Alguns aspectos interessantes sobre o vitiligo

O vitiligo é uma doença de pele que causa manchas brancas em qualquer parte do corpo, piorando a qualidade de vida dos seus portadores. Várias teorias tentam explicar essa doença e a teoria autoimune é a mais aceita. Essa teoria preconiza que a célula que produz o pigmento é destruída por alterações imunológicas, que vão desde a produção de anticorpos, até a produção de infiltrado inflamatório, composto de linfócitos, chamados de células T.

Outras teorias, como auto tóxica e bioquímica, já conseguiram comprovar que a oxidação é mais intensa nesse local e que devido à complexidade do processo de formação de melanina, pode haver sobra de radicais livres, que acabam atacando o próprio melanócito. A genética, também não pode ser desprezada e hoje vários gens estão em foco devido a sua expressão relevante na causa do vitiligo.

Não menos importante é lembrarmos que o melanócito é uma célula nervosa e, portanto, responde a estímulos múltiplos e variados. Além disso, vários estudos estão sendo publicados sobre a causa do cabelo branco que parece ter uma correspondência com o aparecimento de manchas brancas na pele. No cabelo há maior oxidação que é a principal circunstância ligada ao embranquecimento e no caso do vitiligo também. Todas essas teorias são viáveis, importantes e provavelmente estão presentes em conjunto para explicar o desenvolvimento dessa doença.

O tratamento do vitiligo passa pelo controle do aumento das lesões e a repigmentação. Regras importantes quanto ao tratamento do vitiligo:

1-Tratar o mais rápido possível, pois as manchas são menores e pode haver reativação de melanócitos residuais.

2- Há muita controvérsia do que é considerado um vitiligo estável e não estável. Isto está progredindo ou não. Hoje é mais interessante pensar que se, em até um ano, não houver lesões novas, ele está estável.

3- É importante evitar todos os fatores de estresse oxidativos, considerando inclusive o sol, poluição, doenças, emoções, pois como existe excesso de radicais livres na pele com vitiligo, o ideal é baixar e evitar o máximo para que tenhamos mais sucesso no tratamento.

Vitaminas antioxidantes e substancias como o Polipodium leucotomas podem ser utilizadas, assim como o Ginko biloba e outras ervas e plantas. É importante o autoconhecimento e técnicas que possam ajudar no controle do estresse.

Uma nova alternativa é o uso da Minociclina, que é uma droga imunomoduladora, promovendo uma ação de baixar a atividade do vitiligo e também de destruição do melanócito pelo estresse oxidativo. Essa droga é bem tolerada, porém deve ser avaliada e receitada por médicos especialistas.

Há poucos trabalhos na literatura, mas o caminho é promissor. Os melhores tratamentos para a pigmentação são: Luz UV Narrow Band e também o Excimer laser ou luz V trac, que controla melhor, pois a aplicação é no local e evita o uso da luz no restante do corpo. Trata-se de comprimento de onda 308nm, que é a melhor luz para vitiligo.

A repigmentação difusa e mais rápida do que aquela perifolicular, mas esta última é mais estável e duradoura.

Um grupo vem estudando um tipo de creme que permite a passagem somente da radiação mais positiva, parece promissor.

Novidades:

Minociclina que age no processo inflamatório, podendo diminuir os anticorpos e o infiltrado inflamatório.

Laser/luz UVB que age somente nas manchas, protegendo o restante da pele dos efeitos colaterais da radiação

Luz ultra violeta de comprimento curto, chamado UV Narrow Band. Outro aparelho que é a luz ultravioleta B, mas foca na mancha com ponteira.

Vitaminas e substâncias antioxidantes que podem ajudar ou diminuir a agressão ao melanócito.

4 comentários em “Alguns aspectos interessantes sobre o vitiligo”

  1. Gostei muito do artigo, bem explicativo e me ajudou bastante,sou mãe de um rapaz de dezoito anos e há uns três anos mais ou menos surgiu uma mancha de vitiligo no rosto dele, desde então começamos uma maratona em vários dermatologistas e a busca por algo que melhore a aparência da mancha, o medo maior é que saiam novas manchas, não sei mais acho que isso afeta mais eu que ele mesmo.Sempre estou pesquisando sobre o assunto porque acho que esse é meu papel, busco tratamentos caseiros também como ervas, atualmente ele faz tratamento com Tarfic mais acho que não ertá dando muito resultado.

    1. O vitiligo é uma doença autoimune, complexa, não contagiosa e que tem controle. No entanto, cada pessoa é diferente da outra e reage de forma particular. Por isso, é importante a consulta médica com um médico especialista e também que aja toda empatia possível entre médico e paciente para que o tratamento evolua corretamente.

    1. Não há referência de uma pessoa ficar cega por causa do vitiligo. Há estudos que correlacionam inflamações no aparelho ocular em concomitância com o vitiligo, e alguns casos de cegueira noturna, que não significa cegueira exatamente, mas sim uma dificuldade ao anoitecer. Portanto, existe uma associação a esses casos mais graves, mas cegueira propriamente causada por vitiligo não. É um tema complexo, e existem poucos trabalhos na literatura sobre isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *