O que você ainda precisa saber sobre repelentes:

Existem várias doenças que são transmitidas por insetos causando danos irreversíveis e até morte. Infelizmente a dengue já comprometeu mais do que 50 milhões de pessoas e agora, o Zica está provavelmente associado a microcefalia, tornando a gravidez um grande risco nesse momento. Portanto, enquanto não existe vacina ou tratamento específico, é muito importante usar repelentes que evitam picadas de insetos.

Os repelentes tópicos atuam formando uma camada de vapor acima da pele, que tem odor repulsivo para os insetos. Eles podem ter várias apresentações como aerossol, gel, loção e spray.

Muitos fatores diminuem a eficácia dos repelentes, como a presença de inflamação e alergia na pele, ingestão de álcool, vestimentas coloridas e escuras, umidade, calor, perfumes florais, entre outros. Sendo assim, é importante realçar que o repelente não protege igualmente todos os seus usuários. Cada 10°C a mais na temperatura ambiente, pode diminuir em até 50% a eficácia do repelente. No Brasil, em certas regiões muito quentes, este fato é muito relevante, deixando as pessoas desprotegidas. Existem basicamente três substâncias que têm ação cientificamente comprovada contra o mosquito, conforme mostra a tabela abaixo:

Princípio ativo Concentração Tempo de proteção
DEET 6-14% 2h
Icaridina 25-50% 5 – 10h
IR 3535 ——- Até 4h
Óleo de citronela 1,8% Até 2h

Estas substâncias são eficazes em proteger a pele e também em relação ao aedes aegypti, porém a duração de cada componente é diferente, sendo assim, importante realçar que vários produtos protegem contra a picada do aedes aegypti e que a bula, com instruções de cada um, tem que ser lida para saber a duração de cada produto.

O uso do repelente em crianças menores de 6 meses é contraindicado formalmente. Em crianças de 6 a 24 meses ele deve ser usado em situações de risco. As crianças entre 2 a 12 anos devem usar o produto, de preferência com a especificação para esta idade. Os trabalhos científicos advertem que em crianças é melhor utilizar a menor concentração efetiva.

Em relação aos ativos existentes, a Icaridina, em concentrações de 10%, confere proteção de 3 a 5 horas e com 20% de 8 a 10 horas, sendo recomendável para crianças e grávidas, pelo tempo menor de duração. Sua reaplicação pode ter intervalos maiores. A potência dessa substância, em relação ao aedes aegypt, é de 1,1 a 2x mais potente que o DEET. O IR3535 é um biopesticida sintético usado há mais de 20 anos em concentração de 10% e protege de 4 a 6 horas, sendo seguro para gestantes e crianças. Outros repelentes com óleos naturais, como de soja ou citronela, têm duração menor e precisam ser repetidos muitas vezes.

Sempre há a preocupação com o uso excessivo de repelentes, pois os produtos podem ter alguma toxicidade, principalmente em grávidas e crianças. Pode haver reações adversas, que em geral são leves, como coceira, urticária, alergia de contato, erupção bolhosa e irritação ocular. Há relatos mais raros, como complicação neurológica, irritabilidade, tremores, fraqueza e até encefalite.

Sempre lembrar que a proteção, além dos repelentes, é muito importante, como mosquiteiro, telas e roupas com tecido claro e de trama fechada. O mosquito tem atração pelas cores mais escuras e também por aromas como perfumes. As telas e os mosqueteiros podem ser impregnados de permetrina.

Durante a noite é inútil usar repelentes, pois o lençol ou coberta tira a ação do mesmo. Assim como não adianta passar repelente e colocar roupa por cima, mas ele pode ser usado por cima da roupa.

Orientações de uso:

Passar uma quantidade suficiente para cobrir a pele. Evitar o uso em qualquer mucosa (nariz, lábios, olhos), pois são irritantes.

A ação do repelente limita-se a um raio de 2cm; então distribuir bem na área. Protege até 4cm acima da pele.

Deve-se repetir o uso conforme orientação do fabricante. Evitar usar mais do que 3 vezes ao dia.

Não adianta usar e colocar roupa ou lençol por cima.

Quando há necessidade de usar filtro solar ou hidratante, o repelente é sempre o último a ser usado.

Não ser usado em crianças menores de 6 meses. Crianças de 6 meses a 2 anos, só aplicar 1 vez ao dia. Crianças de 2 a 12 anos e grávidas aplicar até 3 vezes ao dia. Os pais devem passar nas crianças e não permitir que as mesmas manipulem o produto.

As grávidas devem seguir a mesma orientação e cuidados que as crianças.

Todos os repelentes com DEET, Icaridina e IR3535 funcionam contra o aedes aegypti, porém tem duração diferente.

Fatores ambientais e genéticos podem influenciar na duração do repelente.

Cada 10º a mais de calor diminui dramaticamente a ação do repelente.

Todas as proteções, além do repelente, são importantes e interessantes.

Após o término do tempo de duração do repelente, a pele deve ser lavada com água e sabão.

Evitar protetores solares com repelentes, pois são ineficazes.

Lave sempre as mãos, após manipular os repelentes.

Não durma com repelente.

Se tiver reação na pele, procurar um dermatologista.

Reflexões sobre a Beleza e Procedimentos

Podemos pensar que a beleza é universal e que todos querem ser bonitos de alguma forma. Os padrões podem variar, porém o desejo de estar melhor persiste dentro de cada ser humano. Não é a toa que em várias ocasiões de felicidade, quando as pessoas se casam ou se formam, encontram a  oportunidade para melhorar a aparência. Hoje, existem muitas possibilidades, mas as melhores estão ligadas mais a prevenção do que a correção.

Cada vez mais, podemos ajudar a construir uma aparência saudável, feliz e bonita. Porém, pagamos um preço, que é o da disciplina e do comprometimento com a nossa saúde e também com a nossa beleza. Não adianta acordar e querer uma transformação radical.  A mudança começa com cuidados diários, como protetor solar e hidratante, alimentação saudável e atividade física equilibrada. Dormir bem, ter momento felizes com amigos e família também ajudam na qualidade da pele. Por isso, dizemos que a beleza vem de dentro, com a ajuda do que vem de fora.

Existem preenchedores para sustentar, outros para estruturar e ainda outros para apagar as linhas muito finas e suaves. Utilizar preenchedores para melhorar e conservar a aparência,é uma arte que precisa ser realizada por mãos especializadas. O primeiro passo para fazer um preenchimento ideal é conhecer profundamente a anatomia da face que é bastante complexa, com artérias, músculos, vasos, nervos e gordura se entremeando numa estrutura perfeita. A segunda questão é a capacidade de enxergar a beleza, com suas proporções e segredos velados. Não basta preencher, é preciso conhecer as expectativas e desejos do seu paciente. O grande segredo hoje em dia é enxergar seu paciente, avaliando as suas  luzes e sombras e torna-las mais bonitas, de forma sutil, agradável e saudável.

O interessante é observar a evolução que houve em relação as técnicas de preenchimento. Antes, um sulco ou ruga era corrigido e hoje pensamos na sustentação, levantamento e harmonia da face. A região das têmporas e superior da sobrancelha tem sido mais explorada. Essa região perde tecido e deixa o rosto muito cadavérico, marcando as reentrâncias ósseas. Hoje preenchemos a região temporal prolongando na parte superior da sobrancelha, promovendo maior naturalidade. O nariz também pode ser corrigido com pequenas quantidades de preenchimento. Toda região periorbitária superior e inferior também podem ser tratada com preenchedor correto e rejuvenescer, além de melhorar o aspecto dos olhos cansados. O lábio merece definição e pequenos realces nos pilares para promover  harmonização com a região inferior do nariz.

A atitude do médico com o paciente (estético) tem que ser de protagonista e não de expectador. Longe da arrogância, mas sim com a intenção de corrigir algo que ao longo do tempo, com muito estudo e ciência ele aprendeu a conhecer. Sendo assim, o preconceito e medo sobre a técnica diminuem à medida que o conhecimento e as regras corretas evoluem. Conheça e entenda sua indicação, tratamento, tire suas dúvidas e tenha segurança.  

Tópicos importantes:

1-Pontos de sustentação são mais importantes do que o preenchimento em si.

2- Observar mais o formato, as tendências e a movimentação de cada paciente.

3-Planejar minuciosamente cada etapa.

4-O preenchimento da região temporal, próximo da sobrancelha, faz diferença no contexto geral no rosto.

5-Preenchimento na área dos olhos, embaixo e em cima, pois anima e rejuvenesce os olhos.

6-Queixo pode ser projetado com suavidade, harmonizando o rosto.

7-Voluma é muito mais usado.

8- O preenchimento de olheiras pode ser mais profundo, pois além de rejuvenescer o olhar, tem maior duração.

9-Tenha sempre uma boa razão e explicação e tudo dará certo!

MELASMA

As mulheres com melasma pioram muito nesta época do ano e frequentemente ouvimos a frase: “Eu não tomei sol e o melasma piorou”.

O melasma é traiçoeiro e piora mesmo na sombra, pois está sujeito a vários estímulos como: sol, calor, estresse, remédios e irritações locais. O exato mecanismo que favorece o aparecimento desta mancha não está totalmente esclarecido.

A grande vilã, responsável pelo escurecimento da pele, é uma célula bastante sofisticada e complexa, chamada melanócito. Esta célula tem origem no sistema nervoso central e durante o período fetal, migra até a pele onde se localiza numa camada intermediária entre a epiderme e a derme. Essa célula parece um polvo e possui vários receptores, que recebem estímulos de todas as fontes do organismo. Por esse motivo, o estresse pode piorar a mancha, uma vez que provoca o aumento do cortisol, que é um hormônio que favorece o estimulo de produção de melanina.

A melanina é uma proteína que se espalha na superfície da nossa pele, contribuindo para nossa cor e funcionando como uma proteção às agressões externas, como por exemplo, a radiação ultravioleta. Sendo um mecanismo protetor, a produção de melanina é aumentada por agressões como queimadura solar, peelings, depilação com cera, ácidos, entre outros. Por esse motivo, é importante que o tratamento para o melasma não irrite a pele, pois, caso isso ocorra, haverá mais produção de pigmento e a mancha ficará mais escura.

A pele mais propensa a ter melasma é a pele morena e a miscigenada, pois nestas peles o melanócito é mais competente e ativo. Considerando as características dessa célula de origem nervosa e muito reativa aos mais variados estímulos, aí vão alguns conselhos sobre o tratamento dessa mancha que mexe tanto com a autoestima das pessoas comprometidas:

-Proteger a pele com filtro solar, de preferência físico, com numeração alta e com cor.

-O filtro físico reflete a luz e a cor bloqueia a luz visível (computador, luz das casas, etc..).

-O filtro deve ser repetido várias vezes ao dia, principalmente se houver trabalho ao ar livre.

-O tratamento com cremes para melasma deve ser prescrito pelo dermatologista e não deve irritar, arder ou descamar a pele.

-Tratamentos como depilação da face ou esfoliações devem ter a aprovação do seu médico.

-O tratamento complementar com laser deve ser específico e pouco agressivo. O laser mais indicado é aquele onde a energia é baixa e o pulso é curto (Q-Switched), para que o calor liberado não seja agressivo e não piore a mancha.

-Lembrar que o tratamento é médico, mas a pele é sua, portanto você deve entender tudo o que está acontecendo com ela.

-Durante o tratamento com laser, é necessário proteger a pele e evitar agressões externas.

-Lembre-se que a melhoria do melasma tem a ver com o todo, o que significa estar saudável, alimentar-se bem e diminuir o estresse.

-Substâncias como o polypodium leucotomas e ácido tranexâmico podem ser ingeridas e ajudam a proteger a pele. Ultimamente, essas substâncias são muito estudadas e demonstram cientificamente, que podem ajudar no controle do melasma. No entanto, elas devem ser prescritas pelo médico dermatologista que conhece o mecanismo desses medicamentos e pode indicar doses corretas e também evitá-las em caso de contraindicações especificas.

O melasma não deve e não pode atrapalhar sua vida.

FIM DE CARNAVAL

O carnaval de 2016 está terminando com sol intenso e muito calor.

Em geral, após esse período, nossa pele fica judiada, torna-se um pouco desgastada, principalmente pelo sol e o calor em excesso. Há grande desidratação devido ao calor, que gera suor. Além disso, os raios ultravioletas (UV) danificam o DNA celular e geram uma reação inflamatória.

Beber muito líquido e manter uma alimentação saudável são atitudes fundamentais para reequilibrar o organismo. Chás, sucos verdes com antioxidantes, são interessantes para essa ocasião. A alimentação mais leve, com folhas verdes, legumes, frutas e muita água é o ideal para desinchar e desintoxicar.

Os polypodium leucotomos, ativos encontrados numa planta da família das samambaias, podem ser ingeridos para dar uma proteção extra à pele.

Passar hidratantes suaves que possuam vitaminas E ou C, além de moléculas que atraiam a água e mantenham a pele mais próxima da fisiologia natural. Manter banhos rápidos, quase frios, usar sabonetes neutros e hidratante após o banho, espalhando bem. Insistir nos pés, joelhos e cotovelos. Evitar esfoliantes, especialmente se a pele estiver avermelhada.

No rosto, usar cremes calmantes com antioxidantes (vitamina C, vitamina E, resveratrol, azuleno, alfa-bisabolol, entre outros, que ajudam a hidratar e desinflamar.

Evitar lugares quentes e calor excessivo na pele. Evitar também, ácidos retinoico e glicólico, pelo menos por uma semana. As manchas podem até estar piores, porém, quando a pele está muito bronzeada ou desgastada, devemos evitar o uso de lasers, pois a luz dos aparelhos pode queimar a pele.

Esses cuidados são importantes para o organismo e especialmente para a pele, que pode ser preparada para os tratamentos de outono-inverno.

TENDÊNCIAS E NOVIDADES: FIOS DE SUSTENTAÇÃO PARA MELHORAR A PELE

O uso de fios de ácido polilático vem obtendo bons resultados no tratamento da flacidez cutânea. Trata-se de um fio que tem cones deste mesmo material, que ajudam no tensionamento e levantamento da pele. É um procedimento minimamente invasivo, feito em ambulatório, porém com os cuidados de assepsia de um procedimento cirúrgico. A anestesia é feita com lidocaína injetada no local da entrada e da saída da agulha.

A colocação específica segue os vetores físicos que ajudam na sustentação do contorno. Além do efeito de levantamento, também há estímulo de colágeno novo, devido ao produto do qual ele é feito. O ácido polilático é sabidamente um produto estimulador de colágeno.

Após a colocação do fio é necessário um repouso relativo dos músculos faciais, sendo recomendado alimentar-se de líquidos e manter o abdômen para cima durante o sono noturno.

A pele fica ligeiramente repuxada no local da entrada da agulha. Em geral, não há dor nem edema importantes. Os resultados totais e finais ocorrem após 3 meses, quando já acontece o estímulo do colágeno.

O melhor paciente para a realização desse procedimento é aquele com flacidez e também perda de contorno facial, sem gordura excessiva na região.

Os fios também podem ser combinados com procedimentos de preenchimento. O fio não ficará definitivamente na pele, mas a duração é de cerca de 1/5 ano.

O custo benefício é bastante interessante, mas é sempre importante lembrar que é fundamental realizar procedimentos estéticos-médicos com especialistas em clínicas capacitadas.