A TECNOLOGIA A LASER E A SAÚDE ÍNTIMA FEMININA

A expectativa de vida vem crescendo a passos largos, o que significa que vivemos mais. Mas como será a qualidade de vida na idade mais madura? Cabe a cada um refletir sobre esta questão e se cuidar da maneira mais abrangente possível.

Avaliando o envelhecimento do indivíduo, sabemos que a mulher apresenta grandes mudanças por ocasião da menopausa. Esse período é caracterizado principalmente pela queda dos níveis de estrogênio. Esse hormônio é bastante importante para a pele e sua diminuição facilita o ressecamento da cútis e mucosa, além da diminuição da produção do colágeno.

Nesse período, também chamado de climatério, a mulher tem vários sintomas, como: calores, insônia, oscilação de humor, ressecamento vaginal e dor na relação sexual. A reposição hormonal, ajuda no controle desses sintomas, porém nem todas as mulheres podem realizá-la devido a contra indicações específicas. Nesse sentido, temos agora uma grande ajuda no tratamento dessas alterações.

Trata-se de um laser que pode ser usado na região intravaginal, provocando estímulo de colágeno e hidratação. Este laser é aplicado com uma ponteira especial dentro da região da vagina, quando é acionado para liberar calor. A ponteira gira ao redor de toda a parede vaginal e libera calor em toda a circunferência. Esse estímulo, liberado pelo laser, é suave e controlado, não provocando dor e muito menos queimadura. O calor promove estímulo a produção de colágeno e melhora a qualidade da mucosa local. A incontinência urinária leve também pode melhorar com a aplicação desse laser. A região externa pode ser tratada, pois a luz do laser promove clareamento e diminuição da atrofia da pele. As dores durante a relação melhoram muito, contribuindo para um relacionamento mais prazeroso. São necessárias de 2 a 3 sessões, com intervalo mensal para conseguir um resultado interessante. Com esse tratamento, a mulher melhora a qualidade da pele que fica mais hidratada e tonificada.

Esta escolha terapêutica é ideal para as mulheres que não podem fazer reposição hormonal por qualquer motivo, como ocorre no caso do câncer mamário.

Novas tecnologias que possam contribuir para melhoria da qualidade são sempre bem vindas.

MD Codes™ de preenchimento facial

As alterações que ocorrem durante o envelhecimento são cada vez mais compreendidas e estudadas. Hoje sabemos que nossos telômeros encurtam e nossas células são constantemente oxidadas. Além disso, ocorre desgaste do processo de restauração, pois as células tronco também sofrem exaustão.

Hoje, baseado em conhecimentos científicos, são oferecidos vários recursos, que melhoram a aparência, e, portanto, também elevam a auto estima. Dentre os inúmeros recursos para preservar a juventude da pele e do rosto, contamos com as técnicas de preenchimento que devolvem volume e harmonizam a face.

Tudo começou com preenchimento dos sulcos e das rugas, passando pela reposição de volume e restauração do contorno, até chegar na reestruturação. Atualmente não só pensamos em 3 dimensões, como também em pontos de sustentação, além de vetores de levantamento, que favorecem o aspecto de harmonia de cada rosto.

Nesse contexto, é que está inserida a nova técnica denominada MD CodesTM, remetendo ao nome de códigos médicos. Esta técnica preconiza a avaliação global do rosto, com atenção as desproporções e perdas do tecido gorduroso, vazios e sombras e repercussões de movimentos de cada indivíduo. A partir desta avaliação completa, utiliza-se o preenchedor em determinados pontos, chamados códigos, que favorecem o levantamento facial e também reestruturam áreas já muito fragilizadas. Trata-se de técnica de preenchimento, utilizando-se o conhecido ácido hialurônico, porém com a criatividade de Oscar Niemeyer e o conhecimento técnico de Ivo Pitanguy. Cada caso deve ter o seu projeto, tanto técnico, como financeiro bem embasados no conhecimento da anatomia e fisiologia. Os códigos são referências especiais para esse tipo de tratamento e contribuem para um melhor entendimento do conjunto de estruturas que compõe a face humana.

As áreas envolvidas na aplicação dos MD Codes™ compreendem toda a região dos olhos, região malar, lábios, área do queixo e contorno facial.

Dependendo da situação, quando bem indicada e na hora certa, essa técnica pode equivaler a uma cirurgia plástica, preservando a anatomia e as proporções individuais, visando o rejuvenescimento global e não apenas localizado.

md codes

md codes II

UNHAS

 As unhas são anexos cutâneos e formadas por diferenciação de alguns segmentos da pele. Elas possuem muita queratina e estão envolvidas no processo de proteção do organismo em relação ao meio externo. As unhas, até mais do que a própria cútis, são termômetros do que está ocorrendo no organismo humano. Um exame atento a estas estruturas pode auxiliar em diagnósticos difíceis, bem como permitir um tratamento precoce de doenças internas. Isto ocorre porque estas estruturas crescem continuamente e recebem estímulos hormonais diversos ou até mesmo alterações nutricionais, podendo interromper seu crescimento ou apresentar alterações de estrutura. 

A unha normal é transparente, lisa, suave, permanecendo colada ao seu leito e apresentando crescimento contínuo. A unha das mãos demora em média, de 5 a 6 meses para crescer da base até a ponta, e dos pés de 8 a 12 meses. É bom lembrar que existem variações individuais, relacionadas a raça, idade, ambiente, ocupação, etc. Diversas alterações na cor, aparência, superfície e crescimento podem significar problemas internos.

Tabela 1 – Doenças

Doenças Alterações nas unhas
Anemia Unhas quebradiças, secas, opacas, sulcos transversais (vários), coiloniguia (formato côncavo da unha), onicólise (descolamento distal)
Doenças cardíacas Unhas curvadas para baixo, alargada, coloração arroxeada e pontos arroxeados
Doenças Renais Engrossamento das unhas, coloração amarelada ou cinzenta, linhas transversais esbranquiçadas, unha metade marrom e metade clara
Doenças no fígado Unhas de Terry – ocorre na cirrose – cor esbranquiçada na parte proximal e coloração normal na parte distal, unha pálida amarelada, arredondamento e aumento da unha
Doenças gastrointestinais Pontos hemorrágicos, unhas doloridas,frágeis e que se descolam da parte distal ou descamam
Diabetes Unhas avermelhadas e com vasos na pele, engrossamento das unhas, micose, engrossamento e endurecimento das pontas dos dedos
Hipertiroidismo (doença da Tiróide) Afinamento e enfraquecimento das unhas, descolamento da parte distal das unhas, abaulamento
Hipotiroidimo (doença da Tiróide) Unhas opacas, engrossamento
Lúpus Eritematoso Hemorragia da cutícula, manchas brancas na unha, depressão puntiformes e descolamento da parte distal da unha
Reumatismo Unhas amareladas, sulcos transversais, lúnula avermelhada e engrossamento sob a unha
Leucemia Unha quebradiça, hiperqueratose (engrossamento) ou perda total da unha
Aids Infecção das unhas por fungos e cândida, vírus e herpes e sarcoma de Kaposi (tumor vascular)

Tabela 2 – Deficiências Nutricionais

Substância deficiente Alterações nas unhas
Vitamina A Unha com aspecto de casaca de ovo, esbranquiçada e quebradiça
Vitamina B12 Linhas longitudinais escurecida, cor azul enegrecida
Vitamina C Hemorragia subunguenal, pontos avermelhados no leito ungueal
Zinco Coloração acinzentada, cutícula seca e engrossada, descamação intensa ao redor das unhas, linhas transversais bem acentuadas
Nicoitinamida B3

(pelagra – doença de alcoólatra)

Linhas transversais esbranquiçadas, ausência de brilho e descolamento da parte distal da unha

Tabela 3 – Drogas

Drogas em excesso Alterações nas unhas
Minociclina Cor azulada nas unhas
Tetraciclina Cor marrom e descolamento distal
Anticonvulsivantes Diminuição do tamanho das unhas
Antidepressivo Unhas com manchas brancas
Retinoídes Afinamento das unhas, leuconiguia (pontos brancos)

 

ACNE e a AUTO ESTIMA na adolescência

A acne é um processo inflamatório que causa cravos ou comedões, pápulas, pústulas (espinhas), nódulos e cicatrizes.

Este quadro é muito prevalente e atinge um grande número de pessoas, tanto homens como mulheres, principalmente no período da puberdade.

A acne é responsável pela perda da autoestima e um comprometimento importante das alterações emocionais. A transição do período da infância para a idade adulta é muito estressante e complexa. Trata-se de um momento onde meninos e meninas estão se desenvolvendo, trocando as características infantis por outras de adultos e tentando desesperadamente ser aceito pelo grupo. Neste período, é muito importante a inserção e aceitação no grupo.

Mesmo num período de transição saudável, esta fase causa bastante sofrimento porque as mudanças emocionais e físicas são profundas e difíceis de serem metabolizadas.

Os pais de crianças/adolescentes acometidos pela acne precisam estar atentos ao comportamento dos filhos.

Nos últimos anos, a discussão profissional e científica sobre as alterações psíquicas do adolescente com acne vem aumentando e se aprofundando. Enumeramos alguns dos problemas que podem ocorrer:

Auto estima e imagem corporal – Os adolescentes com acne evitam o contato no olho no olho. Alguns deixam o cabelo crescer para esconder o rosto e as meninas usam maquiagem pesada e inadequada, que pode piorar a acne. Quando os adolescentes têm acne no tronco, evitam participar dos eventos esportivos em grupos.

Convívio pessoal e construção de relacionamentos – Os adolescentes se sentem inseguros e evitam novos contatos, principalmente afetivos e de namoro. Tendem a se isolar. Justamente nesse período em que são ampliados os relacionamentos, eles ficam reclusos e alguns desenvolvem fobia social.

Trabalho e estudo – Alguns jovens com acne não querem mais ir a escola ou ao trabalho. A acne também contribui para que eles tenham menores chances de escolhas profissionais, pois evitam aquelas que dependem de boa aparência. Os adolescentes com acne, devido a sua baixa auto estima, não têm sucesso no estudo e no trabalho por vergonha e falta de iniciativa.

Em alguns casos, os pacientes com acne desenvolvem depressão em parte iniciada por esta baixa autoestima. Certos sinais de depressão, nesta fase, precisam ser reconhecidos pelos pais, como por exemplo: perda de apetite, letargia, variações de humor, problemas de comportamento, choro espontâneo, falta de sono, falta de indignação.

A acne na adolescência pode significar isolamento ou dificuldade escolar extrema. É comum que eles utilizem frases com os pais como: “não tenho vontade de acordar pela manhã”, “seria melhor se eu morresse”, “você estaria melhor sem mim”.

Em casos graves, pode haver tentativa de suicídio. Lembrar que muitas vezes a depressão, que ocorre na acne, está relacionada ao tratamento com isotretinoína. Como vemos, a acne, devido a todas as mudanças do adolescente, é muito mais relacionada a depressão do que a medicação.

Nesse sentido, é importante tratar a acne tão logo ela apareça para evitar sequelas físicas e emocionais. Existem vários tratamentos para a acne, como retinoides tópicos, antibióticos tópicos e sistêmicos, isotretinoína e pílulas anticoncepcionais.

Lembrar que nas mulheres, inclusive adolescentes, pode haver ovário policístico, associado ao quadro de acne. Além dos tratamentos convencionais, podem ser utilizados peelings e laser.

É importante procurar ajuda especializada do dermatologista para ser analisada toda a circunstância do caso e escolher o melhor tratamento. É muito importante que os pais estejam atentos e ajudem o adolescente/jovem a buscar auxílio médico especializado para tratar a acne, que, muitas vezes, envolve também, ajuda psicológica/emocional.