ACNE DA MULHER ADULTA

NOVA acne-na-mulher-adulta-3 (1)A acne é um processo inflamatório que compromete o folículo pilo sebáceo, promovendo o aparecimento de lesões como cravos (comedões), espinhas, abcessos, cistos e posteriormente cicatrizes.

A estrutura da pele, que está relacionada ao aparecimento da acne é a glândula sebácea. Essa glândula é inativa e insignificante nas crianças, mas cresce e se transforma na puberdade, estimulada pelos hormônios produzidos nessa época da vida.

A acne compromete principalmente as adolescentes e adultos jovens, que passam por essas modificações hormonais. No entanto, cresce cada vez mais a chamada “acne da mulher adulta”, que aparece numa mulher e que nunca teve acne quando adolescente e só apresenta esse quadro mais tardiamente, geralmente após os 25 anos.

Diferente da acne do adolescente, que ocorre na face toda, principalmente na testa e região malar, a acne da mulher adulta surge no queixo, linha da mandíbula e também pescoço. As lesões da acne da mulher adulta são inflamadas, doloridas e grandes, deixando manchas e marcas nessa região. Também pode haver associação com acúmulo de pelos e queda de cabelo.

Geralmente a acne da mulher adulta piora antes da menstruação e não costuma melhorar com os tratamentos convencionais. Essa acne, tem relação com alterações hormonais, sendo associada mais frequente ao ovário policístico. Pode também haver distúrbios da glândula adrenal, inclusive piorando muito em situações de estresse intenso.

O médico dermatologista é especialista no tratamento dessa alteração por dominar toda a fisiologia hormonal da pele.

A acne da mulher adulta pode ser tratada com pílulas anticoncepcionais, drogas anti-androgenicas, como a espironolactona, isotretinoína e também metformina, além de laser, entre outros.

A investigação hormonal é importantíssima, pois caso seja confirmado, ocorrerá o tratamento específico.

O controle do estresse, a dieta e também uso adequado de cosmecêuticos são fundamentais para o melhor resultado do tratamento.

No caso da dieta devem ser controlados o leite e derivados e os alimentos de alto índice glicêmico (açúcar, doces, pães e massas), pois estes provocam alterações de hormônios, que indiretamente afetam o metabolismo dos andrógenos.

A melhor combinação de medicamentos para cada situação vai depender da expertise do profissional. A isotretinoína é uma medicação interessante para a acne da mulher adulta, pois diminui o tamanho da glândula sebácea, porém deve ser respeitada a restrição à gravidez e outras contra-indicações. Também podemos usar o LED (luz) azul para ajudar no tratamento. Outra alternativa é a terapia fotodinâmica onde usamos o ácido aminolevulínico na pele por volta de 2 horas e depois a luz vermelha especifica para agredir glândulas sebáceas.  Esse ácido é de uso tópico, penetra na pele, marca as glândulas sebáceas que depois com a luz serão agredidas e parcialmente destruídas, ajudando a melhorar a acne inflamada. A luz também agride a colônia bacteriana que promove a infecção na acne.

A acne da mulher adulta é perturbadora e compromete a autoestima das mulheres que apresentam esse quadro. É preciso diagnosticar, avaliar os exames de sangue, analisar os fatores ambientais e indicar a melhor combinação de tratamento

ACNE

A acne é uma doença inflamatória que compromete o rosto, peito e costas com aparecimento de lesões papulosas, inflamadas, nodulares, levando muitas vezes a cicatrizes irreversíveis.

Em geral, a acne aparece na época da puberdade, relacionada ao início da produção dos hormônios sexuais que são os estrógenos (femininos) e andrógenos (masculinos).

Acne persistente, que começa após os 25 anos, pode caracterizar a chamada acne da mulher adulta. Nesse caso, as lesões papulosas e inflamadas se localizam na região do queixo e pescoço, são dolorosas e persistentes e em geral não vemos comedões ou cravos. O mais importante nessa situação é a pesquisa de problemas hormonais concomitantes. Deve-se então, pesquisar o nível dos hormônios masculinos e também se existe a possibilidade de haver o diagnóstico de ovário policístico. Se ocorrerem alterações hormonais, elas precisam ser avaliadas no contexto geral e corrigidas. Os tratamentos mais utilizados para a acne da mulher adulta são os anti-andrógenos, como acetato de ciproterona, espironolactona e dutasterida, e eventualmente a metformina, quando houver coexistência de acne e ovário policístico. As pílulas anticoncepcionais têm um estrógeno associado a um progestágeno que pode ser neutro, anti-androgênico e androgênico. As mulheres com acne, após a idade adulta, devem conversar com seus médicos para usar a pílulas anticoncepcionais com essas características que contribuem para o tratamento da acne.

A isotretinoína, que um derivado da vitamina A, também pode ser um tratamento interessante para acne da mulher adulta. No entanto, é importante lembrar que quando esse remédio é utilizado, não pode haver chance de gravidez, uma vez que esta droga é teratogênica.

Além do tratamento específico, que deve ser conversado e discutido com seu médico, é importante evitar e controlar o estresse e também manter uma dieta equilibrada, evitando alimentos de alto índice glicêmico, como carboidratos e também leite e derivados. Não esquecer que suplementar com vitaminas do complexo B e também com proteína do leite, como whey protein, pode piorar a acne.

Acne na mulher adulta

Conforme já falamos, a acne vulgar é uma condição inflamatória crônica do folículo pilo-sebáceo, particularmente comum em adolescentes e adultos jovens… porém, pode se prolongar pela vida adulta, principalmente em mulheres, prejudicando muito a auto estima e causando significante prejuízo emocional. O estresse pode piorar a acne e a acne pode piorar o estresse e até levar a depressão, formando um círculo vicioso prejudicial à saúde.

A acne da mulher adulta apresenta algumas características específicas, como: lesões mais inflamadas e doloridas localizadas no queixo e surtos relacionados à pré-menstruação. Quando há suspeita de ovário policístico, o tratamento geralmente é com pílulas anticoncepcionais com progestágenos anti androgênicos, ou seja, uma parte da composição da pílula neutraliza os hormônios masculinos. Também pode ser usada a metformina, nas mulheres que tem ovário policístico associado. É necessária a dosagem hormonal além do exame ultra sonográfico. Estabelecendo-se a causa do hiperandrogenismo, a cura pode ser clínica (ovário policístico) ou cirúrgica (tumores).

Tratamento sistêmico:

O tratamento sistêmico baseia-se no uso de antibióticos, anti-androgênicos e isotretinoína. Os antibióticos de amplo espectro são utilizados no tratamento da acne moderada a severa, normalmente em baixas doses, sem grandes efeitos colaterais. Os antibióticos são usados continuamente, por um período mínimo de seis a oito meses. São uma opção de tratamento terapêutica oral para a acne, sendo a tetraciclina em geral, a primeira droga a ser usada, exceto nos casos de alergia ou intolerância, ou nos casos de gestantes, quando a opção é a eritromicina. Hoje, outros antibióticos podem ser utilizados como a azitromicina com posologia confortável utilizando 1 cápsula ao dia, a mesmo pode ser utilizado em sistemas de pulso a cada 15 dias.

Os antiandrogênicos só estão indicados no sexo feminino. A isotretinoína é usada nos pacientes que não obtiveram a resposta favorável com tratamentos convencionais. Quando a acne tem muitos comedões, podem ser usados os retinóides que são queratolíticos, medicamentos que trocam a pele e evitam o entupimento. Neste grupo estão os derivados da vitamina A como: isotretinoína e ácido retinóico.

A isotretinoína foi introduzida em 1979, e desde de então, é amplamente utilizada.  Ela ataca diretamente as causas do problema da acne, reduzindo o tamanho das glândulas sebáceas e a secreção do sebo, amenizando os processos de inflamação e infecção. Portanto, é um medicamento que age nos quatro fatores patogênicos da acne: excressão de sebo, inflamação, colonização do Propionibacteruim acnes e comedogênese. O tratamento dura cerca de cinco a dez meses, mas esse período pode variar de paciente para paciente. Só o médico pode determinar qual será a duração exata. Em geral, quando menor a dose diária, maior o tempo de duração de tratamento. A dose também vai depender de cada caso, variando de acordo com o peso da pessoa. Alguns cuidados devem ser tomados antes do início do tratamento com a isotretinoína, principalmente em mulheres em idade fértil, que não podem engravidar até um mês após terminar o tratamento, período em que a substância permanece no organismo, podendo causar má formação fetal. Nos homens, porém, a substância não provoca alteração no esperma nem qualquer outro fenômeno relacionado à função reprodutiva.

Tratamento da acne com Terapia Fotodinâmica:

Dentre os novos tratamentos o que se considera melhor é a terapia fotodinâmica.

Esta terapia preconiza o uso de loção ou creme derivados do ácido amino-levulínico na pele seguido da aplicação de luz. Este produto é de uso exclusivo do médico e deve ser passado no consultório. Em seguida a colocação do produto na área afetada, a mesma é ocluída com papel alumínio (produto é instável) e o paciente permanece de 30 a 120 minutos com o mesmo. Após este tempo o papel é retirado e aplica-se uma luz especial por um período de 10-15 minutos. O produto ao penetrar na pele tem afinidade com as glândulas sebáceas e interage com as mesmas formando moléculas reativas e luminosas chamadas de porfirinas. A luz tem afinidade extrema por estas moléculas e joga todo o calor nas glândulas, podendo destruí-las total ou parcialmente. Este tratamento é recente, mas tem tido ótimos resultados. São necessárias cerca de 5 sessões com intervalo de 3 a 4 semanas para atingir bons resultados. A pele fica muito sensível (vermelha) 24 horas após a luz. Pode também haver descamação durante 3 a 4 dias pós aplicação. O uso do filtro solar neste período é indispensável.

É importante lembrar que a orientação do dermatologista é imprescindível para administrar qualquer medicamento.

COMBATE À ACNE

Existem dois períodos em que a acne compromete as pessoas: adolescência ou puberdade e a idade adulta, afetando principalmente mulheres que tenham sensibilidade aos hormônios.

A grande novidade em relação à acne, é que hoje há trabalhos mostrando que a inflamação é a causa principal da acne. A pele da pessoa com acne reage muito facilmente à irritação, ou danos da barreira cutânea desencadeando o restante da cascata inflamatória, passando pelo excesso da produção sebácea e hiperqueratinização e ação excessiva das bactérias. A novidade é que podemos tratar a inflamação com alguns tipos de Luz (LED) e lasers, diminuindo a inflamação.

O uso da isotretinoína sistêmica no caso da acne na puberdade é clássico. Esta medicação é a mais efetiva e mais conhecida para o tratamento da acne, no entanto existem contra indicações, e nesse caso, podemos usar a terapia fotodinâmica. Trata-se do uso de um creme que é espalhado na região da acne, por exemplo, o ácido aminolevulínico que tem atração pelas glândulas sebáceas região do infundíbulo, onde ficam a inflamação e as bactérias. Essa substância deixa o local sensibilizado e após cerca de 2 horas é aplicada uma luz que vai diretamente para o local afetado, promovendo a destruição de algumas glândulas. São feitas, em geral de 4 a 5 sessões com intervalo de um mês. No caso de mulheres adultas, o tratamento, geralmente é com pílulas anticoncepcionais com progestágenos anti androgênicos, ou seja, uma parte da composição da pílula neutraliza os hormônios masculinos. Também pode ser usada a metformina, nas mulheres que tem ovário policístico associado.

A questão da dieta hoje é muito estudada. Os alimentos de alto índice glicêmico e também o leite e derivados do leite devem ser controlados e evitados, pois pioram a acne. Isso acontece, pois eles estimulam a produção e a ação do hormônio de crescimento, insulina like, que é um dos principais hormônios estimuladores da acne. Evitar carboidrato, leite, queijo, iogurte e principalmente os suplementos de academia com proteínas do leite. O mito é sobre o chocolate piorar a acne, o que não é verdade, pois o cacau propriamente dito não chega a interferir no processo de inflamação.

A genética é fundamental, pois o modo de reagir pode ser diferente de individuo para individuo. Aqueles que têm pai e mãe com acne vão ter uma resposta inata mais exagerada, fazendo com que a inflamação e também a ação hormonal e a resposta da pele sejam intensas.

O fenômeno da epigenética (influência do meio ambiente no comportamento genético) também afeta os pacientes com acne. Isso quer dizer que o ambiente também pode influenciar e fazer com que os genes se expressem de forma mais intensa. Isso significa que o calor e a umidade excessiva, assim como dieta com leite e derivados do leite, alimentos que tenham muito carboidrato, e até alguns antidepressivos e vitaminas do complexo B devem ser evitados.

Medicamentos como lítio, anticonvulsionantes, rifampicina, cloro, entre outros, podem piorar a acne e estimular a maior inflamação. O estresse também é fator de piora na mulher adulta.

Lembrar que a autoestima fica muito abalada na fase da puberdade, que gera um ciclo vicioso. Quanto pior a acne, maior o estresse e maior a inflamação.

É fundamental buscar ajuda médica para o tratamento mais apropriado para cada situação.