Conheça mais sobre as NOVAS DOENÇAS INFECCIOSAS e variantes importantes das VELHAS DOENÇAS INFECCIOSAS

O Meeting da American Academy of Dermatology (AAD) é um dos eventos mais concorridos da Dermatologia Mundial. É lá que os médicos entram em contato com as grandes novidades e tendências em tratamento de doenças da pele, lançamentos em tecnologias, equipamentos e produtos. O encontro deste ano ocorreu em Orlando, na Flórida, em março desse ano.

Vários temas importantes foram discutidos, mas um em especial chamou a atenção por mostrar mais um efeito colateral de um modismo que se espalha pelo mundo. Já se discutiu muito os acidentes que acontecem por pessoas que se distraem para tirar as selfies, mas a novidade apontada no encontro dos dermatologistas, é que pode facilitar a transmissão de PIOLHOS que acomete, principalmente, crianças e jovens em idade escolar. 53% das pessoas nessa faixa etária passam por essa experiência, segundo especialistas.

Ao fazerem as selfies, as pessoas encostam a cabeça uma na outra e facilitam o contágio dessa doença, causada por um ácaro. Ela é muito contagiosa, então acredita-se que possa haver um aumento no número de casos, até em pessoas adultas, por conta desse modismo.

A fêmea do piolho produz até dez ovos por dia. A lêndea, que é uma espécie de ovinho, se fixa na raiz do cabelo por meio de  uma substância parecida com uma cola. Além da coceira constante e irritante, a infestação pode causar feridas e levar à anemia, nos casos mais graves, já que o piolho se alimenta do sangue do hospedeiro. Durante o encontro foi apresentado um novo produto que representa um avanço no tratamento da doença. Normalmente se usa um medicamento que pode ser a ivermectina via oral, ou se usa alguma substância de uso local que consegue matar o ácaro, mas o ovo permanece. Agora foi desenvolvida uma nova medicação que consegue fazer com que o ovo não se abra. Dessa forma, ele fica ressecado, acaba caindo e não abre. Não abrindo o ovo, não há persistência dessa parasitose na pessoa comprometida.

Outra pauta apresentada durante o encontro, foi a ZIKA – Essa doença é causada por um arbovírus e pode ocorrer um avermelhamento no corpo, um rash cutâneo como se fosse uma alergia. Também pode haver queda de cabelo, principalmente depois de uns 15 dias. É uma doença sexualmente transmissível, muito perigosa por causar a microcefalia, que acontece entre 1% a 13% dos casos. A mulher deve evitar por 6 meses a concepção depois de ter viajado para um local onde há a doença. O mais interessante citado no meeting, é que não existem vacinas, mas como o tratamento é necessário por conta do perigo da doença, pesquisaram remédios para tratar o zika vírus e citaram quatro drogas, uma delas é a daptomicina, que é na verdade um antibiótico da categoria B; pode ser usado com uma certa segurança em grávidas. Também se falou sobre a sertralina, que é um antidepressivo. Assim como a ivermectina, que é um tratamento para parasitas e se usa para tratar o piolho, por exemplo. Tanto a sertralina quanto a ivermectina são categoria C, ou seja, já pode existir algum risco para o feto. Não houve nada de novo em relação aos repelentes, mas ainda continua sendo muito importante que se possa proteger e evitar a picada enquanto não há vacinas ou drogas contra esse mosquito.

E por fim, a SÍFILIS foi abordada durante o evento, pois está retornando com muita intensidade, e também há o problema em geral de se conseguir penicilina para tratá-la. Já se começa a perceber a chegada de pacientes com sífilis no consultório. É uma doença sexualmente transmissível causada por um treponema e ela tem três fases. Na primeira é uma fase onde aparece uma pequena ferida na área genital, ou na área do contato sexual que pode ser, por exemplo, na boca. Na segunda parte, o treponema está disseminado e a pessoa pode ter caroços ou pápulas pelo corpo todo; as palmas das mãos e as plantas do pé ficam bastante comprometidas com manchas avermelhadas, a pessoa pode ter queda de cabelo bastante intensa e também sintomas de faringite, rinite, acompanhando esse quadro de secundarismo. Se não for tratada, ela pode persistir e se localizar em órgãos como a pele, dando lesões mais infiltradas ou espécies de tumores, ou comprometendo outros tecidos como os ossos. Então, em relação a sífilis, é muito importante lembrar dela, pensar nesse diagnóstico, principalmente quando tiver rash cutâneo, avermelhamento, caroços, queda de cabelo acompanhando. E a minociclina, que é um antibiótico da família das ciclinas, é também uma alternativa para o tratamento. É muito importante tratar a sífilis precocemente. Se a mulher estiver grávida e tratar até o quarto mês, não há passagem para o feto, mas se não for tratada, essa criança já pode nascer com sífilis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *