Preenchimento com realce em MD Codes

A novidade do curso de MD Codes realizado em Cancun foi principalmente realçar e enfatizar a importância da reestruturação facial e não somente o preenchimento de locais específicos.

No curso de preenchimento da Universidade de Mogi das Cruzes, que ocorreu nos dias 12 e 13 de maio de 2017, foram tratadas gratuitamente 14 mulheres, promovendo esta técnica, que além de levantar, harmoniza os contornos e previne a progressão da flacidez na face.

O procedimento sempre deve ser procedido de um histórico completo, avaliando possíveis riscos em relação ao mesmo. Deve ser evitada a escolha de pacientes com doenças autoimunes, como lúpus e dermatomiosite, assim como, também devem ser evitados pacientes em uso de drogas que possam provocar sangramento como ginkgo-biloba e vitamina E. No dia do procedimento, toda a maquiagem deve ser retirada do rosto que deve ser higienizado de forma rigorosa. O ambiente deve ser cirúrgico, com toda a assepsia compatível com o mesmo e o procedimento deve ser sempre realizado por médico. O conhecimento profundo da anatomia e áreas de risco é fundamental. O rosto deve ser avaliado de forma completa e os pontos de aplicação são então, definidos. Não há idade específica e mesmo pessoas mais jovens podem receber a aplicação de preenchedores para evitar a flacidez e a perda do tônus facial. Vejam algumas indicações em pessoas mais jovens:

Os pontos mais interessantes de levantamento localizam-se na área zigomática e na região temporal. Após a aplicação nesta região, as pacientes muitas vezes não precisam de maior quantidade de preenchedor no chamado bigode chinês. A grande novidade é aplicar na região do contorno facial e também na região do queixo, produtos que estimulam a formação de colágeno. Os produtos utilizados no momento são aprovados pela ANVISA e podem projetar a pele e/ou melhorar a quantidade de colágeno. A região do queixo e também a área da mandíbula são responsáveis, em parte, pela definição do contorno facial. Quando esse contorno é indefinido, perdemos a harmonia da face e, consequentemente, envelhecemos precocemente. Nesta área do contorno facial, pode ser aplicado tanto o ácido hialurônico, como a hidroxiapatita de cálcio. O produto é aplicado em pontos específicos do queixo dependendo da necessidade de cada um.

imagem blogAs 14 pacientes, com necessidades variadas, atendidas no Curso sobre preenchimento na Universidade de Mogi das Cruzes, tiveram através da técnica de MD Codes, o levantamento e harmonização facial. Mantendo os cuidados específicos com cremes adequados, o resultado é bastante satisfatório e duradouro. Esta técnica inovadora traz resultados naturais, com maior durabilidade e previne a progressão do envelhecimento.

Lifting de Pele

Eu gosto de estudar, aprender, evoluir e assim oferecer ao meu paciente resultados melhores naquilo que o aflige e incomoda sua autoestima.

Com o passar do tempo envelhecemos e precisamos cada vez mais, ajudar nosso organismo e a nossa pele a se proteger, neutralizar os danos, estimular a produção de fatores naturais e assim, promover um envelhecimento saudável.

Tive a oportunidade de estar num encontro cientifico sobre preenchedores e preenchimentos, conhecendo mais sobre este procedimento tão interessante, cientifico e mágico, que de maneira natural pode melhorar, reestruturar e rejuvenescer nossa aparência.

O preenchimento é uma técnica que utiliza substâncias compatíveis e aprovadas cientificamente, que são injetadas na pele para promover estímulo do colágeno, levantamento, e reestruturação da face. O preenchimento não é o “botox” ou uso de toxina botulínica, que age na musculatura, promovendo relaxamento e melhoria das rugas de expressão, mas sim um material compatível, colocado na pele, que tem capacidade de preencher, estimular e reestruturar.

Neste encontro realizado em Cancun, ficou claro que as técnicas de preenchimento têm evoluído cada vez mais e não significam mais colocar um produto num sulco ou numa ruga, mas sim, são técnicas de reestruturação da face, com pontos de sustentação que levantam e previnem o seu deslocamento. Podemos então dividir o preenchimento em três grandes funções: reestruturar, embelezar e prevenir a evolução do envelhecimento.

Fazendo uma analogia com uma casa, a primeira função significa arrumar e alicerçar a casa antes de decorá-la com objetos de arte mais sofisticados. Neste caso, vamos utilizar o produto em pontos estratégicos, que levantam e sustentam o rosto. Estes pontos configuram o segredo do MD Codes, ou códigos médicos de rejuvenescimento. cancun 3

A segunda função traz os objetos de arte especiais para a casa, ou seja, corrige e embeleza os lábios, projeta o queixo e preenche as olheiras profundas.

A terceira função, que é a mais importante e está relacionada a ajudar a pele e suas estruturas a suportar e reagir contra as agressões externas, sustenta a pele com mais colágeno e otimiza o processo.

O preenchimento é essencialmente uma ARTE, que parte da avaliação estética minuciosa do médico, observando as proporções, tendências, movimentos, estímulos e diferenças de gênero e raça, além da individualização e capacidade de beleza de cada ser humano.

O médico dermatologista, para preencher bem, necessita ter uma bagagem ampla de conhecimento cientifico que passa pela anatomia da face, fisiologia da pele e conhecimento dos produtos a serem utilizados para cada especificidade. Ele também precisa conhecer as doenças e contraindicações de cada organismo, além da capacidade de corrigir qualquer possível complicação advinda dessa aplicação. O resultado do preenchimento não tem absolutamente nada a ver com caricaturas ou rostos artificiais e marcados, mas sim com resultados naturais, preventivos e duradouros.

Portanto, é uma nova era que se inicia e que propicia reestruturação sem corte, sustentação sem cicatrizes, tonicidade com resposta da própria pele, naturalidade e prevenção, mas acima de tudo, harmonia com as funções fisiológicas da pele. Ficar bem após um procedimento de preenchimento não é ter o lábio ou o rosto da Angelina Jolie, mas ter o seu lábio no seu rosto de maneira mais harmoniosa e natural e com a capacidade de reagir de forma mais eficaz contra as agressões que levam ao envelhecimento.

cancun 4cancun

MEDICINA REGENERATIVA – NOVA FRONTEIRA NO TRATAMENTO DO ENVELHECIMENTO

Ao longo do tempo, muitas técnicas vêm sendo incorporadas para melhorar a aparência do envelhecimento cutâneo. Hoje, associando bons cosmecêuticos com procedimentos como peelings, preenchimento, toxina botulínica, lasers e radiofrequência, podemos conseguir ótimos resultados na prevenção e correção de sinais do envelhecimento.

Em relação aos peelings, favorecemos a troca celular, renovando o tecido; com alguns preenchedores, como a hidroxiapatita de cálcio, estimulamos a formação de colágeno novo através da ação específica do cálcio, e com vários lasers podemos conseguir também a formação de mais colágeno pelo calor que estes aparelhos emitem na profundidade da derme. Em meio a tudo isso, começa a ser vislumbrada uma nova fronteira no tratamento da pele envelhecida, que é a Medicina Regenerativa. Esta nova ciência, através de diversas tecnologias, tem seu início na própria resposta que a pele humana tem no processo cicatricial.

Quando a pele é cortada ou machucada, automaticamente começa um processo de cicatrização, que se inicia com a coagulação, onde as células sanguíneas trazem as citoquinas e fatores de crescimento para reconstruir o tecido, promovendo a neovascularização com formação de novas células e novo colágeno. Baseado no conhecimento das reações reconstrutivas do próprio organismo, começam a ser exploradas técnicas e procedimentos que utilizam o arsenal da medicina regenerativa como:

* Fatores de Crescimento

* Células Tronco

* Plasma Rico em Plaquetas

* Tecidos Reconstrutivos como a Pele sintética

FATORES DE CRESCIMENTO: São proteínas que circulam em nosso organismo e são estimuladas ou neutralizadas, conforme são acionadas por uma intricada rede de receptores, expressões genicas e estímulos hormonais. O fator de crescimento, por exemplo endotelial vascular, induz a vasculogênese e angiogênese. Esse fator é um dos mais importantes na cicatrização de tecido e na pega dos retalhos e enxertos.

O uso clínico de fatores de crescimento, iniciou nos anos 90 e em 2002 o FDA (Food and Drug Administration) aprovou o uso de fatores recombinantes como BMP-2 e BMP-7 para uso em cirurgias de medula e ortopedia. Em relação ao envelhecimento cutâneo, os fatores de crescimento têm sido incluídos em cremes e também usados de forma injetável para estímulos específicos.

PLASMA RICO EM PLAQUETAS: Esta técnica, muito utilizada na Europa e nos Estados Unidos, preconiza o uso da fração rica em plaquetas do sangue do doador para ser utilizado para cicatrização e estimula a melhoria do colágeno da própria pele. O sangue do indivíduo a ser tratado é colhido e centrifugado, separando a parte amarela das plaquetas, que é rica em fatores de crescimento. Esta fração, de acordo com cada protocolo, é aplicada no local a ser tratado, que pode ser uma ferida, queda de cabelo ou sulcos e rugas do fotoenvelhecimento.

blog 3

As proteínas contidas nesse plasma rico em plaquetas têm grande quantidade de fatores de crescimento como o fator de crescimento endotelial: esses fatores estimulam a produção de colágeno e a angiogênese, entre outros. Esta técnica, quando realizada com protocolo adequado, tem um grande potencial para a dermatologia e para cirurgia plástica.

CÉLULAS TRONCO: São células com potencial de sofrer diferenciação em várias linhagens celulares. As células tronco adultas são multipotentes e podem se diferenciar em vários tipos celulares, ajudando na recuperação de transplante de medula e regeneração de ossos, entre outros. Nas células do tecido adiposo, colhidas após uma lipoaspiração, existem células tronco adultas, que têm potencial de melhorar o aspecto do fotoenvelhecimento.

Na dermatologia e na cirurgia plástica essas células podem ser separadas após a centrifugação das células gordurosas retiradas da lipoaspiração e, como carregam consigo as células tronco mesenquimais, podem ser utilizadas em várias técnicas de tratamento. Os trabalhos como essa técnica ainda são incipientes, mas podem vir a ser bastante interessantes para melhorar a qualidade do tecido. Nossa publicação “Fração vascular estromal, uma nova terapêutica no fotoenvelhecimento: estudo comparativo e controlado” publicado na Revista Surgical And Cosmetic Dermatology, mostra a comparação entre a aplicação de um preenchedor e a aplicação das células mesenquimais pós lipoaspiração. Nos pacientes que foram tratados com as células tronco mesenquimais, obtivemos o mesmo resultado dos pacientes tratados com preenchedor, porém com duração bem maior que o primeiro.

As técnicas de medicina regenerativa hoje são utilizadas para acelerar a cicatrização de feridas, tratamento da calvície, estimulando o crescimento de mais fios, e no o tratamento de sulcos e rugas de expressão.

Essas técnicas vêm sendo cada vez mais estudadas e mais protocolos científicos estão sendo computados para torná-las parte do arsenal do dia a dia, para tratamento do envelhecimento cutâneo. A pele, como o maior órgão do corpo humano e com várias e complexas funções, é sem dúvida um das protagonistas nessa nova fronteira científica.

OLHEIRAS

As olheiras representam alterações de relevo e cor que ocorrem na área abaixo dos olhos. A verdadeira ou única causa desta alteração não existe, pois trata-se de uma combinação de fatores, que acabam provocando as olheiras propriamente ditas. Vale lembrar que elas são muito perturbadoras em relação a qualidade de vida, sendo que, para escondê-las, vale tudo, desde óculos escuros, até vários tipos de maquiagem corretiva.

Existem muitos tipos de olheiras e, portanto, o diagnóstico e a especificação são cruciais para escolher o melhor tratamento. A seguir vamos enumerar essas variações para entender a escolha terapêutica.

Olheira por pigmentação vascular, geralmente ocorre em pessoas jovens com pele fina, que por transparência permite a visualização dos vasos, deixando a área bem escurecida. Esse tipo de olheira ocorre com frequência em certos povos, como árabe e mediterrâneo. Neste tipo de olheira, usamos alguns lasers que destroem os vasos. São necessárias de 3 a 6 sessões, com intervalo quinzenal e o resultado final ocorrerá somente após 3 a 4 meses. A olheira em pessoas jovens também pode ocorrer devido a conformação da face, que apresenta o olho afundado, repercutindo sombras escurecidas. Neste caso, o tratamento é feito com preenchedor para diminuir esse degrau e melhorar a aparência da olheira. O ácido hialurônico, com menos viscosidade, é usado em pequenas quantidades e a duração é de cerca de 2 anos. O procedimento é feito com anestesia local e uso de cânula, que evita o aparecimento de hematomas.

Outro tipo de olheira muito frequente é aquele que combina alteração de cor, tanto do pigmento melanina, como pigmento vascular, com flacidez. Nesse caso usamos peelings e também a radiofrequência microagulhada. O peeling pode ser médio (ácido tricloroacético)  ou profundo (fenol) e irá provocar descamação com clareamento e tonificação da pele. O peeling médio e profundo é feito 1 ou 2 vezes e a recuperação da pele demora cerca de 10 dias. A radiofrequência microagulhada, é um aparelho que emite uma onda de calor associada à puntura das microagulhas. Trata-se de uma ponteira, que quando entra em contato com a pele fura e ao mesmo tempo emite calor. Esse “furo” das agulhas é microscópico, sendo que a pele fica edemaciada e vermelha por 4 a 5 dias.

Existem pessoas com olheiras que apresentam bolsas de gordura, escurecimento e flacidez. Nesses casos, além da radiofrequência e do laser para os vasos, também podemos utilizar o ultrassom microfocado. Este aparelho emite ondas de calor que atingem a profundidade da pele, melhorando a flacidez e diminuindo o excesso de gordura.

Os cremes para o tratamento das olheiras não conseguem eliminá-las, mas sim, melhorar a qualidade da pele e também promover um grau de clareamento. São usadas vitamina K, C, E, ácido tranexâmico, ácido tioglicólico, além de hidratantes e corretivos.

A olheira é um grande desafio para o médico e o paciente.

Como lição final deste texto, lembrar da importância do diagnóstico do tipo de olheira, pois este vai definir o melhor tratamento possível para cada caso.

PREENCHEDORES – DESVENDANDO CÓDIGOS MÉDICOS

É sempre bom lembrar que a saúde e beleza são interdependentes, pois, a autoestima é um grande reforço emocional. Sendo assim, não existe saúde sem beleza ou beleza sem saúde.

Tive o privilégio e oportunidade de estudar cosmiatria muito antes de haver tantos recursos e tecnologias avançadas à disposição do tratamento facial e com isso, acompanhei o momento em que olhávamos para um sulco ou uma determinada ruga e ficávamos satisfeitos em resolver esse problema pontual. Essa técnica foi se aperfeiçoando e hoje conseguimos enxergar o rosto de maneira tridimensional, antevendo a prevenção que os resultados desse procedimento pode alcançar. Isso significa que um rosto deve ser avaliado por completo, passando pelas proporções, detalhes, volume, contorno e até assimetrias. Também é importante avaliar o sorriso e a movimentação de cada face nos seus detalhes especiais. Outro dado interessante, é a avaliação de fotografias mais antigas para observar que diferenças especificas estão ocorrendo com o passar do tempo. É por isso que este procedimento, chamado preenchimento, não é uma simples técnica, mas sim um tratamento global, carregando consigo conceitos de beleza, harmonia e saúde.

Os pontos mais interessantes e uteis para aplicação de preenchedores são aqueles localizados no arco zigomático e na projeção da mandíbula. Quantidades entre 0,1 e 0,3ml em cada lado do rosto, nestes pontos específicos, provoca um levantamento substancial, evitando muitas vezes a necessidade de aplicar no sulco nasogeniano ou em uma ruga ao redor da boca. Outro local não valorizado, porém crítico em relação ao envelhecimento facial é o queixo. Muitas vezes o rosto afina abruptamente, outras o queixo não tem projeção e quase todas as pessoas ao envelhecer projetam o queixo para baixo e para trás quando sorriem. Essas movimentações sutis e constantes, que muitas vezes não são percebidas, são como areia movediça num alicerce de uma construção. Sendo movediça, essa base faz com que o rosto vá literalmente desabando. Por isso, é interessante que o queixo tenha sustentação, formato e projeção bem definidos para evitar o envelhecimento e flacidez precoce.

Embora o custo do preenchedor possa ser uma limitação, é interessante observar que sua utilização previne a flacidez e a perda de contorno, além de harmonizar e levantar, sem a necessidade de anestesia geral e também sem cicatrizes. Os materiais utilizados devem ser de procedência idônea, aprovados pela ANVISA e de preferência pelo FDA e podem ser o ácido hialurônico e a hidroxiapatita de cálcio. Conhecer o produto em detalhe, tanto sua característica física, química, potencial alérgico, como o tipo de reticulação.

O plano que cada preenchedor deve ser aplicado é muito importante, assim como o local da face. Nessa linha de raciocínio, a hidroxiapatita de cálcio deve ser evitada nos lábios e olheiras. Escolhendo o melhor custo/benefício em relação ao tipo de preenchedor e também em relação a indicação de cada paciente, com certeza teremos uma enorme gratificação com nossos resultados. preenchimento-2

MD Codes™ de preenchimento facial

As alterações que ocorrem durante o envelhecimento são cada vez mais compreendidas e estudadas. Hoje sabemos que nossos telômeros encurtam e nossas células são constantemente oxidadas. Além disso, ocorre desgaste do processo de restauração, pois as células tronco também sofrem exaustão.

Hoje, baseado em conhecimentos científicos, são oferecidos vários recursos, que melhoram a aparência, e, portanto, também elevam a auto estima. Dentre os inúmeros recursos para preservar a juventude da pele e do rosto, contamos com as técnicas de preenchimento que devolvem volume e harmonizam a face.

Tudo começou com preenchimento dos sulcos e das rugas, passando pela reposição de volume e restauração do contorno, até chegar na reestruturação. Atualmente não só pensamos em 3 dimensões, como também em pontos de sustentação, além de vetores de levantamento, que favorecem o aspecto de harmonia de cada rosto.

Nesse contexto, é que está inserida a nova técnica denominada MD CodesTM, remetendo ao nome de códigos médicos. Esta técnica preconiza a avaliação global do rosto, com atenção as desproporções e perdas do tecido gorduroso, vazios e sombras e repercussões de movimentos de cada indivíduo. A partir desta avaliação completa, utiliza-se o preenchedor em determinados pontos, chamados códigos, que favorecem o levantamento facial e também reestruturam áreas já muito fragilizadas. Trata-se de técnica de preenchimento, utilizando-se o conhecido ácido hialurônico, porém com a criatividade de Oscar Niemeyer e o conhecimento técnico de Ivo Pitanguy. Cada caso deve ter o seu projeto, tanto técnico, como financeiro bem embasados no conhecimento da anatomia e fisiologia. Os códigos são referências especiais para esse tipo de tratamento e contribuem para um melhor entendimento do conjunto de estruturas que compõe a face humana.

As áreas envolvidas na aplicação dos MD Codes™ compreendem toda a região dos olhos, região malar, lábios, área do queixo e contorno facial.

Dependendo da situação, quando bem indicada e na hora certa, essa técnica pode equivaler a uma cirurgia plástica, preservando a anatomia e as proporções individuais, visando o rejuvenescimento global e não apenas localizado.

md codes

md codes II

Reflexões sobre a Beleza e Procedimentos

Podemos pensar que a beleza é universal e que todos querem ser bonitos de alguma forma. Os padrões podem variar, porém o desejo de estar melhor persiste dentro de cada ser humano. Não é a toa que em várias ocasiões de felicidade, quando as pessoas se casam ou se formam, encontram a  oportunidade para melhorar a aparência. Hoje, existem muitas possibilidades, mas as melhores estão ligadas mais a prevenção do que a correção.

Cada vez mais, podemos ajudar a construir uma aparência saudável, feliz e bonita. Porém, pagamos um preço, que é o da disciplina e do comprometimento com a nossa saúde e também com a nossa beleza. Não adianta acordar e querer uma transformação radical.  A mudança começa com cuidados diários, como protetor solar e hidratante, alimentação saudável e atividade física equilibrada. Dormir bem, ter momento felizes com amigos e família também ajudam na qualidade da pele. Por isso, dizemos que a beleza vem de dentro, com a ajuda do que vem de fora.

Existem preenchedores para sustentar, outros para estruturar e ainda outros para apagar as linhas muito finas e suaves. Utilizar preenchedores para melhorar e conservar a aparência,é uma arte que precisa ser realizada por mãos especializadas. O primeiro passo para fazer um preenchimento ideal é conhecer profundamente a anatomia da face que é bastante complexa, com artérias, músculos, vasos, nervos e gordura se entremeando numa estrutura perfeita. A segunda questão é a capacidade de enxergar a beleza, com suas proporções e segredos velados. Não basta preencher, é preciso conhecer as expectativas e desejos do seu paciente. O grande segredo hoje em dia é enxergar seu paciente, avaliando as suas  luzes e sombras e torna-las mais bonitas, de forma sutil, agradável e saudável.

O interessante é observar a evolução que houve em relação as técnicas de preenchimento. Antes, um sulco ou ruga era corrigido e hoje pensamos na sustentação, levantamento e harmonia da face. A região das têmporas e superior da sobrancelha tem sido mais explorada. Essa região perde tecido e deixa o rosto muito cadavérico, marcando as reentrâncias ósseas. Hoje preenchemos a região temporal prolongando na parte superior da sobrancelha, promovendo maior naturalidade. O nariz também pode ser corrigido com pequenas quantidades de preenchimento. Toda região periorbitária superior e inferior também podem ser tratada com preenchedor correto e rejuvenescer, além de melhorar o aspecto dos olhos cansados. O lábio merece definição e pequenos realces nos pilares para promover  harmonização com a região inferior do nariz.

A atitude do médico com o paciente (estético) tem que ser de protagonista e não de expectador. Longe da arrogância, mas sim com a intenção de corrigir algo que ao longo do tempo, com muito estudo e ciência ele aprendeu a conhecer. Sendo assim, o preconceito e medo sobre a técnica diminuem à medida que o conhecimento e as regras corretas evoluem. Conheça e entenda sua indicação, tratamento, tire suas dúvidas e tenha segurança.  

Tópicos importantes:

1-Pontos de sustentação são mais importantes do que o preenchimento em si.

2- Observar mais o formato, as tendências e a movimentação de cada paciente.

3-Planejar minuciosamente cada etapa.

4-O preenchimento da região temporal, próximo da sobrancelha, faz diferença no contexto geral no rosto.

5-Preenchimento na área dos olhos, embaixo e em cima, pois anima e rejuvenesce os olhos.

6-Queixo pode ser projetado com suavidade, harmonizando o rosto.

7-Voluma é muito mais usado.

8- O preenchimento de olheiras pode ser mais profundo, pois além de rejuvenescer o olhar, tem maior duração.

9-Tenha sempre uma boa razão e explicação e tudo dará certo!

Ácido Hialurônico / Preenchimento

A procura por tratamentos para melhorar a pele envelhecida é sempre crescente, visto que a aparência agradável e bonita está relacionada à autoestima e sucesso profissional e social.

Uma das opções de tratamento facial para melhorar a aparência e também proporcionar melhor contorno e volume na face é o PREENCHIMENTO.

Recentemente ocorreu a morte de uma modelo, que foi associada ao preenchimento com o ácido hialurônico. É importante ressaltar que o procedimento com ácido hialurônico é seguro e certamente não ocasionou a morte da modelo. Esse fato traz à tona novamente, a importância de realizar procedimentos com profissionais qualificados para tanto, em clínicas especializadas, que trabalham com produtos aprovados pela Anvisa.  

O fato é que ninguém morre de aplicação por ácido hialurônico, que é o preenchedor mais usado e conhecido no mundo. Milhões de pessoas foram e são tratadas com esta substância, sendo que, o índice de complicações não atinge 1% em todos os países onde o produto é utilizado, ao longo de quase trinta anos de existência.

Vale a pena conhecer um pouco da história deste produto, o ácido hialurônico, para entendê-lo melhor.  

Os primeiros preenchedores foram utilizados e aprovados em 1996 na Europa, sendo que o ácido hialurônico foi um dos primeiros. Ele consiste em um complexo natural de açúcar que retém água em grande quantidade e que já existe nos organismos vivos. Trata-se de uma cadeia linear de polissacarídeos e glucosamina, ocorrendo em grande quantidade na matriz do tecido conectivo da pele. Traduzindo, a pele do ser humano está repleta de moléculas de ácido hialurônico que ajudam na hidratação e tonicidade da pele. O ácido hialurônico natural é metabolizado em 24 – 48 horas, sendo novas moléculas produzidas e destruídas constantemente pelo organismo.  

No princípio, o ácido hialurônico era extraído de animais, porém mais recentemente o processo da sua produção é por bactérias específicas que produzem o mesmo tipo de ácido hialurônico existente na pele humana. Esse produto é purificado e passa por um processo de cross link ou reticulação, que significa promover uma modificação química na molécula, deixando suas cadeias mais firmes para que haja uma permanência e duração maior na pele.  

O ácido hialurônico hoje é produzido com várias concentrações, nível de reticulação e densidades diferentes. Ele não é permanente e vai durar cerca de 1 ano. Deve ser evitado em pessoas com tendência a alergia ou choque anafilático, aqueles que tomam medicações anticoagulantes, aqueles que tenham doenças autoimunes, ou medo demasiado de agulha.

Desde o início de seu uso, sua indicação só tem aumentado, podendo ser usado no lóbulo da orelha, para melhorar a olheira, corrigir defeitos nasais, sulcos, rugas, contorno e volume facial, trazendo resultados muito positivos, com melhor qualidade de vida às pessoas. 

A aplicação deve ser feita por médicos especializados e esse é o ponto crucial do processo, pois este especialista precisa conhecer precisamente a anatomia da face. Além disso, o médico dermatologista tem que dominar a indicação mais correta do produto, evitando a aplicação em determinadas situações.  

Portanto, a escolha do profissional médico para o procedimento, em clínica especializada, que siga corretamente as determinações do órgão regulador, Anvisa, continuam sendo determinantes.