O que você ainda precisa saber sobre repelentes:

Existem várias doenças que são transmitidas por insetos causando danos irreversíveis e até morte. Infelizmente a dengue já comprometeu mais do que 50 milhões de pessoas e agora, o Zica está provavelmente associado a microcefalia, tornando a gravidez um grande risco nesse momento. Portanto, enquanto não existe vacina ou tratamento específico, é muito importante usar repelentes que evitam picadas de insetos.

Os repelentes tópicos atuam formando uma camada de vapor acima da pele, que tem odor repulsivo para os insetos. Eles podem ter várias apresentações como aerossol, gel, loção e spray.

Muitos fatores diminuem a eficácia dos repelentes, como a presença de inflamação e alergia na pele, ingestão de álcool, vestimentas coloridas e escuras, umidade, calor, perfumes florais, entre outros. Sendo assim, é importante realçar que o repelente não protege igualmente todos os seus usuários. Cada 10°C a mais na temperatura ambiente, pode diminuir em até 50% a eficácia do repelente. No Brasil, em certas regiões muito quentes, este fato é muito relevante, deixando as pessoas desprotegidas. Existem basicamente três substâncias que têm ação cientificamente comprovada contra o mosquito, conforme mostra a tabela abaixo:

Princípio ativo Concentração Tempo de proteção
DEET 6-14% 2h
Icaridina 25-50% 5 – 10h
IR 3535 ——- Até 4h
Óleo de citronela 1,8% Até 2h

Estas substâncias são eficazes em proteger a pele e também em relação ao aedes aegypti, porém a duração de cada componente é diferente, sendo assim, importante realçar que vários produtos protegem contra a picada do aedes aegypti e que a bula, com instruções de cada um, tem que ser lida para saber a duração de cada produto.

O uso do repelente em crianças menores de 6 meses é contraindicado formalmente. Em crianças de 6 a 24 meses ele deve ser usado em situações de risco. As crianças entre 2 a 12 anos devem usar o produto, de preferência com a especificação para esta idade. Os trabalhos científicos advertem que em crianças é melhor utilizar a menor concentração efetiva.

Em relação aos ativos existentes, a Icaridina, em concentrações de 10%, confere proteção de 3 a 5 horas e com 20% de 8 a 10 horas, sendo recomendável para crianças e grávidas, pelo tempo menor de duração. Sua reaplicação pode ter intervalos maiores. A potência dessa substância, em relação ao aedes aegypt, é de 1,1 a 2x mais potente que o DEET. O IR3535 é um biopesticida sintético usado há mais de 20 anos em concentração de 10% e protege de 4 a 6 horas, sendo seguro para gestantes e crianças. Outros repelentes com óleos naturais, como de soja ou citronela, têm duração menor e precisam ser repetidos muitas vezes.

Sempre há a preocupação com o uso excessivo de repelentes, pois os produtos podem ter alguma toxicidade, principalmente em grávidas e crianças. Pode haver reações adversas, que em geral são leves, como coceira, urticária, alergia de contato, erupção bolhosa e irritação ocular. Há relatos mais raros, como complicação neurológica, irritabilidade, tremores, fraqueza e até encefalite.

Sempre lembrar que a proteção, além dos repelentes, é muito importante, como mosquiteiro, telas e roupas com tecido claro e de trama fechada. O mosquito tem atração pelas cores mais escuras e também por aromas como perfumes. As telas e os mosqueteiros podem ser impregnados de permetrina.

Durante a noite é inútil usar repelentes, pois o lençol ou coberta tira a ação do mesmo. Assim como não adianta passar repelente e colocar roupa por cima, mas ele pode ser usado por cima da roupa.

Orientações de uso:

Passar uma quantidade suficiente para cobrir a pele. Evitar o uso em qualquer mucosa (nariz, lábios, olhos), pois são irritantes.

A ação do repelente limita-se a um raio de 2cm; então distribuir bem na área. Protege até 4cm acima da pele.

Deve-se repetir o uso conforme orientação do fabricante. Evitar usar mais do que 3 vezes ao dia.

Não adianta usar e colocar roupa ou lençol por cima.

Quando há necessidade de usar filtro solar ou hidratante, o repelente é sempre o último a ser usado.

Não ser usado em crianças menores de 6 meses. Crianças de 6 meses a 2 anos, só aplicar 1 vez ao dia. Crianças de 2 a 12 anos e grávidas aplicar até 3 vezes ao dia. Os pais devem passar nas crianças e não permitir que as mesmas manipulem o produto.

As grávidas devem seguir a mesma orientação e cuidados que as crianças.

Todos os repelentes com DEET, Icaridina e IR3535 funcionam contra o aedes aegypti, porém tem duração diferente.

Fatores ambientais e genéticos podem influenciar na duração do repelente.

Cada 10º a mais de calor diminui dramaticamente a ação do repelente.

Todas as proteções, além do repelente, são importantes e interessantes.

Após o término do tempo de duração do repelente, a pele deve ser lavada com água e sabão.

Evitar protetores solares com repelentes, pois são ineficazes.

Lave sempre as mãos, após manipular os repelentes.

Não durma com repelente.

Se tiver reação na pele, procurar um dermatologista.

Um comentário em “O que você ainda precisa saber sobre repelentes:”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *