Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia

:: Publicações

Importantes indicações para o uso da Toxina Botulínica tipo A na região do nariz, boca e pescoço

A Toxina Botulínica tipo A já é um tratamento consagrado para as rugas de expressão com eficácia e segurança estabelecidas. Seu uso no terço inferior do rosto, pescoço e colo, também vem se tornando consagrado como coadjuvante no tratamento do envelhecimento cutâneo.

O pescoço é uma região que denuncia a idade pelo aparecimento de flacidez, rugas horizontais, além do aspecto de fotoenvelhecimento com o aparecimento de manchas e rugas. Seu tratamento é difícil e, muitas vezes, é necessário o uso de técnicas cirúrgicas. Nessa região a musculatura é composta pelo platisma com suas bandas que se inserem na mandíbula, na parte superior e clavícula. Sua movimentação com contração e relaxamento é responsável não só pela flacidez da região como também linhas horizontais e sobra de pele.

O uso da Toxina Botulínica tipo A no pescoço é indicado para mulheres entre 35-65 anos que tenham a contração muscular da platisma bem delineada, algum grau de flacidez e linha horizontais em desenvolvimento. Não se deve utilizar esta substância pensando no tratamento de fotoenvelhecimento, gordura localizada ou flacidez excessiva.

A Toxina Botulínica tipo A é aplicada diretamente no platisma em linhas paralelas entre si, da mandíbula à clavícula. A distância dos pontos de aplicação ficam entre 1-2 cm com quantidades de 2 – 5 U em cada ponto. No geral, concentramos maior quantidade da Toxina Botulínica tipo A na região central, onde há a maior intensidade de flacidez. A aplicação da toxina no pescoço, na linha mandibular ajuda a mesma a manter o contorno da parte inferior do rosto.

Deve-se ter muita atenção em relação à profundidade da aplicação no pescoço, pois há neste local, pontos nobres cuja inserção provocaria danos a músculos mais profundos, causando alterações na movimentação e também na voz. Hematomas importantes também devem ser evitados pela riqueza de estruturas nesta região. A aplicação da Toxina Botulínica tipo A na região é feita com uso de anestésico tópico que deve permanecer por cerca de 20 minutos. A injeção propriamente dita é feita pinçando a pele e o músculo entre os dedos e segurando até que o produto seja aplicado totalmente.

Essa indicação não é tão difundida como no rosto, talvez porque os resultados não sejam tão evidentes. No entanto, é uma técnica excelente definindo o contorno facial. Além disso, o pescoço tem poucas opções de tratamento. A aplicação é considerada simples e não é dolorosa. O número de pontos, assim como as unidades, variam bastante de pessoa para pessoa. A duração do efeito persiste de quatro a seis meses, similar ao que ocorre no rosto. Muitos autores, mesmo que não apliquem no rosto total, aplicam na parte central e submentoniana harmonizando os resultados com aqueles conseguidos no terço inferior do rosto.


O terço inferior do rosto também tem indicações excelentes e específicas para o uso da Toxina Botulínica tipo A. O uso neste local deve ser mais cuidadoso, uma vez que os músculos estão ligados a funções fisiológicos específicas. Doses menores promovem grandes resultados.

Levantando a ponta do nariz

O uso da Toxina Botulínica tipo A é preconizado para o levantamento do nariz. Com o passar do tempo, uma das causas de envelhecimento é a queda da ponta do nariz, principalmente nas pessoas com nariz volumoso. Os pontos específicos de aplicação são: asa lateral do nariz e também no músculo abaixador da ponta do nariz. A quantidade de unidades pode variar segundo o grau de levantamento necessário. A mesmo pode ser de 2-4-6 U de cada lado conforme desejamos um levantamento pequeno, médio ou grande. Essa aplicação é pontual, deve-se ter em conta a expectativa do paciente assim como uma análise detalhada da sua anatomia. Quando as fossas nasais são muito grandes, o levantamento excessivo pode tornar o nariz antiestético.

Toxina Botulínica para os lábios

No caso da região labial há indicações interessantes para a aplicação do Botox®. Pequenas quantidades da Toxina Botulínica tipo A (0,5 a 1 U) na linha do lábio, promove a reversão do mesmo, dando a impressão de maior volume.

No caso do tratamento das rugas do fumante, a aplicação é mais profunda, até atingir o orbicular da boca, tanto na parte inferior como superior. Indivíduos que utilizem esta área para movimentações específicas de trabalho não devem ser tratados com Toxina Botulínica tipo A nesta região.

O músculo abaixador do canto da boca pode ser tratado com poucas unidades e seu relaxamento irá provocar o levantamento do canto da boca. O local de aplicação é muito importante, uma vez que pode haver o comprometimento do músculo abaixador do lábio. O local ideal em relação a esse músculo é seguindo a linha do sulco nasogeniano. Deve-se aplicar 1 a 2 U na parte mais lateral na linha da mandíbula. A quantidade varia de 1-3 U para cada lado. O resultado do relaxamento do músculo abaixador do canto do lábio melhora o contorno facial.

Tratando as rugas do colo

A região do colo também pode ser tratada com Toxina Botulínica tipo A ajudando no tratamento das linhas do sono que costumam ser importantes, principalmente em peles fotoenvelhecidas. Essas rugas não são causadas somente pela movimentação muscular, porém também devido a posição para dormir e o sol na pele durante a vida. A aplicação nessa região deve ser distribuída de acordo com a quantidade e profundidade das linhas. Elas são aplicadas ponto-a-ponto segundo a forma de um V ou colar com distância de 1 a 2 centímetros.
 

voltar

2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados
2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados