CELULITE

Tratar a celulite é sempre um grande desafio. Infelizmente, esse mal atinge mais de 90% das mulheres… Além do problema estético, pois a aparência da celulite é desagradável, há a questão da saúde, uma vez que pode haver dor local, formação de caroços e piora na circulação e irrigação do tecido acometido. Afinal, é possível combatê-la? Vamos entender suas causas, como preveni-la e como tratá-la.

O que causa o aparecimento da celulite?

Conhecida como lipodistrofia ginoide LDG, a celulite é um desequilíbrio de liquidos, vasos e gordura e se manifesta na mulher modificando a estrutura da pele, principalmente nas regiões dos glúteos e a face posterior das coxas. A LDG é dividada em 4 estágios, de acordo com a gravidade:

Grau I: assintomático, sem lesões, tem história familiar. Ocorrem alterações ao nível das células adiposas,observadas somente ao microscópio.

Grau II: as alterações são visíveis ao contrair a musculatura ou comprimir a pele.

Grau III: são observadas ondulações, conferindo à pele aspecto em “casca de laranja”. Neste grau, a LDG pode ser dolorosa.

Grau IV: semelhante ao grau III, porém mais severo. Ocorrem nódulos visíveis, dolorosos, grande alteração do relevo da pele, podendo ocorrer aderência aos planos profundos.

As causas da LDG são variadas:

– Hereditariedade: a estrutura do tecido adiposo é determinada geneticamente. Algumas pessoas têm maior tendência à formação de celulite, provavelmente por uma predisposição do tecido adiposo e alterações circulatórias de sangue e outros líquidos.

– Fatores hormonais: os hormônios femininos são os principais causadores de celulite. Por esse motivo as mulheres são as principais afetadas. O problema em geral se inicia na puberdade, quando tem início a produção dos hormônios femininos. Qualquer doença que provoque uma alteração hormonal favorecerá a piora da LDG. Uso de medicamentos com hormônios, como anticoncepcionais, também podem desencadear ou agravar o quadro.

– Má alimentação: o descontrole alimentar é um forte componente para o agravamento do problema. Nosso corpo tenderá sempre a estocar energia. Toda dieta hipercalórica e hipergordurosa favorecerá a formação de novas células de gordura. Mais células de gordura numa área onde a circulação sanguínea já é deficiente, só agravarão o problema.

– A ingestão de líquidos também é fator fundamental; quanto menos líquido ingerido, mais ficarão retidos produzindo edema no local.

– Vida sedentária: quanto menor for a atividade física, menor será a ativação da circulação sanguínea e da drenagem normal da pele. Exercício físico é importante também na queima de calorias.

– Tabagismo: é conhecido que o cigarro prejudica a circulação sanguínea.

Como posso evitar a celulite?

Não há como alterar a influência hereditária; porém, para todos os outros fatores causais da celulite, existe algo a ser feito.

A atividade física tem muitos benefícios; ativa a circulação, aumenta a queima calórica, diminui o stress e melhora a postura. Hábitos saudáveis como não fumar, não beber em exagero, manter uma dieta balanceada, com ingestão de muita água e diminuição de sal, também são fundamentais.

Devemos nos preocupar com a prevenção, principalmente a partir da puberdade, porque até esta fase são poucos estímulos que irão favorecer a celulite. Logicamente pessoas com maior tendência familiar deverão ter mais cuidado, principalmente relacionados a manter o peso, no sentido de manter uma dieta equilibrada, beber muito líquido, fatores hormonais, que devem ser avaliados e tratados; e além disso, a pessoa deve também fazer exercícios físicos regulares e moderados.

A palavra chave na prevenção da celulite é EQUILÍBRIO.

Tratamento

O tratamento da LDG deve ser encarado como uma mudança no estilo de vida, mantendo hábitos saudáveis. A alimentação é básica; deve ser equilibrada, abusando de frutas, verduras, alimentos não muito calóricos, pouca gordura e pouco carboidrato. Vários tratamentos podem ser utilizados, em geral, em associação, para se obter melhores resultados. Existem várias possibilidades:

Cremes e óleos ativadores da circulação e da lipólise: várias substâncias podem ser usadas na intenção de ativar a quebra de gordura e melhorar a circulação sanguínea local. Devem conter liporedutores, substâncias que realmente vão agir em algum ponto da celulite; sempre levando em consideração que há a questão da absorção, dificultando então o resultado final.

Drenagem linfática: massagem suave que acompanha a cadeia dos gânglios para evitar a retenção líquida. É feita delicadamente, fazendo-se pressão no trajeto dos vasos linfáticos.

Injeção intradérmica de substâncias: são diversas misturas de medicamentos, chamadas de “mesclas”. Existem mesclas específicas para a LDG, que melhoram a circulação local, reduzem o edema e aumentam a quebra de gordura.

Subcisão: pequena cirurgia na qual descola se a pele, usando uma agulha especial, gerando uma reorganização cicatricial que visa melhorar a circulação e atenuar as marcas da LDG.

Radiofrequência bipolar, infra vermelho e massagem: aparelho com tripla ação – a radiofrequência emite calor que estimula o colágeno e melhora a circulação; a massagem à vácuo faz a drenagem do tecido, e a onda infravermelha que também ajuda no reequilíbrio do tecido gorduroso. Graças à associação de várias tecnologias em uma única ponteira, é possível reduzir medidas, tratar a flacidez e a celulite.

Ultrassom: aparelho de radiofrequência que produz um grande aquecimento na área tratada, levando ao estímulo de um novo colágeno e, consequentemente, ao enrijecimento da pele. A radiofrequência baseia-se no aquecimento controlado da derme profunda, enquanto a camada superficial é preservada através de sistemas de resfriamento, levando à contração imediata do colágeno e neocolagênese (formação de colágeno). Indicado para tratar a flacidez e a celulite.

Laserlipólise: é uma técnica a laser que quebra as células de gordura e ajuda a reduzir medidas, além de estimular a produção de colágeno. O procedimento une a tecnologia do laser associada à lipoaspiração. Por meio do calor gerado por uma fibra ótica, a gordura é diretamente derretida. Os adipócitos destruídos são absorvidos pelo organismo ou o material restante pode ser lipoaspirado.

Todas as técnicas e o uso de qualquer medicamento devem ser indicados pelo médico.

2 comentários em “CELULITE”

  1. Legal este post, pois mostra variedades de tratamentos. Mas eu me concentro nos hábitos naturais e alimentação saudável.
    Subcisão deve ser meio radical rss
    Mas o que vale é a pessoa se sentir bem no tratamento que ela escolher.
    Ótimo artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *