Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia

:: Atualidades

Novidades do Meeting da Academia Americana de Dermatologia – realizado de 4-8 março/2016 em Washington

Zinco:

Zinco é um elemento extremamente importante para o organismo e sua falta pode levar a doenças graves. Ele existe em vários alimentos, sendo a ostra uma das mais ricas nesse nutriente. A falta de zinco pode levar a anorexia, queda de cabelo, piora da cicatrização, baixa da resistência e até confusão mental. Alcoólatras, grávidas e vegetarianos são grupos de risco para ter o zinco mais baixo. O ferro atrapalha sua absorção e sua ingestão aumentada diminui o efeito do cobre no organismo, podendo levar a anemia.

O zinco pode ser ingerido em forma de sal como gluconato, acetato e sulfato (40 – 120mg).  É importante entender que a ingestão de 200mg de gluconato de zinco vai ser processada no organismo, se transformando em 26mg de seu produto elementar. O zinco pode ser usado como coadjuvante no tratamento da acne e da rosácea na dosagem de  40 – 80mg/d. Em mulheres grávidas, pode ser usado o gluconato de zinco 100mg 2x dia.

São inúmeros os benefícios do zinco por sua multiplicidade de participações e ações no organismo humano. Além de acne e rosácea, o zinco é indicado também no tratamento de verrugas, alopecia areata e da hidroadenite supurativa. Esta afecção apresenta um quadro inflamatório similar ao da acne, porém muito mais grave e constrangedor. A hidroadenite supurativa é uma inflamação grave que favorece outros distúrbios inflamatórios como acidente vascular cerebral – AVC – e infarto do miocárdio.

Onicomicoses

A micose de unha é uma alteração muito frequente, principalmente nos pés devido a umidade e calor local.

Estão chegando novos antifúngicos tópicos que, mesmo não sendo esmaltes, são eficientes. Os nomes das novas substâncias são efinoconozole 10% e tavaborole 5%. A cura da onicomicose com essas substâncias tem levado, em média, cerca de um ano.

Também está em fase III de desenvolvimento um antifúngico VO  – VT 1161 que tem eficácia comprovada em 6 meses.

Vale lembrar que, na dermatologia, quando a micose não sara com a medicação oral já existente, como terbinafina e tioconazol, a hipótese é que o fungo é menos comum e não seja um dermatófito, mas sim, um fungo mais raro.

Laser e micose de unha

O uso do laser Nd Yag no tratamento da micose de unha tem sido eficaz e ótimo coadjuvante. É um aparelho com comprimento de onda profundo e precisa ser usado por medico. Em geral, o laser precisa ser feito de 4-6 sessões a cada 2-3 semanas. O calor emitido pelo laser agride o fungo, melhorando também a qualidade da unha.

Idosos costumam ter as unhas mais grossas e a onicomicose aparece com mais frequência. Muitas vezes, pessoas de mais idade não podem tomar medicação por via oral para evitar agressões ao fígado e rins. Por isso, em situações como essa, o laser é uma boa opção. A terapia fotodinâmica também pode ser usada para tratar problemas nas unhas.  Neste caso, é usado um produto em forma de creme oclusivo com uma dedeira que fica cerca de 2h para penetrar e identificar os micro-organismos. Na sequência, é aplicada uma luz que atinge os micro-organismos, eliminando os fungos identificados pelo produto.

ACNE: (17 alfa propionato cortexolane)

A acne é uma doença inflamatória do folículo pilo sebáceo. Devido ao desequilíbrio da produção de sebo e do crescimento bacteriano e excesso de produção de queratina com entupimento do óstio teremos a formação de lesões como pápulas, pústulas e infecção concomitantes.

A acne da mulher adulta é aquela que ocorre no sexo feminino com mais de 25 anos. Estudos científicos sobre qualidade de vida, apontam que esta alteração causa um sofrimento muito grande as mulheres, afetando seu comportamento psicossocial. Este tipo de acne não está totalmente conceituado, pois há controvérsias sobre se existe ou não alterações hormonais. Apresenta lesões inflamatórias, principalmente na região do queixo e pescoço que pioram na pré menstruação.

A espironolactona, que é um medicamento diurético e anti andrógeno pode ajudar no seu controle, uma vez que diminui produção do sebo. Dieta com menor quantidade de carboidrato e menos leite e derivados ajuda no controle da acne. Suplementos com proteína do leite também são proibidos.

Também foi citado o óxido nítrico e um novo anti andrógeno, o 17 alfa cortexolane, ambos em apresentação tópica. Eles diminuem a produção do sebo, evitam o entupimento e a formação de lesões inflamatórias. O óxido nítrico age como vasodilatador e imunomodulador. O cortexolane tem ação antiandrogênica e portanto, diminui a produção de sebo, o entupimento dos folículos, com ação anti inflamatória importante.

A terapia fotodinâmica foi realçada no tratamento para acne. Utiliza-se um produto tópico chamado ácido aminolevulínico que fica 1,5h no rosto da paciente. Em seguida é feito uma luz que através do calor agride a glândula sebácea destruindo a mesma pelo calor e melhorando a acne. Também são usados os contraceptivos que tem ação antiandrogênica.

Vitiligo

O vitiligo é uma doença crônica não contagiosa que causa manchas brancas na pele. A causa não está totalmente conhecida, mas já se descobriu que o melanócito é agredido por células inflamatórias. Já foram descobertos alguns dos fatores inflamatórios específicos dessa doença como a citocina CXCL-10. Sendo assim, as pesquisas se concentram em tentar neutralizar ou acabar com as fases dessa inflamação.

A sinvastatina, por exemplo, que é um remédio utilizado para reduzir os níveis de colesterol, pode melhorar o vitiligo, pois apresenta ação anti-inflamatória.

Outras medicações como os inibidores da Jack, que são enzimas específicas de receptores de membrana, podem reverter o vitiligo porque neutralizam a citocina CXCL-10. Uma dessas drogas foi aprovada pelo FDA para tratamento de artrite reumatoide. Recentemente um paciente que tinha artrite e vitiligo reverteu as manchas quase na totalidade, quando fazia o tratamento para reumatismo. Os nomes comerciais desses produtos que podem tratar o vitiligo são: Tofacitinib e Ruxolitinib.

Outra opção é o Afamelanotide, que é um análogo do hormônio melanócito estimulante. Este remédio melhora o vitiligo quando associado a luz ultravioleta B e age provocando o estímulo do hormônio que produz o pigmento denominado melanina.

Ainda foi enfatizado que a vitamina D e o zinco estão em níveis baixos nesta doença. A suplementação com essas substâncias pode promover a produção de pigmento e melhorar o problema. 

Queda de cabelo: Minociclina na alopecia fibrosante frontal inibe metaloproteinase e evita cicatriz.

A alopecia fibrosante frontal é um tipo específico de queda de cabelo que ocorre mais em mulheres após a menopausa. Ela é uma alopecia cicatricial, onde o folículo pilo-sebáceo é destruído. Nos últimos anos, há um aumento muito grande de casos, configurando quase uma epidemia.

Nesta doença, a testa aumenta de tamanho devido à diminuição dos folículos que desaparecem do local. Lembrar que o mais importante em relação ao tratamento é o fato de ser uma alopecia cicatricial, que é irreversível e dessa forma, quanto antes iniciar o tratamento melhor.

No Meeting da Academia Americana de Dermatologia, uma aula sobre este tema foi dada pela professora e pesquisadora, referência no assunto, Dra. Antonella Tosti, que realçou a finasterida e dutasterida como os melhores tratamentos para alopecia fibrosante frontal. Ela também utiliza outras medicações como: hidroxicloroquina, minoxidil, corticoide, inclusive fazendo a combinação de alguns deles. 

A Minociclina, que é um antibiótico imunomodulador, promove a melhora da alopecia fibrosante frontal, pois além de tratar a inflamação, inibe também a enzima metaloproteinase, evitando cicatriz posterior.

É importante enfatizar que a parada da progressão da doença já melhora a autoestima dos pacientes.

Uma das novidades do Congresso Americano de Dermatologia foi o ácido tranexâmico. Ele promove uma proteção em relação ao sol e outras agressões externas, evitando o aparecimento do melasma. Ele tem um mecanismo que inibe a plasmina e, através deste mecanismo, consegue evitar todas as inflamações desencadeadas por essas agressões externas. É bom lembrar que já temos trabalhos publicados a respeito do ácido tranexâmico, mas é sempre bom conhecer a opinião de outros especialistas.

Ainda sobre o melasma, outra novidade é que pode ser acrescentada com o ácido tranexâmico a glutadiana via oral. Demonstrou-se que essa substância é um poderoso anti oxidante e pode proteger a pele das agressões externas. Nota-se que cada vez mais que o melasma é explicado como uma reação inflamatória causada pelo melanócito que se desequilibra, e as substâncias que, de alguma forma, cortam as vias metabólicas dessas inflamações, podem proteger a pele e clareá-la.

O fio de sutura com ácido polilático também foi muito comentado no meeting. Ele tem duas funções: uma de tracionar a pele e outra de estimular o colágeno através da substância que é o ácido polilático. São feitos muitos tipos de desenho no rosto para que o levantamento seja o ideal. Isso também pode ser incorporado ao tratamento do envelhecimento cutâneo.

 

 

 

 

voltar

2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados
2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados