PEELING DE FENOL PARA TRATAMENTO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO

Cada vez mais surgem tecnologias inovadoras para o tratamento do envelhecimento. No entanto, é interessante reforçar o potencial de certos procedimentos, que não são tão novos, porém são muito eficazes. Dentro desse grupo, está o peeling de fenol, que é utilizado para o tratamento do envelhecimento cutâneo.Os peelings químicos são procedimentos que promovem renovação celular com estímulo de formação de colágeno novo, sendo assim, promove a melhoria de vários parâmetros,como textura, manchas, rugas e flacidez.

Fenol para blog

O fenol é uma substância química, que quando usado puro, 88%, é considerado um peeling médio para profundo. Ele provoca uma coagulação proteica intensa e que reflete em embranquecimento e frost da superfície cutânea. Quando misturado com óleo de cróton, água e sabão, tem maior aprofundamento, se tornando um peeling mais agressivo e com resultados melhores e mais duradouros.Isso ocorre porque o óleo de cróton, além de melhorar a permeação do fenol, também provoca ação anti-envelhecimento por sua característica química. A melhor indicação para a realização do peeling de fenol é a pele clara, muito enrugada, craquelada e fotoenvelhecida. No entanto, a seleção para pacientes com peeling de fenol, também passa por pesquisa, para saber se há algum risco de comprometimento renal e cardíaco.  Quando penetra na pele, o fenol, pode levar a arritmias ou problemas renais. Para escolher esse paciente, devem ser feitos exames para a checagem da função cardíaca e renal. A pele deve ser preparada com ácido retinoico e hidroquinona por 15 dias.

A formulação do peeling deve ser de acordo com a indicação, podendo haver uma concentração final de fenol, entre 30% a 45%, com mais ou menos quantidade de óleo de cróton. A face deve ser dividida em unidades anatômicas como fronte, região malar, queixo e nariz. A pele deve ser desengordurada, limpa e o peeling aplicado com pressão e com várias passadas no mesmo local. No início da aplicação ocorre dor e na sequência alguma anestesia e após algumas horas, ocorre mais dor. Para melhores resultados, o peeling pode ser ocluído com esparadrapo ou máscaras oclusivas. A descamação permanece por cerca de 10 dias e o avermelhamento por 30 a 60 dias. Esse peeling também pode ser feito no pescoço e mãos. A pele do rosto, por ter muitos anexos, cicatriza melhor que o pescoço e as mãos e, portanto, a concentração de fenol e cróton deve ser bem escolhidos conforme a indicação de tratamento. A combinação de fenol com o óleo de cróton, provoca estímulo ao colágeno, remodelando a pele com efeitos duradouros. Quanto mais vermelha a pele permanecer, maior o potencial de rejuvenescimento. A fotoproteção deve ser rigorosa, principalmente após os primeiros dias da realização do peeling.

Resultados excelentes e duradouros são características desse procedimento e valorizam o seu custo benefício, fazendo desse procedimento, um grande recurso terapêutico para o fotoenvelhecimento.

O peeling de fenol pode ser combinado a outros, ou também o óleo de cróton, pode ser substituídopor óleo de castor, ou ácido oleico. Tanto os óleos de castor, como o ácido oleico, diminuem o potencial de agressividade do peeling de fenol.

O peeling de fenol com óleo de castor é indicado para melasma e o de ácido oleico pode ser utilizado para pescoço e mãos. Outro recurso é utilizar o peeling de fenol com óleo de cróton para tratar áreas dos olhos, tendo efeitos similares da blefaroplastia.

Estudos mais recentes, sinalizaram que novas combinações e ativos podem ampliar muito as indicações do peeling de fenol.

FLACIDEZ DE PESCOÇO

Outra novidade do ‘meeting’ da Academia Americana diz respeito ao uso de preenchedores, que, além de preencher, também estimulam o colágeno e melhoram a tonicidade e aparência do pescoço.

Essa área é bastante comprometida pela atrofia e falta de sustentação, deixando o contorno facial indefinido, piorando o aspecto da estrutura do rosto.

Vários fatores contribuem para o envelhecimento do pescoço, entre eles, o tipo de pele, o dano cumulativo causado pelo sol ao longo da vida e até mesmo a movimentação do músculo platisma que favorece a flacidez dessa região.

Em geral, há uma preocupação maior com o envelhecimento do rosto, e o pescoço é deixado em segundo plano. Sendo assim, é frequente que este local seja tratado mais tardiamente e tenha resultados menos satisfatórios.

No Congresso Americano foi realçado que alguns estudos com o preenchedor de hidroxiapativa de cálcio (Radiesse) pode preencher sulcos e rugas e também estimular a formação de novas fibras de colágeno e elastina. Nesses trabalhos. No caso das peles de textura normal, ele deve ser diluído pela metade, enquanto em peles finas em 1/4 e em peles atróficas em 1/6.

A aplicação é feita na derme média em desenhos específicos com distância de cerca de 0,2mm entre uma picada e outra, cobrindo toda a área do pescoço e são realizadas duas aplicações com intervalos variáveis de 3 a 4 meses.

Estudos histológicos e imunohistoquímicos mostram que há estímulo do colágeno e da elastina, aumentando a espessura e tonicidade da pele. A aparência do pescoço melhora em relação à flacidez e também na qualidade da pele.

IMG_3276

Esse tratamento é eficaz e com poucos efeitos colaterais, podendo ser associado a outros tratamentos, como ultrassom focado, radiofrequência e laser. A prevenção é muito interessante e, quanto mais jovem, melhor a resposta do próprio tecido. Dessa forma, esse tratamento pode ser realizado ao serem percebidos os primeiros sinais da flacidez.

Lembrar que nesse sentido, o ácido hialurônico, que é o preenchedor seguro e muito utilizado, não estimula o colágeno na mesma intensidade que a hidroxiapatita de cálcio.

Sendo assim, é importante lembrar que, cada vez mais, novas tecnologias ajudam na prevenção e manutenção da pele, melhorando a qualidade da vida.