PEELING DE FENOL

peelingO peeling de fenol é considerado um peeling profundo, pois atinge camadas internas da pele como derme média. Qualquer peeling provoca renovação e troca de pele, mas nesse caso, a profundidade atingida, promove grande estímulo a formação de colágeno novo. O período ideal do ano para realizar qualquer tipo de peeling é o inverno, pois a pele precisa ser protegida do sol.

Existem muitos tipos de peeling de fenol, conforme seja utilizado somente o fenol 88% ou misturas com óleo de cróton, septisol e água.

Esse peeling precisa ser realizado por médico dermatologista, pois a substância é muito agressiva, sendo cardiotóxica e nefrotóxica. Isto significa, que todo paciente, que for realizar esse tipo de peeling, precisa de uma avaliação prévia com exames de sangue e também eletrocardiograma. Além disso, a pele deve ser preparada para que a cicatrização seja mais eficiente e também para que haja menos hiperpigmentação.

O procedimento é feito pelo médico especialista, em ambiente adequadoe em toda a face, com ênfase nas regiões com mais rugas. No pescoço, o peeling deverá ser mais fraco, respeitando a diferença na cicatrização.

O peeling de fenol é indicado para peles fotoenvelhecidas, preferencialmente mais claras, com muitas rugas e também flacidez. A região em volta dos olhos e também ao redor da boca são especialmente beneficiadas.

A recuperação deste peeling é demorada e por cerca de 7 a 10 dias haverá descamação e crostas que devem receber cuidados específicos. A limpeza, a hidratação e a alta proteção solar são fundamentais.

O resultado é especial, com melhoria marcante da textura da pele, assim como das rugas e flacidez. Devido ao fato dessa boa resposta estar relacionada a resposta da pele com renovação, produção de colágeno e remodelação, ela será muito duradoura. No entanto, esse resultado final irá depender da indicação, do tipo de pele, preparo, técnica em si e também os cuidados no pós procedimento.

FIOS DE SUSTENTAÇÃO

Uma das queixas mais frequentes no consultório do dermatologista é a flacidez cutânea.fio-mint As mulheres se ressentem muito do chamado “bigode chinês” e percebem que o rosto está perdendo o contorno e acumulando pele, e às vezes, gordura na linha da mandíbula.

Cada pessoa irá envelhecer de uma forma única devido a sua genética, conformação facial, hábitos (sol, fumo), entre outros. Devido a esse motivo é tão importante a avaliação crítica do especialista, pois ele é quem irá indicar os procedimentos com melhor custo-benefício de acordo com a necessidade de cada paciente.

O tratamento da flacidez deve ser preventivo, começando pelo cuidado diário da pele que inclui limpeza, hidratação e fotoproteção. Além disso, cremes que sejam além dos cosméticos, os chamados dermocosméticos ou cosmecêuticos, devem ser incorporados, como ácidos, antioxidantes e fatores do crescimento.

Uma nova ferramenta, para tratamento da flacidez é o fio de sustentação, que hoje apresenta tecnologia avançada com biocompatibilidade específica. Os fios mais modernos não são definitivos, e são constituídos de materiais que estimulam a formação de colágeno novo.

Quais as vantagens dos novos fios:

* Materiais não definitivos e que não causam efeitos colaterais tardios, além de proporcionarem uma aparência mais natural.

*Estímulo de colágeno novo, tratando a pele de forma mais profunda e duradoura

Qual é a ação desses novos fios?

O interessante dessa nova ferramenta é que os fios são responsáveis por duas ações:

1-Leva88_142_noticia_gntamento da pele através de mecanismo de tração e ancoragem. Os fios com ácido polilático e polidioxanona podem ter efeito lifting.

2-Os materiais dos fios (ácido polilático e polidioxanona) estimulam a produção de colágeno e melhoram a qualidade da pele

 

Como é a técnica de colocação do fio?

*O principal é a boa indicação, pois certos pacientes, após os 65 anos, teriam indicação cirúrgica e o resultado com o fio pode se insignificante.

*O desenho dos vetores do fio, ou seja, o modo como eles vão ser colocados e a sua ancoragem (local onde haverá o apoio), são fundamentais para a qualidade do resultado.

*A anestesia é feita no local de entrada e saída dos fios.

*A dor é pouca nesse procedimento.

*Ao término do procedimento há um certo pregueamento da pele, mas que irá desaparecer em cerca de uma semana com o seu acomodamento.

*O paciente deverá dormir de barriga para cima, movimentar pouco a boca, consumir alimentos mais líquidos e não fazer exercícios físicos pesados por 3 a 4 dias.

É importante entender que os fios não são indicados para um grau de flacidez intenso e muito menos para tratar a papada. No entanto, indivíduos com grau de flacidez moderado, poderão ter um grande benefício na correção e prevenção da mesma e os resultados permanecem por cerca de dois anos.

MICROAGULHAMENTO

A técnica de microagulhamento está muito em voga nos últimos tempos. Esse procedimento, consiste em utilizar um pequeno instrumento chamado “roller”, que tem muitas agulhas que picam a pele, estimulando a reação da mesma. A medida que a pele é picada, ela reage e desencadeia uma resposta em cascata, com muitos elementos inflamatórios e hormônios do crescimento. Existem, portanto, dois estímulos importantes que ocorrem simultaneamente, sendo um deles a picadura na pele e o outro a reação fisiológica de produção de citoquinas acionadas para cicatrizar a pele.

Embora pareça simples, o procedimento precisa ser feito por médicos especialistas para evitar o trauma em áreas que possam ter pré-câncer de pele e o próprio câncer de pele. Isto porque, o trauma da picada e o sangramento, podem disseminar essas células malignas. Áreas inflamadas ou infectadas, também não podem ser picadas.

O microagulhamento pode ser indicado para várias alterações de pele, como cicatriz de acne, melasma, estrias e fotoenvelhecimento cutâneo. Em cada um desses casos será indicado um “roller” diferente com um número total de agulhas e também com tamanho diferente dessas agulhas. Nas cicatrizes de acne, que são mais fibrosas, usamos agulhas de 2,5mm, enquanto para tratamento do melasma, a agulha é de 1,5mm. O microagulhamento também pode ser feito na área das olheiras, onde usamos agulhas de 0,5mm. O procedimento irá gerar um sangramento maior ou menor e justamente esse sangramento, através das plaquetas, irá carregar os fatores de crescimento naturais, que são importantes para melhorar a qualidade da pele.

IMG_5112Para cada indicação do microagulhamento será indicado o número de sessões necessárias, que pode variar de 4 a 8, com intervalos de 2 a 4 semanas. Após o procedimento, podem ser usados princípios terapêuticos específicos para melhorar ainda mais a doença que está sendo tratada. No caso do melasma, pode ser usado ácido tranexâmico, enquanto no fotoenvelhecimento podemos utilizar vários ativos como a própria vitamina C. Vale lembrar que o ideal é que o produto utilizado seja estéril para evitar contaminação. O resultado pode ser notado após 8 a 10 dias. Em geral, a pele fica sensível por 3 a 4 dias, sendo necessário o uso de filtro solar.

Outra indicação interessante é o uso do microagulhamento no couro cabeludo, para melhorar a queda de cabelo. Nesse caso, podem ser usados ativos com a finasterida e minoxidil.

O microagulhamento sempre melhora muito a qualidade e saúde da pele. Esta é uma técnica simples, com preço muito acessível e com seus riscos específicos, porém muito promissora na área da dermatologia.

Envelhecimento cutâneo e o câncer de pele

A pele é o único órgão do corpo humano que possui dois envelhecimentos: o cronológico intrínseco e fotoenvelhecimento ou extrínseco. O primeiro é regido pelo relógio biológico, havendo mudanças genéticas, químicas e hormonais. O segundo é causado pela exposição cumulativa à radiação solar. Há diferenças marcantes entre o envelhecimento intrínseco e o fotoenvelhecimento, que são coerentes com as alterações bioquímicas e moleculares. No envelhecimento pela idade, a textura da pele é lisa, homogênea e suave, com atrofia da epiderme e derme, menor número de manchas e discreta formação de rugas. No fotoenvelhecimento, a superfície da cútis é áspera, nodular, espessada, com inúmeras manchas e rugas profundas bem demarcadas.

A luz solar, através dos comprimentos de onda UVA e UVB, causam danos progressivos às várias estruturas da pele, como: DNA, queratinócitos, melanócítos, vasos, fibras, glândulas entre outras. A agressão crônica e progressiva vai acumulando até tornar-se perceptível em forma de manchas, rugas, flacidez e também câncer de pele.

A proteção solar é essencial para preservar a pele e também para prevenir o envelhecimento, já que a radiação ultravioleta é responsável por cerca de 80 – 90% do envelhecimento observado na pele. A fotoproteção solar constitui importante medida para prevenir e tratar o envelhecimento cutâneo. Ela deve ser iniciada na infância, sendo necessária a educação quanto aos horários de exposição, evitando-se sol entre as 10 e 15 horas nas situações de exposição intensa.

O fotoprotetor deve ser aplicado 30 minutos antes da exposição solar e reaplicado a cada 2 horas. Além disso, roupas e chapéus também devem fazer parte da proteção. O filtro solar deve ser passado em toda a superfície cutânea, numa quantidade equivalente a 2mg/cm2.

Existem dois tipos de filtros solares: o filtro químico e o filtro físico. O primeiro interage quimicamente com a radiação ultravioleta e transforma a mesma em calor. O segundo protege através de uma barreira promovendo a reflexão dos raios ultravioleta. Os filtros também podem ter outros princípios ativos como: hidratantes, vitaminas antioxidantes e clareadoras. Hoje também vale salientar o papel dos reparadores celulares, pois eles também desempenham papel importante na fotoproteção, corrigindo alterações do DNA.

O DNA (desoxirribonucleic acid) é uma molécula presente no núcleo de todas as células dos organismos vivos, cuja principal função é o armazenamento da informação necessária para síntese de moléculas celulares. O DNA abriga todas as informações do código genético.

A radiação UV pode também danificar o DNA pela interação direta com os ácidos nucleicos ou indiretamente através de intermediários ROS (Espécies Reativas do Oxi­gênio) os quais foram previamente afetados pela radiação. Essas mesmas espécies podem ser geradas de forma extrínseca, pela absorção da radiação UV na pele. A ge­ração de Espécies Reativas do Oxigênio (ROS) também ocorre durante o metabolismo celular oxidativo, que leva à oxidação de bases nitrogenadas, normalmente guaninas, podendo resultar em mutações. Sendo assim, essas mutações podem ocorrer independentemente da exposição solar. Além da oxidação ela guanina, mais frequentemente, temos a formação de Dímeros de Ciclobutano Pirimidina (CPO) que são formados pela absorção direta de fótons de UV sem nenhum intermediário de ROS. A formação desses dímeros através de uma reação fotoquímica ocorre em frações de segundos e não pode ser interrompida por antioxidantes, pois não gera radicais livres.

Os danos ao DNA induzidos pela radiação UV levam a ativação de novos genes e a liberação de sinais de estresse incluindo interleucina (IL-1), fator de necrose tumoral alfa (TNF) e IL-10, que também ativam novos genes. Essas citocinas liberadas agem na própria célula e em células distantes. Entre os genes que são ativados há aqueles para metaloproteases-1 (MMP-1) que degradam o colágeno. O efeito é a degradação do colágeno, que é uma das marcas da pele fotoenvelhecida. Os filtros solares podem prevenir parte do dano ao DNA, mas não podem evitá-la completamente.

As endonucleases são enzimas que atuam reconhecendo sequências de pares de bases especificas em moléculas de DNA com mutações e clivando-as nesses pontos. Elas são altamente especificas: cada tipo de enzima reconhece e corta apenas uma determinada sequência de nucleotídeo. Um mecanismo importante de defesa denomina-se reparo por excisão de nucleotídeos ou NER (nucleotide excision repair). Este mecanismo fisiológico permite a remoção das mutações ocorridas no DNA pela exposição a radiação ultravioleta, relacionadas a criação de dímeros de timina.

Desta forma, produtos com enzimas como as endonucleases corrigem danos celulares causados pelo sol (RUV) que não foram evitados com uso do filtro solar.

Estas formulações vêm complementando mais a capacidade de proteção a pele, evitando o fotoenvelhecimento e o câncer de pele.

TOXINA BOTULÍNICA

A toxina botulínica veio definitivamente para fazer parte do arsenal terapêutico do envelhecimento cutâneo. Hoje, muito mais do que melhorar uma determinada ruga de expressão, ela pode ser usada para levantar o rosto e melhorar o contorno facial, inclusive ocidentalizando o rosto oriental devido ao afinamento e alongamento conseguidos com seu tratamento. A ideia é evitar o congelamento facial, deixá-la com uma aparência mais jovial e descansada, além de prevenir a instalação das rugas.

Muito se fala a respeito da melhor idade para realizar a aplicação da toxina botulínica. Mas não há a resposta certa para esse questionamento, pois tudo irá depender de cada caso individualmente. Enquanto uma pessoa pode ter a expressão carregada com 30 anos, outra com 50 anos apresenta o rosto liso e relaxado.

A aplicação no músculo masseter pode ajudar no contorno facial, principalmente em mulheres que não gostam do rosto quadrado; já nos homens, o masseter hipertrofiado é considerado másculo e bonito. O músculo abaixador do canto da boca, que é um músculo triangular, que começa no canto dos lábios e termina na linha da mandíbula, é importante para definirmos o contorno facial e melhorarmos a flacidez e até o chamado bigode chinês. É um ponto perigoso, pois, por questões anatômicas, pode ser atingindo o músculo abaixador do canto da boca e provocar assimetria no sorriso. Por último, o platisma, que é o músculo do pescoço e tem uma inserção na mandíbula, responsável pela flacidez e falta de contorno logo abaixo da linha do queixo e mandíbula. A aplicação da toxina botulínica neste músculo melhora a flacidez e previne o envelhecimento dessa região.

Em relação aos pacientes candidatos a essas aplicações, é importante conversar muito com o médico dermatologista que é especialista nessas aplicações. Isso porque é importante avaliar se há indicação e se não existem problemas individuais que impeçam de fazê-lo, como doenças neuromusculares, infecções e uso de antibióticos. A duração do tratamento é de aproximadamente 5 meses, porém não existe o efeito “abóbora” da história infantil da Cinderela. Isto quer dizer que haverá um efeito inicial e a pessoa não acordará de um dia para o outro flácida e enrugada. O relaxamento e a ação que a toxina botulínica produz persistem alguns meses a mais, pois a pele descansou e o músculo ainda não está tão potente.

Lembrar sempre que o uso dessa substância é seguro e cientificamente comprovado, no entanto o profissional médico deve ser especializado, conhecer profundamente a anatomia, os pontos perigosos e especialmente saber corrigir e tratar qualquer complicação.

Diabete e Envelhecimento da Pele

A diabete é uma doença grave, crônica, muito frequente, que provoca hiperglicemia e resistência à insulina. Nos últimos anos ela tem aumentado muito na população idosa. Existe dois tipos de diabete: tipo 1 que ocorre já na infância e é considerada autoimune, com grande influência genética. A tipo 2, aparece com a idade, comprometendo mais idosos, sendo explicada em parte pelo desgaste dos órgãos. A diabete apresenta muitas complicações, como insuficiência renal, arteriosclerose, comprometimento ocular, entre outros.

Qual a relação da doença diabete com as rugas?

Sabemos que a pele do diabético é mais seca e que cicatriza com dificuldade. Esses fenômenos estão relacionados com um processo de glicação proteica. Essa glicação ocorre quando uma molécula de glicose (açúcar) adere a uma molécula de proteína e sem a ajuda de enzimas, forma complexos avançados de glicação, que são chamados AGEs. Essas cadeias, com uma ligação muito forte, entre o açúcar e a proteína, formam complexos permanentes, que endurecem o colágeno (proteína) provocando arteriosclerose, catarata, comprometimento neurológico e também as rugas.

A hiperglicemia, que ocorre no diabete parece favorecer a formação desses AGEs, que também são formados com o envelhecimento natural. Então concluímos que a diabete é uma doença que envelhece e quanto melhor controlada, mais irá preservar os órgãos e tecidos.

Fatores importantes no dia a dia podem favorecer a formação dos AGEs e contribuírem com o envelhecimento precoce. Entre eles estão: o sol excessivo, estresse e a dieta. Se a glicação ficar fora de controle, muitas proteínas vitais serão degradadas e destruídas. A capacidade natural de proteção contra a glicação diminui com a idade e por isso os danos são mais intensos nos idosos, principalmente após os 65 anos.

Produzimos AGEs endógenos quando ingerimos alimentos com alto índice glicêmico, ou seja, aqueles que se transformam em glicose rapidamente. Esses alimentos provocam picos de açúcar no sangue, o que resulta em inflamação e produção excessiva de AGEs, tornando esse processo um círculo vicioso. Os AGEs podem ser produzidos quando cozinhamos proteínas em altas temperaturas, ou também em baixas temperaturas por muito tempo. Grelhar a carne de um churrasco ou caramelizar cebolas, verduras, frituras, levam a formação excessiva de AGEs. Cozinhar batatas ou alimentos ricos em amidos pode gerar a formação de uma substância tóxica, como a acrilamida que por sua vez intensifica a ação dos AGEs.

Além da proteção solar, a saúde do idoso deve ter cuidados especiais com a dieta para manter a pele mais jovem e com menos rugas.

Seguem alimentos que podem ter AGEs excessivos:

Todos os alimentos cozidos em altas temperaturas.

Alimentos cozidos a baixas temperaturas por períodos longos, sem líquido.

Carnes na brasa, carnes assadas no fogo.

Aves: frangos, peru- assadas em rotisserie. Deixando a pele dourada.

Alimentos fritos.

Nozes e sementes assadas ou torradas.

Alimentos assados e embalados, de cor marrom-escura acentuada.

Lanches ou alimentos prontos (batatas chips, pretzels, etc).

Fast-foods (a maioria, tem gorduras trans).

Café (tem os grãos torrados até escurecer, o que favorece a formação de AGEs).

Todos os tipos de refrigerantes; pelo alto o teor de açúcar, presença de xarope de milho com alto teor de frutose e benzoato de sódio, um conservante comum que pode ser cancerígeno.

Dicas para alimentação mais saudável no idoso:

Dieta leve e balanceada.

Evitar excesso de carboidrato.

Evitar gorduras trans.

Evitar carne grelhada.

Ingerir 5 porções de frutas por dia.

Ingerir grande quantidade de legumes e verduras verdes.

Cozinhar alimentos com água.

Abusar dos peixes: salmão, sardinha, anchova, atum.

Sempre seguir a instrução do médico especialista em relação às medicações específicas, uso de antioxidantes e vitaminas e até cosméticos adequados. Estão sendo desenvolvidas novas drogas que no futuro terão capacidade de neutralizar os AGEs e evitar o envelhecimento precoce.

ENVELHECIMENTO

Como dermatologista, sou procurada para melhorar a aparência da pele tornando-a mais jovem e saudável. O envelhecimento tem sido uma grande preocupação do ser humano e dizem os pesquisadores de ponta, que o ser humano que viverá 150 anos já nasceu!!! No entanto, sendo mais realistas, como podemos envelhecer bem, como podemos ajudar nosso organismo a ter equilíbrio, tornando nossa aparência mais rejuvenescida? Vários fatores são importantes, como: nutrição, atividade física, sono reparador, mente saudável e ativa. A pele será melhor quanto melhor estiverem esses parâmetros.

A nutrição é fundamental, pois é a base para o funcionamento de cada organismo. O ideal é a ingestão de todos os nutrientes com um balanço entre carboidratos para manter a energia, proteínas para utilizar na construção dos tecidos e gordura para ajudar a formação de hormônios. As frutas e verduras, assim como os grãos, também são importantes para gerar vitaminas e oligoelementos, que fazem parte de milhões de reações no organismo vivo. A alimentação equilibrada com todos esses nutrientes ajuda na troca celular e também na neutralização das toxinas e radicais livres. Lembrar que a alimentação está relacionada ao peso e que a dieta com menos calorias é associada a mais longevidade. Inúmeros estudos, bem controlados, mostram que a dieta hipocalórica ajuda na produção de proteínas que estão ligadas a longevidade.

O sono é fundamental para a vida saudável e pele bonita. O sono reparador reequilibra o metabolismo e recarrega a energia. Muitas pessoas dormem mal sistematicamente por causa de inúmeras causas, sendo a principal o estresse. Acordam cansados, passam o dia com sono e por isso começam a ficar estressados na hora de dormir. Dormir pouco ou mudar radicalmente o relógio biológico também está associado a desgaste da pele e envelhecimento precoce.

Exercícios regulares, evitando o exagero, mas também evitando o sedentarismo, está altamente relacionado a um organismo mais saudável. O exercício regular ajuda a manter o peso e facilita manter níveis de colesterol e açúcar adequados. Tanto o colesterol alto como a glicemia alta estão relacionados a maior risco cardiovascular, assim como a pele mais envelhecida. É interessante saber que indivíduos diabéticos são muito mais envelhecidos que sua idade real.

Por último, lembrar sempre do lazer, das risadas com os amigos e da vida social, pois quando estamos permanentemente estressados, envelhecemos mais rapidamente. O bem-estar e a felicidade estão associados ao equilíbrio hormonal, menos radicais livres, menos risco de irregularidades na pressão e distúrbios vasculares.

Esses parâmetros devem estar na nossa mente para termos a chance de uma aparência mais jovial, com pele, cabelos e unhas mais saudáveis.

Os cuidados essenciais com a pele são: limpeza, hidratação e fotoproteção.

A poluição está maior nas grandes cidades e favorece as reações de oxidação da pele. Por esse motivo, é necessário limpar bem a pele, principalmente à noite. A limpeza deve ser suave e eficiente, pois se houver irritação, a barreira pode ser rompida e criar a porta de entrada para a inflamação da pele. A hidratação diária também é fundamental para ajudar a pele a manter a barreira íntegra e protegida. A proteção em relação ao sol é interessante, principalmente quem fica muitas horas ao ar livre e está constantemente sendo agredida pela radiação UVA e UVB. A luz visível também mancha a pele e não existem filtros específicos para essa luz, sendo interessante um pouco de pigmento no filtro para protege-la dessa luz. Por isso, com cuidados diários globais e equilibrados, podemos pensar em fazer outros procedimentos de prevenção e reestruturação. Sem esses cuidados, não há muito sentido em procurar a juventude em procedimentos agressivos.

Agregando boa alimentação, exercícios regulares, sono reparador, bem-estar emocional com intervenções leves e efetivas, como preenchimento, toxina botulínica, laser, radiofrequência, peelings, microagulhamento, seremos idosos bonitos, saudáveis e felizes.

NOVIDADES DO CONGRESSO EUROPEU DE DERMATOLOGIA – COPENHAGEN/2015

O 24º Congresso Europeu de Dermatologia e Venereologia aconteceu na Dinamarca de 7 a 11 de outubro. Nesta oportunidade, além de dar aula sobre cicatrizes hipertróficas e queloides, pude compartilhar novos conhecimentos com colegas dermatologistas de várias partes do mundo. Resumi abaixo, temas de bastante interesse público e as novidades em termos de tratamento.

Vitiligo:

O vitiligo é uma doença crônica que causa despigmentação da pele e cujo tratamento é bastante difícil por não se conhecer a causa exata dessa dermatose. Há alguns poucos anos, sabemos que se trata de uma doença onde a parte imunológica tem um grande papel. Os melanócitos, que produzem a melanina são agredidos e alguns fatores inflamatórios têm um grande potencial agressivo e destroem o mesmo. Recentemente foi demonstrado o papel de uma citoquina, a CXCL-10, que, quando aumentada, favorece o aparecimento do vitiligo. Com esta descoberta  corroborada por estudos recentes, podemos ter esperança em novos tratamentos para o vitiligo.

Os inibidores das prostaglandinas, como a latanoprosta, têm demonstrado algum resultado. Porém, no momento, os medicamentos existentes com essa substância têm outras indicações, como crescimento e alongamento dos cílios. A sinvastatina, que é uma droga utilizada para diminuir a tendência para o colesterol alto e também da placa inflamatória nos vasos, também tem uma ação inibitória sobre a CXCL-10, e, portanto, pode melhorar o vitiligo. Por último, a Tofacitinib, medicação inibidora enzimática da JAK, mostrou resultados no vitiligo. Trata-se de uma medicação para tratamento da artrite reumatoide (já aprovado) e que parece ter resultados positivos no vitiligo. Essa droga que é inibidora da JAK tem seu mecanismo de ação relacionado à ação anti-inflamatória, inclusive da citoquina CXCL-10 que está implicada no aparecimento do vitiligo. A medicação ainda não está aprovada no Brasil, é bastante custosa, tem alguns efeitos colaterais, mas parece ser bem interessante para essa doença que prejudica muito a autoestima e tem poucas opções de tratamento. Além de novidades para o tratamento, também é importante lembrar que quanto antes o vitiligo for tratado, melhor serão os resultados finais.

Melasma:

O melasma também é uma doença crônica, não contagiosa e com a etiologia não totalmente esclarecida. A produção de melanina está alterada por inúmeros estímulos, como: radiação UV, estresse, entre outros.

Neste congresso foi enfatizada a importância da microvascularização no melasma. Algumas substâncias ativas no endotélio dos vasos da região estimulam o melanócito a produzir mais pigmento. Neste sentido, quando os vasos forem visíveis é importante trata-los para evitar o prolongamento e intensificação do avermelhamento e consequente hiperpigmentação. Podem ser usados lasers, como Pulsed Dye Laser e Nd Yag. O ácido tranexâmico também é uma opção de tratamento e parece melhorar a parte melanogênica e também vasculogênica. Seu papel é inibir uma interação específica entre os queratinócitos e melanócitos.

O papel da luz visível também parece ser muito importante no tratamento e controle do melasma. A luz visível agride mais as peles morenas e manchadas, produzindo maior pigmentação. A proteção em relação a esta luz é fundamental para não piorar as manchas. Temos duas situações aqui. A primeira é usar filtro solar com cor, pois não existem filtros específicos para proteger da luz visível. Outra questão é usar filtro solar com antioxidantes para neutralizar os radicais livres que também estão implicados no processo inflamatório da pele.

Envelhecimento:

A expectativa de vida aumentou muito e também os estudos sobre os processos do envelhecimento. Várias situações interferem com o envelhecimento, entre elas a genética, nutrição e ambiente. Antes se considerava o gene como uma estrutura intacta e hoje através de estudos da epigenética (características de organismos unicelulares e multicelulares, como as modificações de cromatina e DNA), sabe-se que podem ocorrer mudanças nos mesmos, que alteram sua expressão. Sabe-se também que o ambiente influencia na expressão genética.

Uma linha muito interessante de estudo está relacionada à longevidade das células, que parece estar relacionada ao tamanho dos telômeros. As células chegam a um período de senescência (velhice) que é muito interessante, pois, ou elas param de se multiplicar ou viram células cancerosas. Um dos aspectos relacionados à longevidade maior das células é uma dieta hipocalórica, que ativa alguns receptores e as proteínas denominadas sirtuínas. Há várias possibilidades de se agir nesses receptores e haver o prolongamento da vida. Células que podem ser trabalhadas são as stem cells, que são células com grande potencial de multiplicação e também transformação em vários outros tipos celulares. Elas são chamadas células tronco e podem ser multifuncionais. A expressão genética e também o meio ambiente podem ajudar no funcionamento e comportamento das mesmas. Elas também podem rejuvenescer quando estimuladas por algumas situações ou ativos específicos.

A pessoa que poderá ter no futuro de 150-170 anos já nasceu hoje. Então algumas medidas, podem ser efetivamente tomadas para vivermos mais. Dietas hipocalóricas; exercício moderado e constante; menos estresse e mais lazer; controle de doenças para as quais você tenha pré-disposição; manter o equilíbrio hormonal; uso de vitaminas antioxidantes conforme indicação; cremes à base de sirtuínas, resveratrol e coenzima Q10, fatores de crescimento e Stem Cells Vegetais. Todos esses itens podem contribuir para uma bela velhice.

Envelhecimento, Mitocôndria e Coenzima Q10 – Qual a relação?

Discutir sobre o envelhecimento é ponderar sobre nosso limite frente ao tempo. Este ser cruel e destemperado caminha ininterruptamente à mercê de nossos desejos e em oposição as nossas tentativas de contê-lo, deixando suas marcas visíveis, estampadas em nossa face. Este ser belo e certeiro tece a nossa história, acumula nossas lembranças, constrói nossa sabedoria. A humanidade, em tempos e espaços distintos, lidou com os limites do tempo de maneiras múltiplas, concebidas com reflexo de sua época. E assim segue sendo…

MECANISMO DO ENVELHECIMENTO

O envelhecimento caracteriza-se pelo desgaste de vários setores do organismo humano, gerando funcionamentos inadequados que culminam em alterações incompatíveis com a vida. São muitas as teorias que tentem explicar o mecanismo do envelhecimento, mas nenhuma delas compreende, satisfatoriamente, a gênese completa deste processo.

Uma das teorias mais estudadas é a dos radicais livres, que pode explicar o desgaste de vários órgãos do corpo humano. Radicais livres são moléculas que, em sua órbita externa, apresentam elétrons solitários ou despareados, sendo portanto, instáveis ou reativos. Para atingir a estabilidade, estas moléculas captam elétrons de outras moléculas químicas e também de componentes vitais, tais como DNA, elementos cito esqueléticos, membranas e proteínas celulares.

Além do envelhecimento cutâneo, as espécies reativas de oxigênio estão implicadas nos processos de carcinogênese e inflamação. Os radicais livres são formados naturalmente pelo metabolismo humano, mas fatores como a poluição do ar, tabagismo, exposição à radiação, exercícios físicos, álcool, processos inflamatórios e ingestão de certas drogas ou materiais pesados podem também ser fontes de espécies reativas como os superóxidos, ânion hidroxila, peróxido de hidrogênio e unidades simples de oxigênio.

AGENTES ANTI ENVELHECIMENTO

O mecanismo de defesa antioxidante do organismo tem como principal função, inibir ou reduzir os danos causados às células pelas espécies reativas de oxigênio e favorecem a remoção de danos da molécula de DNA e a reconstituição das membranas celulares danificadas. Várias substâncias como as vitaminas C, E, A, selênio e zinco, têm papel importante na proteção contra agentes envelhecedores. Os antioxidantes solúveis em gordura são encontrados na porção lipofílica da membrana celular e incluem, por exemplo, a vitamina E e a CoQ10.

O coração da produção de energia celular está concentrado na mitocôndria, organela responsável pela “respiração celular”, produzindo energia para manter vivos e ativos todos os tipos celulares. No entanto, no próprio processo de oxigenação (respiração) também existe a formação constante de radicais livres, que são responsáveis pelo desgaste, destruição e envelhecimento celular. A mitocôndria, quando agredida por estes radicais livres, pode ter sua função alterada, prejudicando o processo de produção de energia celular.

MÚLTIPLAS FUNÇÕES DA CoQ10

Os danos à mitocôndria, quando acumulados pela idade, levam a um prejuízo da sua função, propiciando desgastes ao organismo. Por esse motivo também ocorre a deficiência de várias enzimas e o aumento de radicais livres, o que acelera os fatores de envelhecimento. A Teoria do Envelhecimento Mitocondrial, relacionado ao aumento dos radicais livres, está diretamente relacionada ao envelhecimento.

A coenzima Q10 é fundamental como substância ativa no processo de respiração e produção da energia celular. Ela age especificamente na mitocôndria, que é a estrutura produtora de energia na célula. Esta também é um poderoso antioxidante que protege a mitocôndria e outras estruturas de desgastes e danos pela oxidação. Trabalhos mais recentes têm demonstrado que a CoQ10 também interfere na expressão de alguns genes

É natural que, devido a essas funções ligadas à ação antioxidante ativadora de energia celular e influência na expressão de genes, a CoQ10 passa a ter um papel fundamental no tratamento do envelhecimento. Hoje seu papel terapêutico é muito estudado na área da cardiologia, porém vem aumentando o número de estudos correlacionando a mesma ao envelhecimento.

Segundo o artigo Aging, Mitochondria and a Coenzyme Q10: The relationship da autora Emile Bliznakov, os níveis endógenos de coenzima Q10 começam a diminuir a partir dos 20 anos de idade, independentemente de processos envolvendo doenças. Sua suplementação parece melhorar a produção de energia dentro da célula e preservar as estruturas da oxidação. Neste sentido, não devemos esquecer e negligenciar esse poderoso ativo que, associado a outros antioxidantes, pode preservar o organismo do desgaste e prevenir em relação ao envelhecimento cutâneo e geral.