Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia

:: Atualidades

Nanotecnologia

A procura de uma aparência mais jovem e harmoniosa é incessante.

Este desejo inerente ao homem gera pesquisas e descobertas que moldam o aprimoramento do tratamento estético dos indivíduos.

Hoje o avanço no conhecimento de novos ativos para tratar cada vez melhor e com mais eficiência a pele é inegável.

A pele é uma estrutura complexa, formada por três tipos de camadas e dois tipos de tecido.

Estas camadas são chamadas de epiderme (tecido epitelial), derme e hipoderme (tecido conjuntivo).

A epiderme é formada por um conjunto de células cuja principal representante é a queratinocito.

Estas células estão sobrepostas uma as outras e exercem uma comunicação insuperável para defender a cútis das agressões externas.

Os queratinocitos tem uma membrana lipofílica que dificulta a entrada de moléculas grandes hidrofílicas preservando as funções da pele.

Reside aí uma das dificuldades de penetração de moléculas maiores e hidrofílicas.

Na derme e hipoderme existem vários outros tipos celulares e estruturas como folículos, glândulas, vasos, fibras, terminações nervosa.

Está na derme um dos elementos mais importantes da pele que é a fibra de colágeno, responsável pela tonicidade da mesma.

O colágeno é produzido continuamente porém com o envelhecimento tanto intrínseco como extrínseco sofre mudanças na estrutura e torna-se mais lento na sua reposição.

Este mesmo colágeno é o alvo de muitos tratamentos anti-envelhecimento para melhorar a aparência e firmeza da pele.

Na derme e hipoderme também estão os vasos, responsáveis pela nutrição cutânea e pela aparência rosada e saudável da mesma.

Feitas estas considerações vemos que é muito importante que ativos anti-envelhecimento possam penetrar na pele, na sua profundidade para agir em estruturas nobres e importantes na composição cutânea.

A nanotecnologia é uma nova maneira, simples e eficaz de ajudar na penetração de ativos atingindo estruturas antes quase impossíveis de se chegar.

Ela preconiza a existência de nanosferas, muito pequenas que tem membrana lipídica, extremamente semelhante a característica do queratinocito.

Estas nanosferas tem a capacidade de carregar os mais diversos ativos para que os mesmos sejam levados a derme e hipoderme.

O mecanismo é simples, pois as mesmas devido ao tamanho e composição terão facilidade de penetração e passagem até os níveis inferiores e profundos da pele.

As nanosferas são compostas essencialmente de fosfolipídios de origem natural. Sua estrutura interna, composta de bicamadas permite a integração de outros princípios ativos. Seu tamanho microscópio ao redor de 250 nanômetros, conseguido através de tecnologia a laser permite facilidade na penetração da pele.

As nanosferas se comportam como os surfactantes sendo anfifílica e associando-se em soluções (mícelas, bicamadas, vesículas) além de aumentar materiais nas interfases.

Estas nanosferas comportam-se como sistemas naturais de transporte seletivo e controlado pois são análogos estruturais das membranas celulares.

Através da nanotecnologia podem ser atingidos vários objetivos no tratamento da pele:-

1) prolongamento e biodisponibilidade do ativo;

2) melhora na absorção, penetração e difusão do ativo;

3) estabilização do princípio ativo;

4) introdução de vias de administração alternativas para o princípio ativo.

5) Tratamento de diversas alterações como manchas, inflamações e rugas.



Desta forma, acompanhando os avanços tecnológicos e científicos vislumbramos uma possibilidade nova, segura e eficaz para o tratamento de distúrbios e alterações cutâneas.

Dra. Denise Steiner

 

 

 

voltar

2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados
2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados