, também, uma diminuição da globulina transportadora de esteroides sexuais (hormônios) – “SHGB” – levando a um aumento de testosterona livre, criando um terreno favorável para a pele oleosa, a acne e o hirsutismo – aumento de pelos no corpo das mulheres.

Outra ocorrência ocasionada pelo excesso de testosterona circulado pelo corpo é o escurecimento das axilas, virilhas e de outras áreas onde existem dobras.

O peso além do normal pode provocar também nas mulheres um aumento dos seios causando, como consequência, além de problemas na coluna dorsal, um estiramento excessivo da pele, levando ao aparecimento de estrias, que podem surgir também em outras partes do corpo. No caso das estrias, há vários tratamentos que devem ser indicados pelo dermatologista.

Ainda com relação aos problemas de pele ligados à obesidade pode-se citar o fato de que a região que fica entre os dedos e a área localizada sob os seios tende a descamar, com mais facilidade, tornando-se suscetível ao aparecimento de micoses (tinhas).

Problemas de cabelo relacionados ao aumento de peso 

Atualmente, tem-se conhecimento que a calvície – uma das grandes preocupações dos homens em geral -, é causada por uma miniaturização dos pelos do couro cabeludo devidoà ação da dihidrotestosterona, que é um metabólito da testosterona, cujo aumento na circulação depende, em muito, do colesterol.

Pesquisadores do Inaba Hair Institute de Tóquio, Japão, publicaram um trabalho onde consta quegrande número de japoneses calvos que surgiram, após a 2 Grande Guerra, foi devido à ocidentalização da alimentação naquele país.

A dieta da Terra do Sol Nascente do pós-guerra inclui muito mais gordura animal, o que ocasionaria um aumento dos níveis de colesterol, da produção de glândulas sebáceas e do excesso de oleosidade no couro cabeludo.

Outro problema que pode ocorrer é um encarceramento da haste do cabelo, porque o folículo piloso, por onde o cabelo cresce, fica “selado” pela oleosidade.

Contudo, estudos recentes mostram também que quando o couro cabeludo é limpo, estes cabelosalgumas vezes, reaparecem com alguns centímetros de comprimento.

Obviamente não são os cabelos terminais (adultos) que ficam presos, mas, sim os fios novos, menores em diâmetro, que não conseguem preencher a abertura do folículo.

Isso tudo pode explicar a conclusão a que chegaram os pesquisadores japoneses do Inaba Hair Institute de que a calvície hereditária pode ser agravada, ou acelerada, por uma dieta rica em gordura animal.

MICROAGULHAMENTO

A técnica de microagulhamento está muito em voga nos últimos tempos. Esse procedimento, consiste em utilizar um pequeno instrumento chamado “roller”, que tem muitas agulhas que picam a pele, estimulando a reação da mesma. A medida que a pele é picada, ela reage e desencadeia uma resposta em cascata, com muitos elementos inflamatórios e hormônios do crescimento. Existem, portanto, dois estímulos importantes que ocorrem simultaneamente, sendo um deles a picadura na pele e o outro a reação fisiológica de produção de citoquinas acionadas para cicatrizar a pele.

Embora pareça simples, o procedimento precisa ser feito por médicos especialistas para evitar o trauma em áreas que possam ter pré-câncer de pele e o próprio câncer de pele. Isto porque, o trauma da picada e o sangramento, podem disseminar essas células malignas. Áreas inflamadas ou infectadas, também não podem ser picadas.

O microagulhamento pode ser indicado para várias alterações de pele, como cicatriz de acne, melasma, estrias e fotoenvelhecimento cutâneo. Em cada um desses casos será indicado um “roller” diferente com um número total de agulhas e também com tamanho diferente dessas agulhas. Nas cicatrizes de acne, que são mais fibrosas, usamos agulhas de 2,5mm, enquanto para tratamento do melasma, a agulha é de 1,5mm. O microagulhamento também pode ser feito na área das olheiras, onde usamos agulhas de 0,5mm. O procedimento irá gerar um sangramento maior ou menor e justamente esse sangramento, através das plaquetas, irá carregar os fatores de crescimento naturais, que são importantes para melhorar a qualidade da pele.

IMG_5112Para cada indicação do microagulhamento será indicado o número de sessões necessárias, que pode variar de 4 a 8, com intervalos de 2 a 4 semanas. Após o procedimento, podem ser usados princípios terapêuticos específicos para melhorar ainda mais a doença que está sendo tratada. No caso do melasma, pode ser usado ácido tranexâmico, enquanto no fotoenvelhecimento podemos utilizar vários ativos como a própria vitamina C. Vale lembrar que o ideal é que o produto utilizado seja estéril para evitar contaminação. O resultado pode ser notado após 8 a 10 dias. Em geral, a pele fica sensível por 3 a 4 dias, sendo necessário o uso de filtro solar.

Outra indicação interessante é o uso do microagulhamento no couro cabeludo, para melhorar a queda de cabelo. Nesse caso, podem ser usados ativos com a finasterida e minoxidil.

O microagulhamento sempre melhora muito a qualidade e saúde da pele. Esta é uma técnica simples, com preço muito acessível e com seus riscos específicos, porém muito promissora na área da dermatologia.